VEJA E OUÇA A DEFESA FERVOROSA DO SEGUIMENTO GLS GLBT GLBTT NA VOZ TROVEJANTE DO AMIGO BOCA ABERTA

Loading...
Mande suas críticas e sugestões
amigobocaaberta@gmail.com

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Que 2011 seja um ano promissor para os direitos LGBTs


Pensei em deixar meu texto sobre as finalizações como o ultimo de 2010, mas esta semana aconteceram coisas que me deixaram um tanto “irritada” e quero compartilhar com vocês.Semana passada, fui com minha família no bar Estação Fradique, aqui do lado do meu consultório, e ao entrarmos o garçom vira para meu pai e diz: “Senhor, quero avisar que depois das 20h vem muitas mulheres com mulheres aqui , sabe? Aviso pra não acharem estranho”.Eu olhei pra todo mundo e perguntei ao garçom: e o que poderia ser estranho? Todo mundo riu, mas fiquei com aquilo na cabeça. Ontem, uma amiga me contou que foi a ginecologista e ao ser questionada sobre sua vida sexual, revelou que era casada com uma mulher. A médica, olhou um tanto indignada, e perguntou: sua filha sabe? “Claro, por que não?” – respondeu minha amiga. Após alguns minutos, a médica se manifestou. “É que ela é menor de idade e tenho que deixar isso escrito”. Gente, não entendi!!! O que é isso? Vivemos num país livre ou não? A questão é que ainda vivemos num país em que não existe educação suficiente para se aceitar e conviver com as diferenças, e o que deveria existir é somente isso, educação.Não venham me falar que hoje existe uma melhor convivência entre a maioria heterossexual e a minoria homossexual, é balela. A grande maioria está pouco se lixando para o cultivo de um NÃO bem grande aos preconceitos. O que fazer então? Mudar de país? Sinceramente, não sei...Gostaria muito de mostrar para minha filha que vale a pena lutar por seus direitos e que as diferenças são só diferenças e não ameaças. Eu tento, mas às vezes me sinto única num mar de milhões...No entanto, no meio disso tudo sei que existem, sim, pessoas que lutam, e lutam muito pelos direitos das mulheres homossexuais. Um dia desses, descobri esse site e quero dividi-lo com vocês. Lá, fazem um trabalho muito legal na promoção dos direitos das mulheres, levam informação e ajuda jurídica, entrem e vejam vocês mesmas!Espero que 2011 seja um ano promissor no que se diz respeito aos direitos dos LGBTs, que atos de violência como os que ocorreram na Av. Paulista sejam repudiados e punidos com seriedade. Que mulheres possam se beijar, se abraçar e demonstrar o afeto que sentem sem se importar com o lugar que estão. Que possam falar, sem medo de serem tachadas de transgressoras, a todo o mundo: Eu amo outra mulher! Eu transo com outra mulher! Eu sou casada com outra mulher!E melhor ainda seria se cada um olhasse mais para seu próprio umbigo e percebesse que o que incomoda é aquilo de que se tem medo de fazer parte de si mesmo.Um feliz final de 2010 e uma ótima passagem de ano a todas.
dykerama

Richard Chamberlain aconselha atores gays a não saírem do armário


O ator Richard Chamberlain, que em 2003 assumiu publicamente a sua homossexualidade, não acredita que esse é o melhor caminho para outros atores gays.
Em entrevista ao site da revista gay "The Advocate". Chamberlain declarou que o preconceito ainda é muito grande. "Apesar de todos os avanços, ainda é perigoso para um ator falar sobre isso na nossa cultura tão mal-orientada", disse.
"Eu não aconselharia um ator de grandes papéis masculinos a sair do armário."
Chamberlain revelou ser homossexual aos 69 com a publicação de sua autobiografia, "Shattered Love".
folha.com

Confira as festas que prometem bombar neste Réveillon no Rio e Floripa



2010 está chegando ao fim e para comemorar a virada de ano acontecem inúmeras festas. No dia 29/12, o Rio de Janeiro será sede da festa Máxima, que conta com a participação de vários DJs conhecidos, destaque para o espanhol Enrico Arghentini. Já no dia 02/01, a Máxima realiza a sua pool party. Para mais informações, clique aqui.A produtora Rosane Amaral vem mais uma vez com a R:evolution Party em duas edições: uma noturna, que acontece no dia 30/12, e a pool party, que acontece no dia 1º. Para compra de ingressos e horários, clique aqui.A Concorde, em Florianópolis, está com programação que vai do Natal ao Réveillon. No dia 25, acotece a Dance Floor Natal; no dia 29, a White Sensations; no dia 30, a Concorde realiza o seu pré-Réveillon; e, finalmente, no dia 31 tem a Réveillon Concorde Florianópolis. Preços e mais informações, clique aqui.Quem também se preparou para o final de ano foi o clube The Week. Para o Réveillon de São Paulo a casa reservou apresentação de Isaac Escalante, queima de fogos e shows com os seus "dancers". Já para o Rio de Janeiro a casa vai realizar uma edição da festa francesa Spirit of Star, que contará com os DJs Chris Cox (EUA) e Aurel Devil (França), e ainda um show com a cantora Lorena Simpson. Para mais informações, clique aqui. No dia 1/01, a The Week Rio realiza a festa Cosmopolitan, com as presenças dos DJs Peter Rauhofer, Gustavo Júnior, Jeff Valle, Flávio Lima e Ana Flor. Em São Paulo, o clube realiza mais uma festa Babylon. Nas picks-ups, Leandro Becker, Renato Cecin, João Neto e Paulo Pacheco (pista Babylon); e Morais, Kiron, Vlad e Herbert Tonn (pista Colours).Por fim, a E-Joy também realiza as suas festas de fim de ano, que serão três e todas realizadas em Florianópolis. A primeira acontece na Alameda Casa da Rosa no dia 30/12; a festa da virada será no Lagoa Iate Club, que segundo os organizadores promete uma vista deslumbrante ao amanhecer. Para mais informações, clique aqui.
a capa

Datena é advertido em processo por "discriminação homofóbica"


O apresentador José Luiz Datena recebeu uma advertência da Secretaria da Justiça de São Paulo, no processo administrativo que a Defensoria Pública move contra ele por "discriminação homofóbica".

O processo partiu de uma reportagem no programa "Brasil Urgente" durante a qual Datena usou expressões como "travecão butinudo do caramba" ao falar de um travesti.
A informação é da coluna Mônica Bergamo, publicada na Folha desta segunda-feira (27). A íntegra da coluna está disponível para assinantes do jornal e do UOL.
"Não houve discriminação. Falei sobre a agressão [depois da briga, o travesti empurrou o cinegrafista] e não sobre a opção sexual da pessoa", diz Datena.
A Defensoria vai recorrer pedindo que Datena seja multado em R$ 246 mil.
folha.com


Elton John é pai com ajuda de barriga de aluguel


O músico britânico Elton John tornou-se pai de um menino, nascido de uma barriga de aluguel na Califórnia, informou a "US Magazine" nesta terça-feira.Segundo a revista, Zachary nasceu no dia 25 de dezembro, gerado em uma barriga de aluguel e adotado por John, 62, e seu companheiro David Furnish, 48."Estamos extasiados de alegria e felicidade neste momento tão especial", declararam John e Furnish em um comunicado conjunto, citado pela US Magazine."Zachary é saudável e vai muito bem, e nós somos pais muito orgulhosos e felizes". O bebê nasceu com 3,5 quilos.John e Furnish casaram-se em 2005, após 12 anos juntos, e indicaram que não pretendem discutir com a imprensa qualquer detalhe da barriga de aluguel.
mix

Feira de negócios LGBT em São Paulo já recebe inscrições


A Expo Business LGBT vai rolar em 23 e 24 de julho de 2011 no Centro Fecomércio de Eventos, em São Paulo, e já está cadastrando interessados em participar da feira de negócios. O objetivo do evento é promover uma troca de ideias e negócios “totalmente focada em produtos e serviços orientados a um público específico, de alta escolaridade e grande poder aquisitivo”, segundo a organização.A programação completa e a ficha de inscrição você confere clicando aqui.
central

Pais de jovem gay suicida processam universidade


Os pais do jovem gay que se suicidou pulando de uma ponte norte-americana irão processar a universidade onde o rapaz estudava. Tyler Clementi se matou aos 18 anos em setembro último, após a divulgação de um vídeo em que ele aparece transando com outro rapaz. O material foi gravado e espalhado por dois outros estudantes. De acordo com a Associated Press, os pais de Tyler exigirão que a Universidade Rutgers os indenize, alegando falha na implantação de políticas que coibam a invasão de privacidade entre os alunos. Acusados pela produção do vídeo, Dharun Ravi e Molly W Wei, ambos também de 18 anos, deixaram a universidade e estão respondendo por violar a privacidade de Tyler.
central

domingo, 26 de dezembro de 2010

Vereador gay é eleito para secretariado da Câmara de Alfenas


A Câmara Municipal da cidade mineira de Alfenas realizou na última quarta-feira, 22, sua última reunião ordinária do ano, onde elegeu para 2° Secretário de sua Mesa Diretora o vereador Sander Simaglio (PV), um dos poucos políticos LGBT assumidos do Brasil. Sander vai ocupar o novo cargo dentro da casa de leis no biênio 2011/2012. Nos dois primeiros anos de seu mandato, 2009 e 2010, Sander ocupou a 1° Secretaria da Câmara, que será ocupada a partir do ano que vem por Jairo Carlos Campos (PDT).
central

As 24 personalidades de 2010


Há 11 anos o MixBrasil elege as 24 pessoas _gays, lésbicas, trans ou simpatizantes_ que mais se destacaram no ano. Em 2010 temos um gay assumido eleito deputado federal no Brasil, artistas mundialmente conhecidos ligados a causa gay, além de novelistas e programas de TV que ganharam audiência com participantes LGBT. Confira a seguir:Cristina KirchnerA presidente argentina Cristina Kirchner promulgou, em julho, a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo. A Argentina tornou-se oficialmente o primeiro país da América Latina a autorizar o casamento gay nacionalmente. “Não promulgamos uma lei, mas sim uma construção social, transversal, diversa, plural, ampla, que não pertence a ninguém, apenas à sociedade.”Ricky MartinSex symbol latino, o cantor Ricky Martin assumiu, em março, sua homossexualidade. Referência imediata no universo gay, Ricky lançou a autobiografia, “Eu”, onde conta os meandros de sua auto-aceitação e o caso amoroso com um radialista. “Hoje aceito minha homossexualidade como um presente que a vida me dá. Me sinto abençoado de ser quem sou!”, escreveu. Ricky também investiu em campanhas contra o bullying.Claudia WonderÍcone LGBT desde os anos 80, diva Wonder disse adeus em novembro, vítima de uma infecção causada por um fungo encontrado nas fezes de pombo. Deixou aos 55 anos uma legião admiradores. Foi consagrada ainda em vida com o doc “Meu amigo Claudia”, de Dácio Pinheiro. Finalizou sua trajetória ainda fazendo história: foi a 1ª trans a ter um velório na Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.Carlos TufvessonO estilista e ativista gay foi o nome escolhido para assumir a Coordenadoria Especial de Assuntos da Diversidade Sexual (Ceads) do Rio de Janeiro, que começa as atividades em 2011. Agora, “o cidadão LGBT do Rio não vai mais achar que não existe poder público para ele”, declarou. Ele também foi um dos indicados ao “Prêmio Faz Diferença”, promovido pelo jornal O Globo. Também é criador do evento “A moda na luta com o HIV”.Jean WyllysDepois de seis anos, desde sua vitória no Big Brother Brasil, o jornalista Jean Wyllys voltou à mídia por ter sido eleito deputado federal no Rio de Janeiro, pelo PSOL. Após a eleição, Jean garantiu trabalhar principalmente em prol da comunidade LGBT e do “povo de santo”. Em dezembro, uma possível recontagem de votos quase tirou a cadeira do professor, que foi diplomado em dezembro. Foi o primeiro deputado federal gay assumido eleito por uma plataforma LGBT.Coloridos BBBAngélica Morango, Serginho Osgastic e Dicésar (Dimmy Kieer) coloriram o Big Brother 10. Embora as trajetórias dos três não foi de extrema união, a presença gay esteve comentada durante todo o reality show, com direito a selinhos, paquera lésbica e drag montadíssima.François SagatO ator pornô francês (que agora se arrisca em filmes cult) foi sensação no Brasil em novembro, quando veio todo gostoso ao 18º Festival do Mix Brasil. Ele acompanhou a exibição dos filmes que contam com seu corpão e atuação, como “L.A.Zombie” (Bruce LaBruce) e “Homem no Banho” (Christophe Honoré). Sua passagem deixou um ensaio ousadíssimo para a revista JUNIOR de dezembro-janeiro.WanessaFilha de cantor sertanejo, Wanessa abandonou o sobrenome, as músicas melosas e investiu nas pistas gays de todo o Brasil. Ela também se engajou na causa LGBT, e disse que vai defender o casamento gay em contato direto com a presidente Dilma.Marina SilvaEnquanto muitos gays torceram o nariz ao verem a evangélica Marina Silva candidata à presidência, a candidata do Partido Verde surpreendeu. Foi a única que não apelou para o discurso descaradamente religioso – como Dilma e Serra fizerem – e deu um exemplo de tolerância LGBT. Na revista JUNIOR, foi a única entre os presidenciáveis a topar e conceder uma sincera entrevista somente sobre questões LGBT. Ela foi enfática ao dizer que, embora tenha uma opinião particular sobre casamento gay, asseguraria todos os direitos civis de homossexuais e casais gays.Jake ShearsAssumidíssimo desde o ensino médio, o vocalista do Scissor Sisters esteve no Brasil em novembro, e foi entrevistado pela revista JUNIOR. Jake está na campanha contra o bullying homofóbico “It Gets Better”, para mostrar que a vida melhora bastante depois que crescemos. “Fui perseguido por ser gay. Era bem difícil. E, você sabe, as crianças podem ser muito cruéis”, diz ele no vídeo.SandyEm carreira solo e casadíssima com o músico Lucas Lima, a cantora Sandy declarou, em novembro, ser a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. “Todo mundo tem direito de amar, de se envolver emocionalmente, socialmente. É um direito e não importa o sexo”, disse ao jornal O DIA. Popular entre as bees, a presença de homossexuais em seus shows é frequente.Lady GagaEm meio aos vestidos espalhafatosos (como a polêmica peça de carne), Lady Gaga é grande defensora dos direitos LGBT. A cantora fez um vídeo de apoio a uma estudante lésbica barrada pela escola, e agradeceu em seu Twitter a derrubada da lei que era contra militares gays nos Estados Unidos. No MTV 2011, recebeu o troféu das mãos de ninguém menos que Cher.James FrancoTotalmente friendly (embora isso custe comentários de que seja gay) o ator já coleciona personagens gays em sua história carreira, como nos filmes “Milk”, “Howl” e “Pineapple Express”. Em entrevista à “The Advocate”, em setembro, James declarou que gosta de interpretar gays, porque as histórias de amor hétero são chatas. Em 2010, ele foi capa da revista “Candy”, direcionada ao público trans, e vestiu-se de mulher para a ocasião.Ideraldo BeltrameNovo presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo (APOGLBT), Ideraldo foi eleito em votação realizada no início de outubro. Em entrevista ao Mix Brasil ele disse querer investir no potencial comercial do maior evento LGBT do mundo.Maria Adelaide AmaralSe não bastasse o lado gay que já existia nas novelas “Ti Ti Ti” e “Plumas e Paetês” originais, Maria Adelaide Amaral deixou a novela ainda mais colorida no remake que exibiu neste ano. Ela transformou um casal hétero no casal gay mais fofo da história da televisão, protagonizado por Julinho (André Arteche) e Osmar (Gustavo Leão). E, ao contrário da versão original, que morriam os dois num acidente de carro, a autora ainda salvou um, Julinho, que abriu o leque da temática com a mãe do ex.RaíEm tempos de homofobia, o eterno jogador do São Paulo provou ser friendly quando topou participar da campa “Sim, eu aceito”, a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo.Nany PeopleDepois de ter o nome citado em cada reality show que envolvia famosos, a drag-trans Nany People finalmente disse sim à terceira edição de “A Fazenda”. Siliconada e desbocada, ela revelou um lado materno, dedicada e brigona. Lavou ovelhas, chorou no parto dos animais e adotou candidatas como Mulher Melancia. Foi a quinta eliminada e saiu do programa ainda mais popular. “Agora quero mostrar que sou uma atriz de personagem A, B, C, D. Não só a Ninete de Tieta.”Lea TModelo transexual brasileira, Lea T ganhou as páginas de todo mundo ao estrelar a campanha da Givenchy e estampar editoriais de fotos para várias revistas. Filha do ex-jogador Toninho Cerezo, Lea enfrentou vários boatos de que não se dava bem com o pai, o que ela fez questão de desmentir. “Nos amamos”, disse. Vai desfilar na próxima SPFW, em janeiro, e sua agenda conta com cerca de 400 pedidos de entrevistas.Anette Bennig/ Julianne MooreAs atrizes arrasaram como um casal lésbico no filme “Eu, minhas mães e meu pai”. No longa, elas investem pesado na criação dos dois filhos adolescentes, que buscam conhecer a identidade do pai biológico. Julianne é velha aliada da causa LGBT e até participou de uma campanha contra o bullying. Ela foi capa da edição de número 100 da revista gay “Out”.KatyleneQuem esperaria que um blogueiro que se passa por uma travesti fosse ganhar um programa só seu? Pois Daniel Carvalho criou a ácida Katylene Beezmarky e atravessou as páginas de seu humorado blog sobre celebridades (e pseudo-celebridades) para um programa de fofocas na MTV.Malu de MartinoDiretora do filme brasileiro “Como Esquecer”, Malu de Martino trouxe de maneira delicada a superação da perda e do pós-relacionamento. No longa, Ana Paula Arósio e Murilo Rosa interpretam lésbica e gay. “Pareceu ser um desafio transportar para a tela grande a dor da perda a partir de um universo pouco explorado pelo cinema brasileiro, o LGBT.”André Arteche/ Gustavo LeãoNa pele de Julinho e Osmar, os atores André Arteche e Gustavo Leão caíram nas graças do público ao formarem o casal gay mais fofo da história da televisão brasileira. Nos primeiros capítulos, eles trocaram eternas juras de amor (protagonizaram quaaase um beijo) e, embora tenham se separado (Osmar morreu em um acidente de carro), fixaram o romance nos demais episódios. Em entrevistas, eles disseram que topariam um beijo gay, na boa.Evandro SoldatiO modelo brasileiro esteve onde muita gente queria estar: no clipe com Lady Gaga, Alejandro. Ele também protagonizou várias campanhas em todo mundo, além de estar todo à vontade na primeira edição da revista Made in Brazil.Kristen StewartA mocinha da saga Crepúsculo, Kristen Stewart, agradou o público lésbico pela interpretação no filme “The Runaways – As garotas do Rock”, inspirado na banda de rock formada somente por mulheres nos anos 70. No longa, Kristen deu um comentado beijo na atriz Dakota Fanning e teve um fã-clube montado somente por fãs lésbicas.
lifetyle

Ricky Martin revela desejo de adotar criança


Adotar ao menos uma criança está nos planos futuros de Ricky Martin. O desejo foi revelado durante entrevista ao programa "Extra", da TV norte-americana.
"Adoção deverá ser meu próximo passo. Adotar é lindo. Temos que incentivar", afirmou o cantor. Pai dos gêmeos Matteo e Valentino, nascidos com a ajuda de uma mãe de aluguel, Martin disse que os pequenos são sua total prioridade no momento, apesar de estar lançando novo CD. "Em 2011 só quero que meus filhos sejam felizes e que tenham saúde", derreteu-se.

lifestyle

Empresa mineira vai pagar R$ 30 mil a funcionário discriminado


A Justiça do Trabalho de Minas Gerais condenou nesta semana, por danos morais, uma empresa de nome não divulgado a pagar R$ 30 mil de indenização a um funcionário homossexual que foi ofendido por seu superior hierárquico por ser gay. No processo, o funcionário contou que constantemente era alvo de brincadeiras por parte de seu chefe, que se referia a ele usando termos pejorativos e fazendo comentários maldosos. A juíza substituta Sandra Maria Generoso Thomaz Leidecker, da 29ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, entendeu que “os atos praticados pelo coordenador da reclamada são de tamanha gravidade que se pode concluir que o quadro depressivo foi a resposta imediata do autor às agressões morais sofridas”. Com seu nome mantido em segredo de Justiça, ele alega ter tentado conversar com o chefe, mas não deu resultado. Ele então passou a apresentar um quadro de depressão e foi afastado do trabalho – quando voltou ficou sabendo que seu superior havia proibido os outros funcionários de conversarem com ele. Os recursos das partes ainda serão julgados pelo Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG).
pride

Fim de lei homofóbica faz aprovação de Obama subir


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ganhou 10% de aprovação nas pesquisas realizadas pela Casa Branca sobre sua popularidade depois de assinar o fim da lei “Don’t ask, Don’t tell”, que proibia gays nas Forças Armadas. Outro ponto responsável pelo aumento foi a aprovação do tratado de desarmamento nuclear Start, com a Rússia.A aprovação do governo de Barack Obama segundo as pesquisas estava em 46% na semana passada, antes do fim da lei homofóbica. Depois de terminar com a proibição, o presidente subiu 10% e agora tem 56% de aprovação dos atos de seu mandato.
pride

Novo livro de professor da USP faz amplo panorama dos LGBT no Brasil


Quem gosta de ler e tem fôlego vai gostar de saber que a Imprensa Oficial de São Paulo está lançando “Retratos do Brasil Homossexual – Fronteiras, subjetividades e desejos”, que tem organização do professor da Universidade de São Paulo (USP) Horácio Costa. São 452 páginas de textos escritos com as mais variadas visões por especialistas de diversas áreas como Direito, Sexualidade, Literatura, Arte e História – formando um rico panorama documental de conhecimento sobre a diversidade sexual no Brasil.A obra está dividida em cinco partes: “Homocultura e Direitos Humanos”, “Homocultura e Literatura”, “Homocultura e Arte”, “Universo Trans” e “Pensar ‘Identidades’”. São nomes como Claudia Wonder, João Silvério Trevisan, Maria Berenice Dias, Wilton Garcia e Ferdinando Martins, além dos textos dos espanhóis Pablo Peinado e Fernando Grande Marlaska e do peruano Giuseppe Campuzano – dentre muitos outros (são 35 autores). Todo esse material começou a ser preparado principalmente durante o IV Congresso da Associação Brasileira de Estudos da Homocultura (ABEH), realizado em setembro de 2008, em São Paulo, com o nome do livro, “Retratos do Brasil Homossexual: fronteiras, subjetividades e desejos”. Horácio organizou os artigos por áreas de conhecimento e montou uma enciclopédia com formato diferente do habitual para quem quer saber mais ou começar a saber sobre a diversidade sexual. São óticas novas, propostas renovadoras de se avaliar a não-heterossexualidade que lançam mão de argumentos baseados em documentos históricos, na Constituição e no bom senso das pessoas. (Clique aqui para comprar o livro).Em seu artigo, por exemplo, Horácio, ex-presidente da ABEH, abre o livro dizendo que “a contradição do Estado brasileiro torna-se aparente e a ética dá lugar à falsa moral: é em nome dela, e não naquele de sua concepção ideal, que status quo social e legal se erigem. Assim sendo, a aceitação do exercício pleno da homossexualidade como parte das garantias do direito coletivo tem, portanto, o caráter de purgação das distorções éticas do Estado brasileiro em seus fundamentos ideais e o concomitante caráter de sua recuperação moral”. “Retratos do Brasil Homossexual – Fronteiras, subjetividades e desejos”Organização: Horácio CostaEditora: Imprensa Oficial de São Paulo452 páginasR$ 38.
cultura gls

Ricky Martin posa todo lindo para revista gay Attitude


Depois de se assumir gay e escrever uma autobiografia, o cantor Ricky Martin posou bastante à vontade para a mais recente edição da revista inglesa gay Attitude. Capa da publicação, Ricky concedeu uma entrevista e fez o sensual .
cultura gls

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

RJ: Não precisava, diz jornalista sobre dia de combate à homofobia


A Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais - ABGLT, encaminhou uma nota de repúdio ao "Jornal Completo", de Cabo Frio. O motivo foi uma matéria publicada em 18 de dezembro sobre a recente aprovação do projeto que institui o 17 de maio como Dia de Combate à Homofobia no município fluminense.Assinada por Nicia Carvalho, a reportagem é aberta com a seguinte frase: "Precisar, não precisava, mas Cabo Frio também vai ter um Dia Municipal de combate à homofobia". Em nota encaminhada ao veículo, a ABGLT frisa o recrudescimento do preconceito percebido em vários setores da sociedade brasileira recentemente e a importância de iniciativas que combatam a homofobia.Além disso, o texto afirma que a jornalista feriu o artigo 6º do Código de Ética do Jornalista Brasileiro, segundo o qual é "dever do jornalista combater a prática de perseguição e discriminação por motivo ... de orientação sexual...".
central

Pais de jovem gay suicida processam universidade


Os pais do jovem gay que se suicidou pulando de uma ponte norte-americana irão processar a universidade onde o rapaz estudava. Tyler Clementi se matou aos 18 anos em setembro último, após a divulgação de um vídeo em que ele aparece transando com outro rapaz. O material foi gravado e espalhado por dois outros estudantes. De acordo com a Associated Press, os pais de Tyler exigirão que a Universidade Rutgers os indenize, alegando falha na implantação de políticas que coibam a invasão de privacidade entre os alunos. Acusados pela produção do vídeo, Dharun Ravi e Molly W Wei, ambos também de 18 anos, deixaram a universidade e estão respondendo por violar a privacidade de Tyler.
central

Advogado faz apelo por igualdade de direitos


Advogado especialista em Direito Constitucional de Belo Horizonte, Fábio Miranda usou seu conhecimento no ramo para pedir mais igualdade de direitos para os LGBT. O objetivo dele é dar uma resposta às recentes e infelizmente constantes notícias de homossexuais agredidos, que ganharam ainda mais força e destaque depois da onda de agressões na Avenida Paulista, em São Paulo. No vídeo, ele faz “um apelo às autoridades para que se conscientizem e implementem políticas públicas de igualdade, como preconiza a nossa Constituição da República. Que o nome de Deus não seja mais utilizado como justificativa para atitudes mesquinhas e preconceituosas. Chega de ódio gratuito”.
mix

Com Cher e Aguilera, Burlesque é repleto de referências gays


Previsto para entrar em cartaz em fevereiro de 2011, o filme Burlesque, do diretor Steven Antin, não deve agradar somente os fãs de Christina Aguilera e da diva Cher, mas também os admiradores de musicais e dos grandes shows de drag. Como já era de se prever – e o que a crítica internacional adiantou - o enredo não é dos melhores (no estilo bem água com açúcar), mas os números musicais (12 ao todo, a maioria protagonizado por Christina) são totalmente coloridos, gays e realmente fascinantes. Entenda:Dentro de um cabaré Burlesque de Los Angeles, a interiorana novata Ali (Christina) se encanta pelas bailarinas comandadas pela veterana-toda-poderosa Tess (Cher). Lá, Ali começa como garçonete, mas devido a sua insistência (e bota insistência nisso) chega cada vez mais perto de subir no palco e arrasar. Quando consegue, seu talento passa a incomodar Nikki (Kristen Bell), a bailarina mais paparicada do local, além de receber uma proposta tentadora de um empresário boa pinta.Embora esta seja a sua estreia nos cinemas (e sua personagem talvez não ganhe tanta popularidade entre o público), Christina manda bem e não compromete as cenas em que precisa atuar. Ao contrário, ganha força nos números musicais em que mostra sensualidade, o vozeirão e prova que não é mais uma cantora fabricada pela indústria musical. Na comunidade gay brasileira, deve agradar principalmente os que gostam dos shows de drags.Já Cher, vencedora de Oscar como melhor atriz, também entra nos musicais e tem dois números diferentes (não dançantes, pois ela quebrou e pé e não pode dançar). A primeira canção é mais animada (com bailarinas, luzes e tudo o que ela tem direito), mas a mais elogiada é a segunda, You Haven't Seen The Last Of Me, (mais pacata, palco escuro, sem platéia, somente Cher e o DJ). A canção venceu o Satellite Awards e concorre ao Globo de Ouro como Melhor Canção original..
Reprodução
O gostoso, a diva e a mocinha de Burlesque
Sua personagem Tess, porém, é praticamente uma cópia do que a artista representa em vida: bem humorada, diva e referência para as novas gerações, haja vista o subtítulo do filme “É preciso uma lenda... para criar uma estrela.” Com certeza, sua presença (e a volta aos cinemas) é um dos grandes atrativos do filme. O BONITÃOParalelo ao Burlesque, Ali se apaixona por Jack (Cam Gigandet, de 28 anos – o bonitão da vez), barman e músico do local, que já é comprometido. Ele recebe Ali para morar em sua casa, depois que a casa da cantora é invadida. E é com Gigandet (mais precisamente pelo seu belo corpo) que o público gay deve babar. Destaque para a cena em que o casal volta do cabaré e o barman acaba fazendo um inusitado strip-tease (com direito a bumbum), antes de finalmente terem a primeira noite de amor.Cam é conhecido pelo personagem Kevin, da série The O.C, e no filme Quebrando Regras. Ele também estrelou a saga Crepúsculo na pele de James. COLORIDOSAos 50 anos, o bonitão Stanley Tucci é um dos personagens gays do musical. Na pele de Sean, Stanley é o parceiro inseparável de Tess. É o gerente de Burlesque e ajuda a diva em toda a estrutura do local. Na cena do casamento de uma das dançarinas, Sean flerta com o DJ Mark (David Walton) e, momentos depois, Ali flagra Mark na casa de Sean, que estava dormindo descamisado. Ambos não sabiam nem mesmo o nome um do outro. Assumidíssimo, o ator Alan Cumming também está no longa e tem até números musicais dentro do filme, sempre cômicos. Ele interpreta Alexis, o mestre de cerimônias. Com Cher, Alan Cumming, Christina, bonitões e muita música de cabaré, Burlesque promete ser um dos filmes mais gays de 2011. Não perca!
cultura gls

Autor de peça sobre travestis religiosas diz que Nossa Senhora é a face feminina de Deus


Em 2010, Belém do Pará contou com um musical no mínimo polêmico: Ópera Profano. A premiada peça, escrita por Carlos Correia, traz travestis e garotos de programa aliados à religiosidade de Nossa Senhora de Nazaré. Ou seja, as travestis, ao contrário de qualquer estereótipo direcionado ao grupo, propagam o arquétipo da maternidade da santa. Em entrevista ao Mix, o dramaturgo, poeta e romancista Carlos Correia fala sobre a peça, a relação de suas obras com a comunidade LGBT e sobre o blog Mesmo que Não queira Eu te Contos, em que reúne os melhores contos, muitos sobre o público gay. Para ele, Nossa Senhora é a face feminina de Deus. Veja:Carlos, antes desse musical, você já abordou a comunidade LGBT nos seus textos e produções?Sim, tenho vários trabalhos em que mergulho na temática LGBT. O início dessa relação literária foi com o prêmio que ganhei em 1999 no concurso de textos do gênero promovido por uma editora carioca, a Litteris. Mas ainda era um início tímido. Outro momento marcante é com a peça NU NERY, um texto no qual revisito a vida e a obra do célebre poete e artista plástico Ismael Nery. A dramaturgia investiga a relação artístico-afetiva que Ismael travou com sua esposa Adalgisa Nery e com o amigo do casal, o poeta mineiro Murilo Mendes. Há uma tensão homoafetiva na relação entre os dois. Em Ópera Profano, os símbolos considerados marginais estão aliados a outros considerados divinos. Como surgiu essa ideia? Nasceu da minha inquietação. Sou inquieto. Eu quero falar. Quero meter meu bedelho. E a dramaturgia é uma ferramenta sine qua non para isso. Desde adolescente sempre me inquietou, por exemplo, o fato de que aqui em Belém existir um célebre cinema de filmes pornográficos que fica bem em frente à Basílica Santuário de onde sai e onde termina o famoso Círio de Nazaré. O cinema é um ponto de encontro de gays, garotos de programa, travestis, toda a fauna dos ditos excluídos, e também pais de família que escondem seus desejos homfoafetivos e os liberam no cinema. Seres que usam as sobras do cine Ópera para saciar seus prazeres, suas carnes. Tudo isso bem em frente ao símbolo do divino. Isso é super latino-americano!Mas você não parou por aí. Trouxe a polêmica presença de Nossa Senhora...
É o eterno embate entre o sagrado e o profano. Então pensei: e se tudo isso se misturasse? E se Nossa Senhora entrasse nesse cinema? Esses travestis, esses garotos de programas, todos esses gays são tão filhos de Deus quanto quaisquer outros que acompanham o Círio. Então nasceram as cenas, a obra, a dramaturgia que criada sob forma de musical para metaforizar o nome do cinema Ópera, Cine Ópera. Há cinemas como o Ópera em todo o Brasil e é, portanto, uma história brasileira. Unir grupos tão discriminados como travestis e garotos de programa à religiosidade gerou polêmica. Houve rejeição do público de Belém? A peça é um sucesso. Mas as manifestações de intolerância acontecem sempre. Pessoas que se levantam e se retiram, aviltadas. Pessoas que fazem comentários pesados na internet. Mas também pessoas que se comovem, que se encantam, que se permitem entender. Porque, no fundo, a questão é essa: permitir-se entender. Você procurou humanizar esses personagens marginais. Como se deu esse processo? A peça discute, acima de tudo, o colossal arquétipo da mãe. As três travestis em cena são, falam, tratam ou explicitam aspectos da maternidade. E eu quis criar esse choque: quis fazer a platéia entender que o materno pode sim estar num travesti. Nossa Senhora é a grande representação do materno. O garoto de programa é a voz da ira. Foi violentado quando adolescente pelo padrasto. A cena mais dramática da peça se dá quando o garoto volta ao passado e conta como foi violentado. Sombras invadem o palco e copulam com ele a força. Sombras do padrasto Além da questão maternal, elas também são religiosas...As três travestis em cena são religiosas, profundamente religiosas. A que está morrendo, vítima de HIV, sonha em se aproximar da Santa porque foi rejeitada por sua mãe. Ela acredita que a Virgem, sim, é capaz de entendê-la. Tem a travesti que cuida de todos e que esconde um segredo: tem um filho. Com tantos símbolos polêmicos, a peça não chega a cair no sensacionalismo?Sempre tive muito receio disso. Nunca quis que a peça virasse um mote escandalizante, algo que chamasse a atenção meramente pelo jocoso. A minha grande alegria é ver que tenho conseguido isso. Primeiro quando o texto ganhou o Prêmio Cidade de Manaus. Talvez para o resto do país seja difícil entender isso, mas Belém e Manaus têm pelejas históricas. Dificilmente uma abaliza a outra. Quando ganhei o prêmio em Manaus, já pude perceber a força que o texto tinha para quebrar preconceitos. Depois ao ver as pessoas saírem emocionadas, mexidas, tocadas. Mais que buscar polêmica, a peça é um grito de humanização. Você é religioso?Sim, sou sim. E isso é que é bacana. Acredito em Deus, Nossa Senhora de Nazaré. Sou daqueles que acompanham o Círio, que se emocionam com a passagem da Santa na berlinda. Eu acredito em Deus, mas num deus que é também Deusa. Acredito numa força criadora que é hibrida e entendo Nossa Senhora como a face feminina desse Deus.
cultura gls

CQC discute homofobia com artistas e especialistas


O “CQC”, da Band, dedicou seu “Documento da Semana” à homofobia no programa que foi ao ar na noite da última segunda-feira, 20. O sempre friendly Rafael Cortez foi conferir o beijaço da Ofner e dá ainda um panorama dos crimes contra LGBT. A matéria tem ainda Felipe Andreoli conversando sobre homofobia no esporte, Salete Campari no ringue e opiniões de artistas e especialistas.
mix

Veja fotos dos atores que serão gays em nova novela da Globo


Prevista para estrear em 17 de janeiro substituindo "Passione", a novela "Insensato Coração" promete levar vários personagens gays para o horário nobre. Você já viu aqui no Mix que a trama terá Leonardo Miggiorin na pele do afetado Roni e Cristiana Oliveira como uma detenta lésbica. Mas a história de Gilberto Braga deve ter mais quatro personagens homossexuais. Alguns deles, os mais cômicos, devem girar em torno do quiosque gay de Sueli, interpretada por Louise Cardoso. Com direito a bandeira do arco-íris e tudo mais, o point ficará na praia de Copacabana.Mas vai ter gays também em um núcleo mais sério, como o professor de Direito Hugo e o advogado Nelson. A homofobia será abordada na trama com Cássio Gabus Mendes interpretando um jornalista que tem preconceito com o próprio chefe, Álvaro, que é homossexual. O ator que vai dar vida a Álvaro ainda não foi definido.Na galeria a seguir, você confere os atores já confirmados para papéis gays em "Insensato Coração".
cultura gls

Livro Anjos não nascem nas Igrejas revela contradições das evangélicas


Escrito por Ed Lopez, o livro “Anjos não Nascem nas Igrejas” (Desfecho Romances), retrata, através da história do pré-adolescente Eduardo Luiz Morais, as contradições das igrejas evangélicas, cercada por homofobia, e a maciça presença de homossexuais (de fiéis a pastores). O fio condutor das várias histórias que se entrelaçam é Eduardo, um garoto simples e ingênuo de 12 anos que passa a ser criado pelos avôs e sofre vários abusos sexuais do tio Doca, que almeja tornar-se pastor. Sempre acompanhado de amigos da igreja (que mudam da infância para adolescência), o jovem namora Raquel, uma menina que não vê a hora de perder a virgindade, mas que ele segue a risca o dogma “só depois do casamento”. Até que se vê apaixonado pelo amigo Elias, com quem tem uma intensa história de amor às escondidas.A narrativa do autor é cinematográfica e faz viajar pela vila de Fortaleza, a ponte que é palco dos vários ataques homofóbicos, e a praia de Iparana (onde Eduardo protagoniza envolventes cenas de amor e sexo). “No final do dia os dois estavam pelados deitados sobre a areia da praia olhando para o céu que se apagava lentamente com a escuridão que chegava acompanhada das estrelas. Uma mão grande subia lentamente sobre uma pequena mão composta de dedos finos e a apertava. Arrepio de pelos. Fôlego quase que inexistente. Eduardo estava apaixonado.” Embora esta seja uma obra de ficção (com direito a um serial killer de gays), é possível identificar verossimilhança nas histórias e nos argumentos utilizados por homofóbicos religiosos. O autor narra, entre os enredos paralelos, a expulsão de Reginaldson, um fiel que é descoberto homossexual (e depois se torna travesti) e que não aceita passar por um processo de “cura”, após uma reunião com portas fechadas. Vítima de comentários sobre sua sexualidade, Eduardo também passa por tal reunião e, ao confirmar o caso amoroso com Elias, tem uma decepção vinda do amado.Há também um grupo chamado Cavaleiros do Apocalipse, composto por Doca (tio de Eduardo), Pedro (apaixonado por uma mulher casada e disposto a fazer de tudo para ficar com ela), Josué (gay enrustido que agride homossexuais com chicote num ritual agressivo de exorcismo) e Ismael (que saqueia o dinheiro das ofertas). Além de um garoto bastante introspectivo e voltado ao estudo minucioso da Bíblia chamado Gabriel.Mais que uma história, "Anjos não Nascem nas Igrejas" (como o próprio nome diz) é uma crítica à contradição de dogmas e a realidade das igrejas. Isso fica claro na frase do protagonista (pág. 289) com o pastor Ricardo, com quem ele também tem um rápido romance: “Fui humilhado perante toda igreja só por que amava uma pessoa do mesmo sexo e... quase seis meses depois transei com o pastor. Que tipo de igreja é essa? Que doutrina é essa que ninguém segue?” Uma ótima dica de leitura para as férias.O AUTOREd Lopez é natural de Aracoiaba, Ceará, e mudou-se ao Rio de Janeiro para estudar teatro. Dirigiu o curta-metragem "Soropositivo", que ganhou o Selo Oficial do Ministério da Saúde, e escreveu o roteiro de A Goiabeira, em que ganhou o concurso nacional de roteiros no Projeto Sal Grosso. Recebeu o Kikito no Festival de Cinema de Gramado, Melhor Filme na Mostra Curta Noite. O LIVROAutor: Ed LopezAno: 2010Gênero: RomancePáginas: 356Preço: R$40,00
cultura gls

domingo, 19 de dezembro de 2010

Manifesto LGBT leva 5 mil às ruas de Vitória


Capital do Espírito Santo, Vitória realizou no último domingo, 12, seu V Manifesto LGBT, que tem como tema “Votei contra homofobia. Exijo a minha cidadania!”. O evento reuniu cerca de 5 mil pessoas, segundo as entidades militantes que organizaram a manifestação. Com muito sol, teve marcha, apresentações de DJs e muito colorido.
central

Religiosos do RN protestarão contra gays invasores de igreja


Católicos e evangélicos da cidade de São José de Mipibu, no Rio Grande do Norte, vão protestar contra um grupo de gays que invadiu a paróquia de Santana e São Joaquim. O Ato de Desagravo ao padre Matias, pároco da Igreja, acontece na próxima segunda-feira, 20, às 18h30, com concentração na Praça da Saudade. O Arcebispo Metropolitano de Natal, Dom Matias Patrício de Macedo, promete estar presente. No último sábado, 11, um grupo que participava de uma Parada Gay promovida pela OnG Terra Viva, invadiu a Matriz de Santana e São Joaquim no momento em que era realizado o “Terço das Mulheres” para protestar contra um artigo escrito sobre direitos civis de homossexuais assinado pelo padre Matias. Segundo testemunhas, a invasão ocorreu por volta das 19h e os homossexuais acusavam o padre Matias de homofobia.A Polícia Militar enviou oito viaturas para o local. A Praça da Matriz foi o local escolhido para finalizar a Parada.
central

Ashton Kutcher vai participar da São Paulo Fashion Week


Sabe o Ashton Kutcher, ator gostosérrimo que esquenta a cama da sortuda Demi Moore? Então, ele e todo seu corpão vai desfilar aqui no Brasil. Kutcher será astro da campanha outono-inverno da grife Colcci. Por meio de sua assessoria de imprensa, a marca confirmou que o ex-modelo protagonista de filmes como "O Efeito Borboleta" vai participar da São Paulo Fashion Week 2011, que rola na capital paulista entre os dias 28 de janeiro e 02 de fevereiro. De acordo com a Colcci, Ashton Kutcher foi escolhido para ser garoto-propaganda por conta de seu estilo de vida "versátil e moderno, de um jovem que consegue ser chique casual ao mesmo tempo". As fotos da campanha serão feitas nos EUA, assinadas por ninguém menos que Steven Klein.

lifestyle

Células dos testículos podem curar diabéticos, dizem pesquisadores


Em breve homens portadores do diabetes tipo 1 poderão retirar células tronco de seus próprios testículos para substituir células secretoras de insulina que estiverem danificadas. Os resultados de um estudo sobre o assunto foram apresentados este mês durante a 50ª Reunião da Sociedade Americana de Biologia Celular, na Filadélfia, EUA. Realizada por pesquisadores da Universidade Georgetown, a pesquisa usou testes com animais para comprovar que células chamadas espermatogônias (SSC), que são retiradas do tecido testicular, têm a capacidade de se transformar nas secretoras de insulina, que são produzidas pelo pâncreas. "Não há células-tronco, adultas ou embrionárias, que tenham sido induzidas a secretar insulina o suficiente para curar a diabetes em seres humanos, mas sabemos que as SSC têm o potencial de fazer isso, e sabemos como melhorar o seu rendimento", afirmou Ian Gallicano, líder do estudo. Ainda segundo o pesquisador, a estratégia poderá ser usada em um futuro breve como tratamento padrão para homens com diabetes tipo 1.
lifestyle

Presidente da Fifa se desculpa por comentário sobre gays


O presidente da Fifa, Joseph Sepp Blatter, pediu desculpas por suas recentes declarações envolvendo a Copa do Mundo de 2022 no Qatar e torcedores gays. De acordo com a BBC, Blatter disse sentir muito pela fala infeliz, apesar de não entrar em maiores detalhes sobre a polêmica. "Se eu feri um grupo ao fazer este comentário, peço desculpas. Não é minha intenção fazer discriminação. É exatamente isso que combatemos. Se alguém ficou magoado, peço desculpas e me arrependo", disse na manhã desta sexta-feira, 17, nos Emirados Árabes Unidos. Você leu aqui no Mix esta semana que Joseph Blatter sugeriu que torcedores gays interessados em ir ao Qatar para assistir aos jogos do Mundial de 2022 deveriam evitar "qualquer atividade sexual". O presidente da Fifa respondia à uma jornalista que perguntou como seria a estada de turistas gays no Qatar durante a competição, já que o país considera a homossexualidade uma prática ilegal.
lifestyle

Cantor Nando Reis assume: desejo homens e mulheres


Prestes a completar 48 anos e 12 de carreira, o cantor Nando Reis declarou, em entrevista à revista de música Billboard Brasil, que sente desejo por pessoas de ambos os sexos. Ele disse que, embora não esteja dentro dos padrões de beleza, atrai os mais diversos olhares de homens e mulheres. “Sou ruivo, não sou bonito, não sou forte, faço uma música estranha, falo coisas estranhas...No entanto, sou cortejado por homens e mulheres, desejo homens e mulheres. E estou satisfeito por dizer: bicho, eu sou antipadrão e não tenho patrão.”Contrariando todo o mito que envolve seu nome, Nando considera-se uma pessoa simples e que nunca ouve seus próprios discos. “Não quero agradar a ninguém, não quero promover catarse, não quer ser símbolo, manter uma idolatria. Música, para mim, é comunicação”.
dramatica

Evangélicos se preocupavam mais com casamento gay que católicos, diz Gabriel Chalita


Terceiro campeão de votos nas urnas (perdendo somente para Tiririca e Garotinho), o deputado federal eleito Gabriel Chalita (PSB-SP) declarou que grupos evangélicos estavam mais preocupados com o casamento gay que o grupo de católicos. Chamado para fazer a ponte de Dilma Rousseff com os religiosos, Chalita foi responsável pelo discurso de temas polêmicos da candidata eleita pelo PT, como o aborto. Em entrevista à revista Época, Chalita, que chegou até ser cogitado como o próximo ministro da Educação ou da Secretaria de Direitos Humanos, confirmou que sua presença se intensificou no segundo turno, quando a questão religiosa tornou-se fundamental no debate entre Serra e Dilma. “No final do primeiro turno teve uma reunião com várias lideranças religiosas. Eles tinham uma preocupação maior com os evangélicos”, declarou.Levando Dilma para conversar com bispos (em uma reunião, ela chegou a discursar com 30 membros da igreja), Chalita diz que muitos bispos desarmavam os argumentos de outros bispos. O tema mais discutido entre os bispos era o aborto, liberdade religiosa e liberdade de imprensa. Já para a comunidade evengélica, o casamento gay era prioridade. “Para os bispos, o mais forte era aborto. Para os evangélicos, entrava a questão da união civil de pessoas do mesmo sexo.” De acordo com Chalita, os católicos não tocavam muito no debate sobre casamento gay nas reuniões. “Os católicos não falavam muito nisso”, desconversou.
pride

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Soube há 15 anos que Mel Gibson é homofóbico, diz Winona Ryder


Winona Ryder soube antes de todo mundo que Mel Gibson nutre sentimentos homofóbicos. Em entrevista em à revista "GQ" a atriz contou uma história ocorrida quinze anos atrás envolvendo o colega de profissão e um amigo gay. "Eu estava em uma dessas grande festas de Hollywood. E ele [Mel Gibson] estava muito bêbado. Eu estava com um amigo, que é gay. Ele fez uma piada horrível sobre gays. E eu me dei conta de que sou judia. Ele disse algo sobre os 'sacanas do forno' , mas eu não entendi. Eu nunca havia ouvido aquilo antes. Foi um momento muito, muito estranho. Pensei: 'Ele é um anti-semita homofóbico', mas ninguém acreditou em mim". A expressão "sacanas do forno" é uma forma bem pejorativa de tratar o povo judeu. Ela faz referência às milhares de pessoas cremadas pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial.Em 1991 a Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação - GLAAD acusou Gibson de homofobia depois que o ator fez comentários depreciativos sobre gays durante entrevista a um jornal espanhol. O ator depois se recusou a pedir desculpas e reafirmou sua opinião. Só oito anos após o ocorrido, Gibson reconheceu que não deveria ter dito aquilo, atribuindo à vodka sua língua solta.
mix

Reynaldo Gianecchini fala sobre fama de gay e Pintos Shopping


Um dos homens mais desejados do Brasil, o galã Reynaldo Gianecchini falou, à revista Quem desta semana, sobre os comentários de que seja gay e do curioso comercial que protagonizou, o Pintos Shopping.De acordo com o ator, ele não se incomoda com a fama de gay, e tão pouco lê tudo o que sai sobre ele na mídia. “Outra coisa que não faço é toda hora ir ao veículo (órgão de imprensa que divulgou) tentando desmentir a coisa, porque, senão, sinceramente, a gente não vive mais.”Reynaldo diz que é “degradante” ter que responder boatos, dizer que não fez ou que não é alguma coisa, e que seu atual lema é: “não deixar que isso interfira na minha vida, não me estressar com isso”. “Criar um boato é muito fácil. Destruir a imagem das pessoas é muito fácil. É uma irresponsabilidade danada e eu me recuso a compactuar com isso.”Já sobre ser alvo de piadas na internet com o comercial do Pintos Shopping, ele garantiu não ter percebido o duplo sentido. “Fui o primeiro a rir com isso. O slogan ‘Tudo o que você mais gosta, no lugar que você sempre quis’, para mim, não tinha nada de errado. Não tenho nada para me envergonhar.”
dramatica

Agressores da Paulista podem ser multados em R$ 80 mil


A Defensoria Pública de São Paulo anunciou na manhã desta quinta-feira, 16, que vai pedir a aplicação de multa para os cinco rapazes que agrediram homossexuais na Avenida Paulista em 14 de novembro. Jonathan Domingues e os quatro menores acusados de espancar o estudante de jornalismo Luís Alberto Betonio poderão ser obrigados a pagar R$ 16 mil cada um. O pedido deverá ser apresentado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, com base na lei anti-homofóbica que vigora em todo o Estado de São Paulo. Maíra Diniz, coordenadora do Núcleo de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito da Defensoria Pública, disse ao G1 ter ouvido de duas vítimas que a motivação dos ataques foi homofobia. "Eles [vítimas] afirmaram que os ataques foram homofóbicos porque os agressores confundiram as vítimas com homossexuais. Afirmaram terem sido chamados de gays e xingados de 'viados'". Ainda de acordo com a coordenadora, caso a aplicação das multas seja aceita, o dinheiro poderá ir para um fundo de políticas públicas de diversidade sexual, "se a comissão da Secretaria da Justiça assim decidir".A lei 10.948 está em vigor em São Paulo desde 2001. Ela prevê pena administrativa como advertência ou aplicação de multa para quem discrimina homossexuais. Se você for vítima de homofobia, não fique calado. Denuncie.
pride

Meninas ganham festa no Sonique para fechar 2010


O projeto Café com Vodka vai realizar mais uma edição no próximo domingo, 19, no Sonique, em São Paulo, mas mais uma vez voltada só para as meninas que adoram outras meninas. A partir das 19h, o “Café Para Elas” promete fechar o calendário lésbico paulistano de 2010 e ainda fazer caridade: até as 21h a entrada é VIP para quem doar brinquedos. Após as 21h, homens e mulheres pagam R$ 20 de entrada ou R$ 40 consumíveis.Quem levar os brinquedos – que serão doados a crianças carentes – entra de graça até 21h para conferir o som dos DJs Van Villaz, Ana Serroni, Cella Toledo, Cris Villela e Andre Rocc, que prometem ferver o Sonique com seus diferentes estilos de música, uma mistura que tem house, pop rock, indie, electro e tribal.Café Para Elas - 17 de dezembro, 19hSonique: Rua Bela Cintra, 461 - ConsolaçãoTel.: (11) 2628- 8707Domingo: Entrada VIP com brinquedo até as 21h. http://www.soniquebar.com.br/
cio

Comediante lésbica defende Oprah Winfrey


Não será tão cedo que a apresentadora Oprah Winfrey se livrará dos boatos de que é lésbica. Pelo menos não enquanto o assunto continuar sendo notícia. Depois que negou ter um relacionamento amoroso com a melhor amiga, Oprah foi defendida pela comediante lésbica Rosie ODonnell.De acordo com a atriz, que concedeu uma entrevista ao canal ABC News, Oprah está sendo verdadeira quando fala de sua sexualidade. “As pessoas não entendem a profundidade das amizades femininas. Tenho a mesma melhor amiga desde que tenho três anos”, disse ela. Rosie ainda disse que é insultante alguém pensar que a apresentadora está mentindo.
cio

Nany People revela com exclusividade todos os bafões de A Fazenda


Em 2002, a drag Nany People foi convidada para participar do reality show Casa dos Artistas, no SBT. Negou. Afinal não queria aparecer de homem na televisão. Oito anos depois, já como mulher transexual, ela apareceu linda, siliconada e desbocada na terceira A Fazenda (Record). Quinta eliminada, há quem diga que o programa valeu somente até a sua participação, repleta de gargalhadas, brigas e cuidado de mãe com os participantes. Na Casa dos Artistas você disse que entraria como Nany e acordaria como Dunga, mas atualmente você é 100% Nany. Como se descobriu transexual?Eu sempre soube. Quando eu tinha uns quatro anos já era bem visível essa minha condição. Com seis anos eu mudei para Poços de Caldas e foi um choque. Na escola, eu não pude sair no recreio no dia seguinte. Todo mundo percebeu que eu era muito diferente dos meninos e gritavam “mulher do padre, mariquinha”. Não era nem bullying, era Tieta sendo escorraçada mesmo. Minha mãe foi até chamada e eu não pude ficar na escola. Fui para um colégio de padre e lá eu descobri a carreira artística. Você se montou pela primeira vez com quantos anos?Com 18 anos eu me montei em Poços. Era um bloco de carnaval de caricatos, mas eu fui de bonita. Meu irmão foi para brincar, mas eu fiz a gostosa, eu acreditava. Ali não parei mais. Quando tinha festa a fantasia de aniversário, eu ia de mulher. Eu me realizava e me realizo até hoje. Lembro que na Fazenda, depois do trabalho árduo que a gente desenvolvia todos os dias, eu me maquiava. Neste momento, o Carlos Carrasco dizia “Nany, é o seu melhor, né?” É aquele lance de olhar para o espelho e dizer: Hora do show pessoal!Hoje a Nany People é uma personagem ou é seu alter-ego?A priori era um personagem. Mas eu consegui fazer uma coisa que pouca gente reconhece. Eu trouxe para a Nany People os dotes éticos, morais e pessoais do ator que a faz. Porque tanto como Drag ou como trans eu não correspondia a expectativa do que achavam que fosse. Não fiz o que esperam que uma trans faça, que é andar com o peito na bandeja. Na Fazenda, mesmo, os vestidos eram todos no joelho.Você foi uma das primeiras drags a querer colocar peito, investir na aparência 100% feminina. Foi difícil?Foi muito difícil, pois isso implicava muita coisa. Implicava, além de uma mudança radical no meu jeito de ser, na minha própria sobrevivência. Eu deixei de ser drag e a comunidade gay reagiu muito mal. O público em geral achou um absurdo. É por isso que eu faço uma critica à comunidade GLS, que fala sempre em respeito. Como é que querem ter respeito, sendo que não respeitam a própria classe? Quando decidiu definitivamente assumir a Nany transexual?É assim: Quando você tem 20 faz tudo para ser aceito. Com 30, você olha para o seu umbigo. Com 40, quando você descobre que a metade da ampulheta já caiu a areia, você não pode mais fingir que sabe, você tem que estar declamando. Então quando eu cheguei perto dos 40 eu disse: Não quero fingir que eu tenho, quero estar possuindo. Fui para Portugal fazendo uma matéria e voltei deprimida, porque eu estava namorando um cara, que sempre me via montada e bonita. Quando eu cheguei de viagem, ele foi me visitar sem me avisar. Ao abrir a porta, ele perguntou: “Por favor, a Nany está?” Pensa bem, ele conhecia a Morticia, daí a abre a porta e aparece o Tio Chico. Tive uma crise e decidi fazer as mudanças. E a cirurgia de transgenitalização?ENTÃOOO... a cirurgia é igual a fazer lipo, mas ninguém fala do pós. Tenho uma amiga que fez buceta há 8 anos e não conseguiu dar até hoje. Quando alguém fala que é trans não é porque cortou, que tem o papel masculino na cama. Ser trans tem a ver com o seu comportamento. Me perguntaram se eu era ativa, e eu respondi: “Sim, eu dou primeiro”. Eu ia fazer uma cirurgia com 28 anos, mas minha mãe pegou um ônibus e disse: Pelo amor de Deus, não faça isso. Se você acha que buceta prende homem, buceta não prende ninguém. Aí eu entendi. Você tem uma personalidade forte, não pensou que participar de um reality show fosse prejudicar sua carreira?Sou respeitada na minha vida pessoal justamente por ser assim. O problema é que na televisão tudo fica muito maior. Tenho como filosofia de vida que as pessoas fazem com a gente o que a gente deixa. Chegou a ver alguma coisa antes do programa?Não cheguei a ver nada. Procurei um vídeo no Youtube e vi a briga do Theo Becker. Achei uma bobagem. Mas quando você está lá, descobre que qualquer conceito daqui não se aplica. Lá é outra coisa. Ficar sem água, sem gás, com um microfone gritando na sua orelha não era tão simples. Vi que temos uma sociedade muito complicada, serviu para confirmar a tese: vivemos numa total inversão de valores. Quem é bom é idiota. Quem é honesto é babaca. Quem é carinhoso é carente. Quem fala a verdade é besta. A gente criou um comportamento de transgredir tanto que a transgressão hoje em dia é normal.
pride

Elza Soares participa de campanha em prol do casamento gay


Considerada a melhor cantora do século pela BBC de Londres, a cantora Elza Soares participa deste mês da campanha “Sim, eu Aceito”, promovida pela revista JUNIOR e site Mix Brasil, que visa apoiar “A livre expressão do amor e o direito universal ao casamento”, ou seja, o casamento gay. Elza, que já foi coroada madrinha da comunidade LGBT e sempre declarou apoio à diversidade sexual, declarou: “Como poderia pensar em ser contra o amor? Se estamos falando de amor, união, é claro que eu aceito.”As fotos foram realizadas durante as apresentações especiais de Elza com o grupo “Nó em Pingo Dágua”, no SESC, em São Paulo. Ela está na mais nova edição da revista JUNIOR, já nas bancas!A campanha “Sim, eu Aceito” visa trazer personalidades que são referência em suas áreas para apoiar a união entre iguais. A ideia também ocorreu na Argentina e na Califórnia, onde vários famosos (como Lance Bass, Cher...) vestiram a camisa e apoiaram o casamento. NO BRASIL, já participaram da campanha “Sim, eu Aceito” o jogador Raí, a atriz Marisa Orth, o cantor Rogério Flausino, a apresentadora Astrid Fontinelli, o apresentador Cazé e a atriz Betty Faria.
pride

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Representantes do movimento militante mineiro se reuniram no último dia 2, em Belo Horizonte, com a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) para discutir


O documentário “Bailão”, de Marcelo Caetano, continua ganhando prêmios em festivais de cinema pelo Brasil. Contando a história de homossexuais com mais de 60 anos que frequentam o local que dá nome ao curta, a produção faturou o prêmio de melhor curta-metragem na categoria documentário do 17º Vitória Cine Vídeo, na capital do Espírito Santo.O festival divulgou seus vencedores na última sexta-feira, 10, e deu ainda a “Bailão” o prêmio especial Troféu Jangada, prêmio concedido pela Organização Católica Internacional de Cinema e pela Associação Católica Mundial para Comunicação (OCIC-SIGNIS Brasil) aos filmes que mais se destacam pela presença de valores humanos, éticos e espirituais.
O júri do festival argumentou a escolha do curta dizendo que ele “traz uma discussão mais do que urgente na sociedade atual: a intolerância às diferenças sexuais. O prêmio foi concedido pela pertinência do tema e a maneira delicada, porém corajosa, de sua abordagem. O júri ressalta, ainda, a linguagem original utilizada pelo diretor na concepção do trabalho”.
"Bailão" recebeu também o Coelho de Prata de Melhor Direção e o Prêmio Aquisição do Canal Brasil no Festival Mix Brasil deste ano, e melhor documentário no Festival Vale Curtas – Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). Sua última exibição pública de 2010 vai rolar na Mostra Curta Pará Cine Brasil, que rola no próximo dia 28 em Belém.
cultura gls

Polícia Civil mineira vai ter centro de atendimento LGBT


Representantes do movimento militante mineiro se reuniram no último dia 2, em Belo Horizonte, com a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) para discutir como a força policial pode atender melhor a população LGBT. O encontro na sede do Departamento de Investigação, Orientação e Proteção à Família (DIOPF) serviu para que fossem traçadas metas a serem cumpridas na busca por mais cidadania na Segurança. Dentre as decisões está a implantação do Centro de Atendimento Humanizado à População de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (CAH-LGBT). Para o delegado Wellington Peres, o Centro “contribui para a construção de um novo tempo, visto que Minas Gerais, inovando mais uma vez, é o primeiro ente da federação a implementar um centro de atendimento humanizado, no âmbito da segurança pública, destinado ao LGBT”.Confira as metas traçadas pela Polícia Civil e os militantes:- Implantação do Centro de Atendimento Humanizado LGBT na sede da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher, ao Idoso e ao Portador de Deficiência – DEMID;- Seleção de policiais civis e outros atores da sociedade civil para atuarem no Centro de Atendimento Humanizado LGBT;- Especialização de policiais e atores da sociedade civil para o aprimoramento dos trabalhos;- Inserção no Registro de Evento de Defesa Social (REDS), nos campos Provável Descrição da Ocorrência e Descrição da Natureza, a tipificação: HOMOFOBIA e nos campos de qualificação do envolvido, além do sexo, a orientação sexual; - Elaboração de instrumentos para a mensuração de dados sobre o fenômeno da violência e criminalidade contra grupos LGBT;- Minimização da impunidade contra os autores de crimes homofóbicos;- Participação da sociedade civil, policiais e de uma rede interdisciplinar no Centro de Atendimento Humanizado LGBT, que favoreça um espaço de discussão continuada, pesquisa, encaminhamentos e atendimento qualificado e efetivo.
pride

Presidente da ABGLT, Toni Reis recebe Prêmio das mãos de Lula


O Prêmio Direitos Humanos, que chegou, neste ano, à 16ª edição, foi entregue nesta segunda-feira, 13, a Toni Reis, reconhecido pela sua atuação na promoção e na defesa dos Direitos Humanos da população LGBT desde 1983. Toni é presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT).Participaram da cerimônia o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro Paulo Vannuchi, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e o ministro da Cultura, Juca Ferreira. O prêmio é considerado a mais alta condecoração do governo brasileiro a pessoas e entidades que se destacaram na defesa, na promoção e no enfrentamento e combate às violações dos Direitos Humanos em nosso País.A estatueta entregue neste ano foi idealizada pelo artista gráfico Elifas Andreato. Fundida em bronze com acabamento em pátina, base de granito preto e plaqueta banhada a ouro, a escultura chama-se “Maternidade”, e foi desenhada a partir da figura de uma mãe carregando seu filho.
pride

Cuba deve discutir uniões homoafetivas em 2011


O Parlamento de Cuba deve discutir em julho de 2011 o reconhecimento das uniões entre pessoas do mesmo sexo, segundo anunciou Alberto Roque, representante do Centro Nacional de Educação Sexual (CENESEX) do governo cubano, em um debate sobre políticas públicas durante a 25ª Conferência Mundial da ILGA, realizada neste mês em São Paulo.De acordo com ele, não deve ser fácil, pois existe oposição à discussão, que está inserida na reforma do Código da Família. O Parlamento vai decidir se casal continua sendo apenas aquele formado por um homem e uma mulher ou não, se um casal pode ser de dois homens, duas mulheres, etc. Para Alberto, “ao contrário do que crê o imaginário coletivo”, Cuba tem feito importantes avanços com relação à cidadania LGBT. Ele cita como exemplos a implementação da Estratégia Educativa pelo Respeito à Livre Orientação Sexual e Identidade de Gênero, as Jornadas Cubanas contra a Homofobia (realizadas já há três anos), a articulação de redes para a saúde das mulheres lésbicas e auxílio para a readequação sexual de pessoas trans.A 25ª Conferência Mundial da ILGA foi realizada no Hotel Shelton Inn, centro paulistano, entre os últimos dias 4 e 9 com uma programação cheia de debates, votações e tempo dedicado a uma reforma constitucional da ILGA. O evento elegeu ainda a sede da próxima conferência mundial, que rola em 2012 em Estocolmo, na Suécia.
pride

Deputado Jair Bolsonaro faz discurso inflamado contra vídeos educacionais anti-homofobia


De discurso em discurso, o deputado federal Jair Bolsonaro, do PP, tem se tornado a voz mais raivosa contra medidas anti-homofobia no Congresso. O deputado é aquele que acredita que palmadas possam “endireitar” homossexuais adolescentes. Agora o deputado foi para a tribuna do Congresso pedir apoio de seus colegas contra três vídeos educacionais que estão sendo analisados pelo Ministério da Educação. Os vídeos têm por objetivo levar às salas de aula do país a discussão sobre a diversidade sexual. Em um dos vídeos, “Encontrando Bianca”, um adolescente que tentava gostar de futebol para agradar o pai decidi assumir nova persona e passa a ser chamado de Bianca, com apoio dos professores e dos colegas. Em outro filme, “Torpedo”, duas amigas que se apaixonam em trocam carinho em uma festa (mãos no cabelo uma da outra), mas são fotografadas por um colega e as fotos chegam à internet. As meninas passam a ser ridicularizadas e resolvem assumir o que sentem uma pela outra. O vídeo termina com um abraço das duas no pátio do colégio (não há beijo como diz Jair na tribuna da Câmara). O terceiro e último filme, “Probabilidades”, é sobre a bissexualidade. Leonardo, de 15 anos, muda de cidade e faz amizade com Mateus, um colega de sua classe que é gay. Leonardo é hétero e passa a ser ridicularizado pelos outros alunos por cota da amizade, mas não liga para os comentários. Um dia eles vão juntos a uma festa e Mateus apresenta um primo seu a Leonardo. Leonardo fica a fim de beijar o menino, mas não o faz. Já em sua casa, ele percebe que também tem atração por meninos, além da certeza de que gosta de meninas. E que tudo bem gostar de pessoas independentemente do sexo. A proposta do material é combater a homofobia nos colégios do País.Os três vídeos estão em uma comissão da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) do MEC, para análise. Se aprovados, eles farão parte de um kit que também conta com uma cartilha para orientação dos professores que será enviado a seis mil escolas de Ensino Médio no ano que vem.
mix

Gabriela Duarte e Leandra Leal estão juntas na cama, vem ver


Gabriela Duarte e Leandra Leal são as mais íntimas na cama em ensaio e capa da revista “Joyce Pascowitch” deste mês. Deitadas juntinhas e bem à vontade clicadas por J. R. Duran em um ensaio intitulado “O Acerto Final”, elas falam sobre suas personagens Jéssica e Agostina na novela global “Passione” e esbanjam felicidade e humor em cenas que parecem ter sido capturadas sem pretensão.São 18 páginas de Leandra e Gabriela lado a lado, acertando de vez quem vai ficar com Berilo, vivido pelo ator gato Bruno Gagliasso. À revista, ele revela que “dizem que é uma fantasia ancestral do homem possuir duas esposas. Graças ao Silvio de Abreu, para mim, já é uma realidade estar em cena 'casado' com duas profissionais de tanto talento”. As fofas retribuem e se derretem elogios por Bruno. “Ele é um baita companheiro, divertido e super esforçado”.
cio

Transexual com vivência crossdresser, Luisa Stern conversa com o Mix Brasil


A palavra crossdresser (CD) ainda é desconhecida para muitos membros da comunidade LGBT. Na mídia, geralmente é utilizada para reportagens sensacionalistas ou curiosas. Já nas Paradas, baladas gays... pouco aparecem. Com vivência crossdresser, a funcionária pública de Porto Alegre Luisa Helena Stern foi a fonte de informação para muitos internautas. Fundadora da comunidade e do site “Cultura Cross Dresser”, em que aborda assuntos referente a transgêneros, ela surpreendeu muita gente ao se assumir publicamente transexual há dois anos.Hoje militante do movimento LGBT, Luisa esteve 25ª Conferência Mundial (ILGA), que ocorreu no início de dezembro, e conversou com exclusividade ao Mix Brasil. Aqui, ela fala sobre a vivência crossdresser, o cartunista Laerte e como se descobriu transexual. A maioria das reportagens envolvendo crossdressers tem teor sensacionalista ou curioso, como aconteceu com o Laerte. Você, que já teve essa vivência, acha que muita coisa ainda precisa ser dita?Ah precisa. A mídia não-especializada realmente é sensacionalista, busca por pessoas que estejam dispostas a fazer um freak show, aparecer lá como uma figura meio confusa, que nem sabem o que é crossdresser. O Laerte é um exemplo. Apesar de ter uma identificação com o termo, ter uma personagem, estar dentro de um clube, ele não tem muita ideia do que é ser crossdresser. Ele mesmo se perde muito na própria identidade, troca os termos.O Laerte se assumiu como CD, mas nunca se desmonta. Ele não seria uma travesti? Discordo. O fato de sair em público com roupas femininas não significa que ele já é travesti ou transexual. E tem algumas coisas que diferem até mesmo da maioria das crossdressers, que é sair vestido de mulher e falar o nome masculino. Isso causa constrangimento para elas. Para mim, ele não se encaixa no perfil de crossdresser, quanto mais de travesti ou transexual. A travesti não quer ser chamada de João em nenhum momento. Você acredita que a mídia peca principalmente por nem saber o que significa. Então me explica o que é crossdresser?Na tradução literal seria vestir-se ao contrário, com roupas do sexo oposto. Essa palavra foi adotada como símbolo da identidade de um grupo de heterossexuais que se vestiam de mulher lá nos início dos anos 60. São homens que levam duas vidas, que montam e se desmontam, que não fazem intervenções no corpo muito visíveis ou definitivas. Não significa que hoje, 50 anos depois, seja só formado por heterossexuais, existem muitos bissexuais e gays, mas os héteros são a maioria. A motivação de ser crossdresser é sexual? Ou é uma identificação com o gênero oposto? A questão de ser um motivador sexual é polêmica, cai naquele conceito médico que quer patologizar essas questões. O crossdresser não tem uma motivação inicial movida ao sexo. É diferente do que chamam de “travestismo fetichista” que é puramente sexual. O travestismo fetichista usa aquela roupa até o momento de ter o prazer, depois tira e sente até culpa. Já a crossdresser procura na troca de roupa um alívio para as pressões do mundo machista, de relaxamento.Como foi a primeira vez que vestiu roupas femininas?Não sei ao certo, mas foi quando era criança. Ficava no banheiro, vestia roupas da minha mãe ou da minha irmã. Mas não era uma montagem completa. Depois ficou meio adormecido na adolescência, início da fase adulta. Até que passei a morar sozinha, passei a ter mais privacidade e comprar as minhas coisas. Primeiro foi com uma ou outra peça de lingerie, depois peça de vestuário, peruca, maquiagem. No começo, se eu olhar para trás, vejo que fazia uma figura bem caricata. Fui aprendendo com o tempo. Pelo que li, crossdressers se realizam com a montagem. É possível mesmo se contentar com essa realização somente por algumas horas? Ser crossdresser não seria um passo para ser travesti? Vejo que a maioria das crossdressers tem um grande prazer na hora de se montar e uma tristeza na hora de se desmontar. Existe até um apelido dentro do clube que é a “síndrome de acetona”, quando tira o esmalte, a maquiagem... Mas quem é crossdresser típico, acaba indo tranquilamente para a sua vida masculina de novo. Uma das características da crossdresser é justamente gostar da vida masculina também. No meu caso, assim como acontece com alguns, foi um aprendizado. Tanto que, quando passei a usar roupa feminina pela primeira vez, não tinha ideia onde eu iria chegar. Foi progressivo: quanto mais me vestia com roupa feminina mais eu queria usar.A presença da crossdresser dentro da comunidade LGBT passa quase invisível. Você acha que as crossdressers são discriminadas? Não, eu acredito que as crossdressers se isolam e procuram se reunir em lugares fechados pela questão da privacidade, aquela coisa do “homem heterossexual que gosta de se vestir de mulher”. Ela é que não quer ir a uma balada GLS, ela é que procura se reunir em grupos fechados. No meio LGBT, o que existe em relação à crossdresser é desconhecimento. Gays não sabem se elas são transformistas, drags, travestis iniciantes. Fora de São Paulo o conhecimento sobre crossdresser é praticamente zero.
cultura gls

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Inserida em núcleo gay, Viviane Araújo deve recriar cena histórica em longa


Dentro do núcleo gay do filme “A Fronteira de Sangue”, de Ricardo Zimmer e Oscar Dias, a dançarina Viviane Araújo (conhecida geralmente pelos trabalhos como rainha do carnaval ou em humorísticos) estreia na sétima arte e deve recriar cenas de dança com temática gay históricas. De acordo com comunicado da produtora Beagle Filmes, Viviane vai dar vida a Bernadete, uma dançarina misteriosa que trabalha em um clube noturno e está inserida no universo gay. As cenas que envolvem o nome da dançarina buscam, por exemplo, recriar as imagens e danças do filme “Priscila, a Rainha do Deserto”.Ela dividirá os sets com Luciano Szafir, Carlos Vereza, Eva Wilma e Alcione. O filme é sobre a guerra dos chimangos e maracatos no Rio Grande do Sul.
dramatica

Luan Santana diz que é normal falarem que ele é gay


Depois dos boatos de que seria gay, Luan Santana evitou falar sobre o assunto homossexualidade e foi flagrado várias vezes com algumas mulheres. Agora, prestes a lançar seu segundo DVD, o jovem cantor voltou a responder se é ou não gay e declarou que é normal acharem que ele é homossexual. E explica o motivo: seu sucesso.“Meu 2010 foi perfeito. Fechei o ano sendo o maior vendedor de discos com 400 mil cópias. Quebrei o recorde da festa do Peão de Barretos, que é a maior festa de peão das Américas. Desde 1998 que não tinha tanta gente lá em um dia. No dia do meu show foram 220 mil pessoas, 15 milhões de pessoas assistiram ao meu show esse ano. Foram 250 shows, em 26 estados do país... Então acho que é normal a galera falar que sou viado, né? (risos).”Luan disse que considera absolutamente normal perguntarem sobre sua vida pessoal e que os boatos geralmente surgem quando tudo está dando certo. “Encaro bem, já acostumei. Tem perguntas que as pessoas me fazem constantemente, como se estou namorando ou não. Mas não ligo, acho normal”, declarou.
dramatica

"Todo mundo sabe que John Travolta é gay", diz a Princesa Leia de Star Wars


Os rumores de que John Travolta é gay voltou à tona depois que a atriz Carrie Fisher, conhecida por interpretar a princesa Leia de Star Wars, reafirmou que o ator é homossexual sim. Em entrevista à revista gay The Advocate, Carrie, que se diz amiga de Travolta, lamentou que o ator não lide naturalmente com sua sexualidade.“Meu sentimento sobre John sempre foi de ‘nós sabemos e não ligamos’. Eu sinto muito que ele se sinta desconfortável com isso”, declarou.Carrie comentou até mesmo sobre as medidas legais que ele tomou contra o site Gawker, que o tirou do armário e abalou o casamento com Kelly Preston. “Ele chama mais atenção quando faz essa confusão jurídica.”Ao falar sobre “As 10 coisas que Homens Gays devem saber sobre as Mulheres”, a atriz voltou a falar sobre o ator em tom de conselho: “Nós realmente não ligamos se John Travolta é gay.” Então tá!
dramatica

Em entrevista à ex-mulher, Gianecchini nega namoro gay


Em entrevista a sua ex-mulher no programa “Marília Gabriela Entrevista”, do canal pago GNT, Reynaldo Gianecchini voltou a afirmar que não foi namorado de seu ex-empresário, Daniel Matos, aquele do bafo com um apartamento no Rio. Marília aproveitou a super intimidade que tem com quem chama de Giani e mandou brasa nas perguntas sobre o suposto namoro dos dois.No programa que vai ao ar no próximo dia 19, o ator diz que “é uma história que eu quero explicar muito. Ele era meu administrador, não agente. Uma pessoa que eu imaginei que pudesse contar para sempre. Mas não posso ficar falando, pois está em juízo”. E desmente: “as pessoas falam isso porque têm e-mails dele, me ameaçando. Ele não era meu agente, muito menos meu namorado”.
dramatica

Lindsay Lohan quer substituir Oprah na televisão


A atriz e cantora Lindsay Lohan até que tem se comportado um pouquinho bem ultimamente, mas agora surgiu com uma notícia no mínimo engraçadinha: quer substituir a rainha do talk show Oprah Winfrey, que está se despedindo do trabalho que fez nos últimos 25 anos para dirigir seu próprio canal a cabo. Segundo executivos de emissoras disseram à revista australiana “Australia’s Woman’s Day”, Lindsay acredita de pés juntos que com a saída de Oprah existe um buraco na televisão – e que ela, quando não estiver no rehab, pode preencher o espaço deixado pela mulher mais influente dos Estados Unidos.
dramatica

Presidente Lula cria o Conselho Nacional LGBT


Já dando seu tchauzinho ao mais alto cargo do Executivo do Brasil, o presidente Lula criou por decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) nesta sexta-feira, 10, o Conselho Nacional de Combate à Discriminação – LGBT, que vai ter o “nome social” de Conselho Nacional LGBT. O Decreto n º 7.388, de 9 de dezembro de 2010, é assinado por Lula e pelo ministro dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi.Segundo o documento, que você confere na íntegra abaixo, o objetivo do órgão é “formular e propor diretrizes de ação governamental, em âmbito nacional, voltadas para o combate à discriminação e para a promoção e defesa dos direitos de LGBT”. O Conselho será composto por 15 ministérios e 15 organizações da sociedade civil.Diário Oficial da União, Seção I, páginas 2 e 3Nº 236, sexta-feira, 10 de dezembro de 2010 DECRETO No - 7.388, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2010Dispõe sobre a composição, estruturação, competências e funcionamento do Conselho Nacional de Combate à Discriminação - CNCD.O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos IV e VI, alínea "a", da Constituição, e tendo em vista o disposto nos arts. 24, § 2o, e 50 da Lei no 10.683, de 28 de maio de 2003,CAPITULO IDA FINALIDADE E DA COMPETÊNCIAArt. 1o O Conselho Nacional de Combate à Discriminação - CNCD, órgão colegiado de natureza consultiva e deliberativa, no âmbito de suas competências, integrante da estrutura básica da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, tem por finalidade, respeitadas as demais instâncias decisórias e as normas de organização da administração federal, formular e propor diretrizes de ação governamental, em âmbito nacional, voltadas para o combate à discriminação e para a promoção e defesa dos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - LGBT.Art. 2o Ao CNCD compete:I - participar na elaboração de critérios e parâmetros de ação governamental que visem a assegurar as condições de igualdade à população LGBT;
II - propor a revisão de ações, prioridades, prazos e metas do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - PNLGBT;
III - propor estratégias de ação visando à avaliação e monitoramento das ações previstas no PNLGBT;
IV - acompanhar, analisar e apresentar sugestões em relação à execução de programas e ações governamentais para a população LGBT e a aplicação de recursos públicos para eles autorizados;
V - apresentar sugestões para elaboração do planejamento plurianual, estabelecimento de diretrizes orçamentárias e alocação de recursos no orçamento anual do Governo Federal, visando à implantação do PNLGBT;
VI - apresentar sugestões e aperfeiçoamentos sobre projetos de lei que tenham implicações sobre os direitos e cidadania da população LGBT;
VII - participar da organização das conferências nacionais para construção de políticas públicas para a população LGBT;
VIII - articular-se com órgãos e entidades públicos e privados, nacionais e internacionais, visando o intercâmbio sistemático sobre promoção dos direitos de LGBT;
IX - articular-se com outros conselhos de direitos ou setoriais, para estabelecimento de estratégias comuns de atuação;
X - fomentar a criação de conselhos, coordenações e planos estaduais voltados à promoção de políticas públicas para a população LGBT;
XI - propor realização de campanhas destinadas à promoção de direitos da população LGBT e ao combate à discriminação e preconceito;
XII - propor realização de estudos, debates e pesquisas sobre a temática de direitos e inclusão da população LGBT; e
XIII - analisar e encaminhar aos órgãos competentes as denúncias recebidas. CAPÍTULO IIDA COMPOSIÇÃOArt. 3o O Conselho é constituído de trinta integrantes titulares, designados pelo Ministro de Estado Chefe da Secretaria de
Direitos Humanos da Presidência da República, para mandato de dois anos, permitida recondução, observada a seguinte composição:
I - quinze representantes do Poder Público Federal indicados pelos dirigentes máximos de cada um dos seguintes órgãos:
a) Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República;
b) Casa Civil;
c) Secretaria-Geral da Presidência da República;
d) Secretaria de Políticas para Mulheres da Presidência da República;
e) Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República;
f) Ministério da Saúde;
g) Ministério da Justiça;
h) Ministério da Educação;
i) Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome;
j) Ministério do Trabalho e Emprego;
k) Ministério da Cultura;
l) Ministério da Previdência Social;
m) Ministério do Turismo;
n) Ministério das Relações Exteriores; e
o) Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão; e
II - quinze representantes da sociedade civil, indicados por entidades sem fins lucrativos, selecionadas por meio de processo seletivo público, entre aquelas:
a) voltadas à promoção e defesa de direitos da população LGBT;
b) da comunidade científica, que desenvolvam estudos ou pesquisas sobre a população LGBT;
c) nacionais, de natureza sindical ou não, que congreguem trabalhadores ou empregadores, com atuação na promoção, defesa ou garantia de direitos da população LGBT; e
d) de classe, de caráter nacional, com atuação na promoção, defesa ou garantia de direitos da população LGBT.
§ 1o Poderão ainda participar das reuniões do Conselho, sem direito a voto, um representante de cada um dos seguintes órgãos:
I - Ministério Público Federal;
II - Ministério Público do Trabalho;
III - Magistratura Federal; e
IV - Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.
§ 2o A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República exercerá a função de Secretaria Executiva do CNCD.
§ 3o A participação no Conselho será considerada prestação de serviço público relevante, não remunerada.
§ 4o Cada membro titular referido nos incisos I e II do caput terá um suplente, que o substituirá em suas ausências e impedimentos eventuais.CAPÍTULO IIIDO PROCESSO SELETIVOArt. 4o O regulamento do processo seletivo das entidades da sociedade civil, nos termos do inciso II do art. 3o, será elaborado pelo CNCD e divulgado por meio de edital público em até noventa dias antes do término do mandato vigente à época, observadas as disposições do regimento interno.
Parágrafo único. O disposto no caput não se aplica à primeira composição do CNCD, cujos representantes da sociedade civil serão indicados por entidades selecionadas pelo Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.CAPÍTULO IVDA PRESIDÊNCIAArt. 5o A presidência e vice-presidência do CNCD, eleita anualmente, será alternada entre as representações do Poder Público e da sociedade civil.
Parágrafo único. No primeiro mandato, a presidência será exercida pelo representante do Poder Público e a vice-presidência, pelo representante da sociedade civil.
Art. 6o São atribuições do Presidente do CNCD:
I - convocar e presidir as reuniões do colegiado;
II - solicitar a elaboração de estudos, informações, documentos técnicos e posicionamento sobre temas afetos ao Conselho; e
III - firmar as atas das reuniões e emitir as respectivas resoluções. CAPÍTULO V DO FUNCIONAMENTOArt. 7o O CNCD formalizará suas deliberações por meio de resoluções, cuja publicidade deverá ser garantida pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.
Art. 8o As reuniões do CNCD somente serão realizadas com quórum mínimo de dezesseis membros votantes.
§ 1o As decisões do CNCD serão tomadas por maioria de votos dos presentes, ressalvado o disposto no art. 12.
§ 2o O regimento interno poderá exigir quórum diferenciado para a deliberação de determinadas matérias, desde que observado o quórum mínimo previsto no § 1o.
§ 3o Em caso de empate, o Presidente do CNCD terá o voto de qualidade.
Art. 9o O CNCD poderá decidir pela instituição de câmaras técnicas e grupos de trabalho destinados ao estudo e elaboração de propostas sobre temas específicos, por meio de ato prevendo seus objetivos, composição e prazo para conclusão dos trabalhos.
Parágrafo único. Poderão ser convidados para participar das câmaras técnicas e grupos de trabalho representantes de órgãos e entidades públicos e privados.
Art. 10. A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República prestará o apoio técnico e administrativo necessário à execução dos trabalhos do CNCD e das câmaras técnicas e grupos de trabalho eventualmente instituídos.
Art. 11. Para o cumprimento de suas funções, o CNCD contará com recursos orçamentários e financeiros consignados no orçamento da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.
Art. 12. O CNCD aprovará seu regimento interno, com voto de, no mínimo, dois terços da totalidade dos Conselheiros votantes, em reunião especialmente convocada para este fim, dispondo sobre as demais disposições necessárias ao seu funcionamento.
Parágrafo único. A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República expedirá, por meio de portaria, regimento interno provisório que vigorará até a aprovação de regimento interno pelo CNCD, na forma prevista no caput.Art. 13. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.Art. 14. Fica revogado o Decreto no 5.397, de 22 de março de 2005. Brasília, 9 de dezembro de 2010; 189o da Independência e 122o da República.LUIZ INÁCIO LULA DA SILVAPaulo de Tarso Vannuchi
pride