VEJA E OUÇA A DEFESA FERVOROSA DO SEGUIMENTO GLS GLBT GLBTT NA VOZ TROVEJANTE DO AMIGO BOCA ABERTA

Loading...
Mande suas críticas e sugestões
amigobocaaberta@gmail.com

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Veja como foi a entrega do Premio Rio Sem Preconceito



A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio promoveu na noite desta terça-feira, dia 28, a entrega do 1º Prêmio Rio Sem Preconceito. O evento, realizado no Teatro Oi Casa Grande, no Leblon, homenageou doze personalidades, das mais diversas áreas, que se destacaram na luta contra o preconceito. Elas foram eleitas por um grupo de vinte jornalistas. A premiação abriu a programação da 1ª Semana Carioca da Diversidade, em pleno Dia Mundial do Orgulho Gay.O prefeito Eduardo Paes destacou que “o Rio é uma cidade aberta que precisa estar a frente dessa questão. Esse prêmio é muito importante, mas é fundamental que sejamos capazes de construir políticas que possam permitir que não exista nenhum tipo de desrespeito tanto com os iguais quanto os diferentes”. Ele ainda elogiou o trabalho que vem sendo realizado pelo coordenador especial da Diversidade Sexual, da Prefeitura do Rio, Carlos Tufvesson. “O evento representa o reconhecimento a todas as pessoas que lutam contra o preconceito. A luta contra o preconceito é de todos. Não podemos deixar de reconhecer exemplos e nos inspirar neles. E preconceito não combina com o Rio”, afirmou Tufvesson.O representante do Governador Sérgio Cabral, o secretário de estado da Casa Civil, Régis Fichtner, destacou a atuação do governador do Rio na defesa pela tolerância à diversidade sexual: “O governo do Estado tem sido precursor nas questões da diversidade sexual e da tolerância no Rio de Janeiro. O governador Sergio Cabral foi o primeiro a provocar o Supremo Tribunal Federal no reconhecimento da união estável entre homossexuais. Como deputado, foi o primeiro a reconhecer uma lei que reconhece os direitos dos homossexuais, a pensão dos servidores. Enfim, o governador estimula e tem estimulado muito a questão da opção sexual, da valorização e do respeito”, enumerou.Ainda na premiação, público assistiu a apresentações da cantora Bebel Gilberto e a números de stand up comedy com os atores Aloísio de Abreu e Luis Salem. Outro destaque foi a presença da modelo transexual Lea T. Entre os homenageados da noite, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Ayres Britto; o deputado federal Jean Wyllys; o jogador de vôlei do clube Futuro, Michael; o diretor do grupo AfroReggae, José Júnior; além da cantora Preta Gil, dos novelistas Gilberto Braga e Ricardo Linhares, do apresentador Luciano Huck, de Lucinha Araújo (da Associação Viva Cazuza), e da modelo Lea T.


mix

Paraguai realiza 2a Parada da Igualdade L,G,B,T e HT



A Federación LGTB Paraguaya realizou no sábado passado, 25 de junho, a segunda edição da Parada pela Igualdade Lésbica, Gay, Bissexual, Transgênero e Heterossexual com o tema "Somos Felices, Somos Iguales"O dia frio e chuviscos intermitentes não afastaram a animadíssima multidão que marchou a partir da Plaza de los Héroes pelas ruas do microcentro de Assunção entre as 10h e 13h.
O evento foi apresentado por Simon Cazal, do grupo de militância lgbt SomosGay e Miguel Angel Auad da Chopa ( Comunidad Homosexual del Paraguay, o grupo mais antigo do país). As perseguições sofridas por homossexuais durante a ditadura Stroessner.


pride

Bolsonaro escapa de processo por homofobia



Por 10 votos a 7, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara rejeitou na última quarta-feira, 29, a abertura de processo disciplinar contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que foi instaurado há duas semanas. Os deputados alegaram que não se pode punir um parlamentar com base em suas opiniões.O parecer preliminar do deputado Sérgio Brito (PSC-BA) pedia que Bolsonaro fosse investigado por ter discutido com a senadora Marinor Brito (PSol-PA) e por suas declarações à cantora Preta Gil no programa “CQC”. Em sua representação, o PSol alegava que Bolsonaro havia cometido "abuso de prerrogativa parlamentar".Mas para os deputados do Conselho, não se pode punir um parlamentar com base em suas opiniões. Bolsonaro disse que as acusações eram um “lixo” e voltou a atacar os homossexuais: "Sou parlamentar com pê maiúsculo e não com agá minúsculo de homossexual".Líder do PSol, Chico Alencar (RJ) disse que Bolsonaro “tem verdadeira obsessão com homoafetivos" e “ódio à diferença". Já Jean Willys (PSOL-RJ) discursou dizendo que a liberdade de expressão não pode ser usada para ferir a dignidade alheia. "Sou homossexual com agá maiúsculo de homem, mais homem que o senhor, que fugiu da acusação de racismo porque racismo é crime e se refugiou na homofobia."Aqui embaixo a lista da votação:Contrários à continuidade do processo:Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB-SP)Augusto Coutinho (DEM-PE)Doutor Ubiali (PSB-SP)Edio Lopes (PMDB-RR)Fernando Francischini (PSDB-PR)Jorge Corte Real (PTB-PE)Lucio do Vale (PR-PA)Onyx Lorenzoni (DEM-RS)Vilson Covatti (PP-RS)Wladmir Costa (PMDB-PA)Favoráveis à continuidade do processo:Carlos Sampaio (PSDB-SP)Luiz Couto (PT-PB)Professora Marcivânia (PT-AP)Ricardo Izar (PV-SP)Sergio Brito (PSC-BA)Sibá Machado (PT-AC)Waldenor Pereira (PT-BA)Ausentes:Assis Carvalho (PT-PI)Jorginho Melo (PSDB-SC)Lilian Sá (PR-RJ)Mauro Lopes (PMDB-MG)Paulo Piau (PMDB-MG)


pride

Jovens e relações afetivas viram tema de debates em SP e RJ




A ESPM e o Globo Universidade promovem nos dias 4 e 5 de julho, em São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente, o segundo encontro da série Juventudes Brasileiras, com o tema “Jovens e Relações Afetivas”.Fatos recentes em vários países relacionam os jovens a situações de violência profunda como assassinatos e bullying. Parte da responsabilidade destes eventos é colocada na família, incluindo sua desestruturação e reestruturação sob diferentes modelos, incluindo casais poligâmicos e casamentos homossexuais. O encontro tem como objetivo discutir a importância da família neste contexto, como a ampliação de novas formas de vida afetiva e sexual impacta na juventude e as características que levam o jovem a fase adulta.Em São Paulo, no dia 4 de julho, o evento terá a participação do antropólogo e professor da PUC-Rio Roberto DaMatta e análises da psicóloga clínica e especialista em sexualidade Laura Muller, que participa do programa Altas Horas, da Rede Globo.Na capital carioca, no dia 5 de julho, Roberto DaMatta também participará junto com o sociólogo e pesquisador do IESP/UERJ autor do projeto “transições para a vida adulta”, Carlos Antonio Costa Ribeiro e o jornalista e professor da ESPM, Jean Wyllys. O projeto ainda pretende contemplar outros quatro temas até o final do ano: Jovens, Moda e Marcas (01/8 e 02/8); Juventude, Consumo e Cidadania (03/10 e 04/10); Jovens e Esporte (31/10 e 1/11) e Jovens, Conhecimento e Carreira (28/11 e 29/11).Debate “Jovens e Relações Afetivas”São PauloDia 4 de julho, segunda-feira, às 19hLivraria Cultura – Teatro Eva HerzConjunto Nacional: Av. Paulista, 2073 – Bela Vista – São Paulo / SPEntrada franca mediante inscrições no link http://bit.ly/kNXodXMais informações pelo telefone (11) 5085-4600Rio de JaneiroDia 5 de julho, terça-feira, às 19hESPM-RJ – AuditórioRua do Rosário, 90 – CentroEntrada franca mediante inscrições no site http://www.espm.br/Mais informações pelo telefone (21) 2216-2002


mix

Articulação de Gays repudia declarações de deputada católica






A Articulação Brasileira de Gays (Artgay) enviou na última terça-feira, 28, ofício à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro repudiando as recentes declarações da deputada estadual Myriam Rios, que relacionou a homossexualidade com a pedofilia em discurso na Casa de Leis.No documento enviado ao deputado Paulo Melo, presidente da Assembleia fluminense, a entidade opina que “a deputada feriu o decoro parlamentar ao comparar gays a criminosos como exploradores sexuais no Brasil”. Confira. Ofício 080/2011 Goiânia, 28 de Junho de 2011 Exmo SrPaulo MeloPresidente da Assembléia Legislativa do RJA ARTGAY – Articulação Brasileira de Gays – cumprindo sua missão de defesa integral da comunidade Gay no Brasil, representada nos 26 Estados e Distrito Federal , vem de Público manifestar seu repúdio pelas declarações da Deputada Myrian Rios (PDT - RJ) que ao discursar na Assembléia Legislativa do Rio (Alerj), na última terça-feira (22), disse que não contrataria empregados gays para trabalhar em sua casa, já que eles poderiam praticar pedofilia contra seus filhos e utilizar a prerrogativa da PEC para se manter no emprego, mesmo após cometer o crime.Entendemos que a declaração da deputada fere os artigos 3 e 5 da Constituição Federal do Brasil , e atingem diretamente a dignidade das pessoas humanas com orientação sexual Homossexual. Entendemos ainda que a Deputada feriu o decoro parlamentar ao comparar Gays a criminosos como exploradores sexuais no Brasil.Mesmo ciente que 95% dos crimes de abuso e exploração sexual no Brasil, inclusive no RJ são cometidos por pessoas de orientação sexual Heterossexual, e que muitos das violências sexuais contra crianças no mundo, no Brasil, e no RJ são cometidos por Padres da Igreja Católica, entendemos que não poderíamos generalizar e dizer que todos Heterossexuais são Pedofilos e que ninguém deveria contratar Heterossexuais para cuidar de crianças e muito menos que as famílias não deveriam deixar suas crianças aos cuidados de Padres no Brasil.Solicitamos, de ofício que esta Presidência, e por conseguinte esta mesa diretora cumpra o regimento interno da Alerj e abra uma sindicância interna e instaure inquérito administrativo visando a Cassação do mandato da Deputada Myrian Rios para que o preconceito e a discriminação não sejam a marca desta casa de lei.Léo Mendes Rodolpho CampbellPresidente da ARTGAY Coordenador da ARTGAY no RJ






mix

Cantoras lésbicas arrasam em reality da TV dos EUA



O reality show “The Voice”, que tem entre seus jurados a diva Christina Aguilera, está revelando as poderosas vozes de duas candidatas lésbicas assumidíssimas. Elas são as bem diferentes entre si Vicci Martinez e Beverly McClellan, que realmente em comum só tem a sexualidade.Beverly é do tipo mais durona, cabeça raspada na máquina zero, colete e várias tatuagens, além da voz poderosa e grossa. Já Vicci faz a suave e aposta na fórmula banquinho e violão tão cheia de sucesso entre as meninas que gostam de meninas.


mix

Peça em SP quebra estereótipo mostrando travesti bem sucedida





A Cia. de Artes Atores de Anga está em cartaz às sextas-feiras em São Paulo com a peça “Eu Te Amo por 48 Horas”, que conta a história de um amor inesperado entre a travesti Julia (Rafael Hernandes) e Aroldo (Paulo Moraes). Ela é bem-sucedida e ele é do tipo ambicioso capaz de tudo para alcançar o sucesso profissional.

“Para chegar a este conflito, eu pesquisei a vida de algumas travestis bem sucedidas no quesito profissão e nas suas relações, e que souberam conviver com a sua condição e com as suas fases de vida de forma corajosa, lutando pelos seus direitos, conquistando suas metas e nunca deixando para trás os seus valores de criação e família”, conta Paulo Moraes.Com direção de Lineu Carlos Constantino e texto de Paulo Moraes, a peça mostra um lado diferente das travestis, desconstruindo estereótipos e mostrando que elas podem sim atuar no mercado de trabalho além do sexo. O espetáculo fica em cartaz até o dia 29 de julho no Teatro Plínio Marcos.Teatro Plínio Marcos: Rua Clélia 33 - Shopping Pompéia Nobre, Piso SuperiorTel.: (11) 3864-312916 anos






cultura gls

sexta-feira, 17 de junho de 2011

SP: Miss Jacareí Gay rola no fim de julho



A cidade paulista de Jacareí já definiu a data de seu Miss Jacareí Gay 2011. O concurso de beleza trans vai rolar no dia 31 de julho, a partir das 20h, no Clube Saudade – Jardim Flórida. As inscrições estão abertas até o dia 15 de julho e a ficha e o regulamento devem ser pedidos pelo telefone (12) 3354-9800 ou pelo e-mail missjacareigay@revida.org.Podem participar do concurso candidatas maiores de 18 anos e que não tenham silicone em qualquer parte do corpo. A taxa de inscrição é de R$ 50. A realização é da ONG Revida.


central

Assembleia de Nova York aprova projeto de casamento gay. Proposta pode ser votada hoje no Senado



A Assembleia do Estado de Nova York aprovou nesta semana um projeto de lei que autoriza o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Agora, o projeto já está no Senado e pode ser votado ainda hoje.Na Câmara, a Marriage Equality Act (Lei de Igualdade de Matrimônio), apresentada pelo governador de Nova York, Andrew Cuomo, foi aprovada por 80 votos a favor e 63 contra.O projeto de lei permite que todos os casais se unam legalmente no Estado, suprimindo a atual barreira enfrentada por casais de mesmo sexo, reconhecendo assim suas relações, protegendo suas famílias e obtendo benefícios essenciais, segundo o texto oficial. Essa foi a terceira vez nos últimos anos que a assembleia do Estado de Nova York, de maioria democrata, aprova um projeto de lei que permite o casamento homossexual. Agora, a aprovação do casamento gay no estado de Nova York fica dependente do Senado, de maioria republicana (32 contra 26 democratas e 4 democratas independentes) e que, em dezembro de 2009, rejeitou um projeto de lei similar. Uma contagem extraoficial mostra que haverá um empate de 31 a 31 no Senado, mas um empate significa uma derrota da lei. Dos 30 deputados democratas, 29 devem votar a favor da medida. Ao menos dois senadores republicanos - Stephen Saland e Mark Grisanti - disseram que ainda não decidiram se são a favor ou contra. Os senadores republicanos têm sofrido pressões internas e do Partido Conservador. Uma pesquisa de opinião dentro do partido mostra um crescimento no número de apoiadores do casamento entre pessoas do mesmo sexo.


pride

Bolsonaro na berlinda: Conselho abre processo e pode cassar mandato de deputado



Acusado pelo Psol de disseminar preconceito, deputado diz que não há razão para puniçãoO Conselho de Ética e Decoro Parlamentar instaurou nesta quarta-feira (15) processo disciplinar contra o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), acusado pelo Psol de abusar das prerrogativas de parlamentar ao disseminar preconceito e estimular violência com declarações contra negros e homossexuais. O relator, deputado Sérgio Brito (PSC-BA) adiantou que vai apresentar parecer prévio no dia 29 de junho defendendo o andamento da investigação.“É praticamente impossível que isso [o arquivamento prévio da representação] aconteça. Não se trata de representação de um deputado, mas de um partido, por isso é improvável que eu vá decidir pela inépcia ou falta de justa causa da representação”, adiantou o relator.Esse juízo de admissibilidade é obrigatório pelas novas regras do Código de Ética (Resolução 2/11).Sérgio Brito esclareceu que o prazo para a defesa de Bolsonaro só começa a ser contado após a aprovação do relatório prévio. “A partir daí, são 60 dias úteis para investigação: 10 dias para a defesa, 40 dias para a apuração e 10 dias para a elaboração do relatório final”, disse. Se for cumprido o cronograma apresentado pelo relator, o parecer final será votado pelo Conselho de Ética no fim de agosto.AcusaçãoA representação cita declarações de Bolsonaro contra homossexuais e a discussão com a senadora Marinor Brito (Psol-PA) no dia 12 de maio, durante debate sobre o projeto que criminaliza a homofobia (PLC 122/06, que tramita no Senado). Segundo o Psol, o deputado teria ofendido a senadora.O texto também relata a participação de Bolsonaro no programa CQC, da TV Bandeirantes. Quando perguntado sobre o que faria se o filho namorasse uma negra, o deputado disse que não discutiria “promiscuidade”. Depois da exibição do programa, Bolsonaro afirmou ter entendido errado a pergunta, confundindo negra com gay. O caso é alvo de outra representação na Corregedoria da Câmara.“Apresentamos uma série de documentos comprobatórios das posturas indecorosas de Bolsonaro contra homossexuais, negros e mulheres”, disse o líder do Psol, deputado Chico Alencar (RJ).“Lei Jair da Penha”Bolsonaro não participou da reunião do conselho. Questionado sobre o processo, acusou a senadora Marinor Brito de agredi-lo e ironizou, dizendo que, assim como a Lei Maria da Penha, deveria haver uma “Lei Jair da Penha”.“As imagens vão comprovar que eu fui agredido, fui chamado de corrupto pela senadora”, disse o deputado. “A representação diz que eu feri a feminilidade dela, mas a maneira como ela me tratou não representa a feminilidade da mulher brasileira. Se assim fosse, teria de criar a Lei Jair da Penha porque eu quase apanhei no Senado.”O parlamentar afirmou estar certo de que não será punido pois, segundo ele, a discussão faz parte da natureza do embate parlamentar. “Não estou sendo acusado de desvio de recursos ou de conduta. O julgamento é político. Eu sei que tem gente que quer me ver pelas costas, mas confio no voto da maioria”, disse Bolsonaro.LGBTMembro da frente parlamentar em defesa dos direitos LGBT, o deputado Jean Wyllys (Psol-RJ), disse que não espera a cassação de Bolsonaro, mas uma punição que o alerte sobre seu comportamento inadequado.“Algum tipo de punição tem de haver. Para todo direito de liberdade de expressão, há o dever de respeitar o outro e o deputado Jair Bolsonaro vem sistematicamente ofendendo a dignidade de homossexuais e de negros”, apontou Wyllys.


pride

São Paulo discute no sábado a homofobia nos Três Poderes



Parte integrante da programação do 15º Mês do orgulho LGBT de São Paulo, a Assembleia Legislativa paulista vai receber no próximo sábado, 18, a partir das 10h, no Auditório Paulo Kobayashi o “2º Seminário da Diversidade Sexual e Combate à Homofobia”. Com vagas limitadas, as inscrições custam a doação de duas latas ou pacotes de leite integral em pó (400g) no ato da inscrição.Uma realização da Ordem dos Advogados do Brasil seccional de São Paulo (OAB/SP) com apoio da militância, o evento tem como objetivo discutir a homofobia focando nos Três Poderes que regem a vida da população brasileira: Executivo, Legislativo e Judiciário. A programação você confere logo abaixo: 2º Seminário da Diversidade Sexual e Combate à Homofobia10h - Poder JudiciárioA jurisdicionalidade da diversidade sexualAdriana Galvão Moura AbílioMaria Berenice DiasUniões homoafetivas e os direitos das famíliasKátia BoulosA proteção da diversidade sexual no Direito comparadoGeorge Augusto Niaradi14 h - Poder ExecutivoA política de enfrentamento da homofobiaRachel Macedo RochaLei estadual 10.948/2001um instrumento no combate à homofobia no Estado de São PauloMaíra DinizPolíticas públicas para a diversidade sexualFranco ReinaudoMedidas judiciais de enfrentamento à homofobiaGustavo Menezes16h - Poder LegislativoIderaldo BeltrameO Direito como instrumento de afirmação das diferençasJean Wyllys2º Seminário da Diversidade Sexual e Combate à Homofobia18 de junho, 10hAvenida Pedro Álvares Cabral , 201- Ibirapuera – São Paulowww.oabsp.org.br


pride

Itália anula casamento de homem após ele se tornar mulher



Alessandra Bernaroli, 40, nasceu e se casou – no civil e no religioso - Alessandro, mas em 2009 fez a cirurgia de readequação sexual e se tornou Alessandra de vez, o que não havia lhe causado problemas até este mês, quando um tribunal da cidade onde mora, Bolonha, anulou seu casamento com sua mulher. E contra a vontade deles, que continuaram sendo um casal mesmo após a mudança.A anulação do casamento de Alessandra veio quando ela tentou regularizar seus documentos na prefeitura bolonhesa, trocando a identidade masculina pela feminina. Mas um funcionário anulou o casamento alegando não ser possível legalizar a união entre duas mulheres. "Pensei que fosse suficiente mudar o nome na certidão de casamento, mas eles decidiram que a gente tinha que se separar", disse ela à BBC Brasil.Em outubro, um tribunal da cidade de Modena, onde os casal celebrou sua união, já havia reconhecido que o casal tinha direito de permanecer unido legalmente. Mas a recente sentença do tribunal de apelação de Bolonha derrubou a permissão. O casal continua brigando na Justiça, no tribunal de última instância, para continuar junto. A sentença deve sair em até quatro anos. Mesmo não tendo uma lei que regulamente a união entre duas mulheres na Itália, ao mesmo tempo, segundo o advogado de Alessandra, Michele Giarratano, também não existe um alei que as obriguem a se divorciar. "Queremos que a Itália seja como o Brasil, por exemplo, onde as pessoas do mesmo sexo já podem conviver legalmente", diz Alessandra.


pride

ONU aprova resolução sobre direitos de homossexuais que deve ser aceito em todos os países




O Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovou nesta manhã resolução destinada a promover a igualdade de cidadãos de todo mundo sem distinção da orientação sexual.A votação foi apertada com 23 votos a favor, 19 contra e três abstenções. Brasil, Argentina, Coréia do Sul e outros países ocidentais votaram a favor, países islâmicos, africanos e a Rússia contra. A resolução, apresentada pela Africa do Sul, afirma que "todos os seres humanos nascem livres e iguais no que diz respeito a sua dignidade e seus direitos e que cada um pode se beneficiar do conjunto de direitos e liberdades sem nenhuma distinção de orientação sexual" e recomenda que seja realizado um estudo sobre as leis discriminatórias e as violências contra as pessoas por sua orientação ou atribuição sexual.O representante da Nigéria Ositadinma Anaedu acusou a Africa do Sul de ter "rompido a tradição do grupo africano" de buscar um consenso antes da votação de uma resolução. "Uma lástima porque a Africa do Sul é o pilar da Africa". O representante da África do Sul, Jerry Matthews Matjila afirmou que "ninguém deve ser submetido a discriminação ou violência por causa da orientação sexual" e que a resolução não busca impor valores aos países e sim iniciar um diálogo sobre o tema."É um avanço. É a primeira vez na ONU que se aprova um texto tão forte sob a forma de uma resolução, e deste alcance. Não se trata de impor valores ou um modelo e sim de evitar que as pessoas sejam vítimas de discriminação ou violência por sua orientação sexual", afirmou o embaixador francês Jean-Baptiste Mattei.A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, considerou que a resolução é histórica e “afirma que os direitos humanos são universais. Os indivíduos não podem ser deixados sem proteção em razão de sua orientação ou identidade sexual".Segundo a Anistia Internacional a homossexualidade continua sendo punida e indivíduos homossexuais perseguidos em 76 países.


mix

Espetáculo que conta a história dos gays no Brasil reestreia em plena semana da Parada



Baseada na obra "Devassos no Paraíso – A homossexualidade no Brasil, da Colônia à Atualidade", de João Silvério Trevisan, volta aos palcos de São Paulo na próxima sexta-feira, dia 24, a peça "Dizer e Não Pedir Segredo". A montagem tem direção de Luiz Fernando Marques e conta com os atores Luiz Gustavo Jahjah, Paulo Arcuri e Ronaldo Serruya no elenco.Em cena, o espetáculo busca a construção de uma identidade gay em paralelo a uma identidade brasileira. O texto, criado de forma colaborativa pelos atores e direção, embaralha os tempos, vai e volta cronologicamente, e constrói, numa linha evolutiva, um olhar sobre o desejo. Na obra em que a peça se baseia, Trevisan conta a história da homossexualidade no Brasil, com narração de várias histórias acontecidas em São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro, entre outros lugares, desde o período colonial. Histórias e casos de amigos também foram importantes na composição da dramaturgia.De acordo com o ator Luiz Gustavo Jahjah a curta temporada de 2010 foi vista por cerca de 800 pessoas e a reação mais comum do espectador era de sentir parte integrante de uma discussão (independentemente da sua orientação sexual) devido não só à aproximação dos atores com o público, mas também pela forma delicada com que o espetáculo apresenta a interatividade. “A peça propõe uma reflexão, pois não há mais tempo para se discutir apenas as causas da homossexualidade, é tempo de pensar o futuro, de extinguir a violência, exterminar o preconceito, usufruir direitos, instaurar a diversidade”, conta ele.Espetáculo Dizer e Não Pedir SegredoReestreia dia 24 de junho, às 21hTemporada: sábados, às 21h; domingos, às 20hLocal: Espaço Ivo 60 – Rua Teodoro Baima, 78 – CentroIngressos: R$ 20 e R$ 10 (meia entrada)Inf.: (11) 8564-4248


cultura gls

terça-feira, 14 de junho de 2011

Senador promete renunciar se lei anti-homofobia for aprovada



O senador Magno Malta (PR-ES) prometeu abandonar o Legislativo se projeto de lei que criminaliza a homofobia for aprovado. “Se o projeto de lei 122, que excita a criação de um terceiro sexo, for aprovado, com dignidade de cristão, renuncio do mandato de senador”, disse o parlamentar, ignorando totalmente a separação entre Estado e religião.Presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Família Brasileira, Magno Malta estampou a promessa de renúncia em sua página na internet. O senador ainda reforçou sua intolerância ao declarar que “criar castas, mudar costumes enraizados pela própria natureza e proteger a minoria com privilégios são fatos reais que ferem a justiça social em toda conjuntura. Preconceito é cegueira moral, não aceito nem a intolerância e conceito imparcial. Não estou legislando em causa própria, mas no mais legitimo dever de defender a família estruturada, o futuro de uma geração e de forma geral a vida na sua essência divina”.


pride


Então seu Senador, hipócrita, porco e FALSO MORALISTA, renuncie.

Recife realiza série de ações para atrair cada vez mais turistas gays



Recife vai intensificar seu plano para se tornar cada vez mais um destino turístico GLS. O trabalho que vem sendo realizado desde 2008 pelo Recife Convention & Visitors Bureau com a Empetur e a Secretaria de Turismo do Recife continua em setembro com mais uma rodada de formação do trade para receber o turista colorido.O projeto “Friendly LGBT. Pernambuco Simpatiza com Você” vai receber diretores da Associação Brasileira de Turismo GLS (Abrat-GLS) para falar sobre a evolução do mercado GLS e o atendimento a esse cliente. “A partir de situações reais, práticas e estudos de caso, serão abordados tópicos como a importância do posicionamento da marca, os cuidados na propaganda e promoção dos produtos e serviços e outros aspectos-chave para manter a sua marca viável, visível e saudável aos olhos do consumidor LGBT”, adianta Almir Nascimento, presidente da Abrat-GLS. Além da capacitação, Recife vai realizar também um evento em São Paulo para se apresentar mais uma vez como destino turístico GLS. Segundo André Corrêa, presidente da Empetur, o objetivo é “promover Pernambuco para um público selecionado e com potencial para apresentar ou até mesmo incluir o destino no seu portfólio, a exemplo de operadores turísticos, agências de viagens e a mídia especializada”.E será produzida ainda neste ano a segunda edição do Guia da Diversidade, lançado em 2009 com informações sobre locais de interesse do turista colorido. “O material indicará programações na cidade e locais onde o visitante poderá se divertir com alegria e respeito, contribuindo assim para que se identifique e queira voltar outras vezes ao destino”, aponta André Campos, secretário de Turismo do Recife.


mix

Coordenador da diversidade sexual, Carlos Tufvesson recebe pedido de casamento




Coordenador da diversidade sexual da Prefeitura do Rio de Janeiro, o também estilista Carlos Tufvesson recebeu na última sexta, dia 10, um pedido de casamento do arquiteto André Piva, com quem vive há 16 anos.“Fui surpreendido, mas claro que aceitei na hora porque ele é minha cara metade, a pessoa da minha vida. Mas tive que perguntar, poxa, depois de 16 anos juntos você ainda quer casar comigo?”, brincou ele.Tufvesson foi um dos nomes mais atuantes junto ao Supremo Tribunal Federal, pressionando pela aprovação do reconhecimento da união estável homoafetiva, consolidada no último dia 5 de maio.


mix

Adoção por casais gays é tema de palestra em Santo André



A “Adoção Homoafetiva” vai ser o tema de uma palestra no próximo dia 30, a partir das 19h, em Santo André. Quem ministra a palestra é o advogado, juiz aposentado e professor universitário Antonio Augusto Guimarães de Souza, que contribuiu ainda na elaboração da Convenção de Haia número 33, que trata de adoção.Uma realização da OAB de Santo André, o evento vai rolar na Casa do Advogado, que fica na Avenida Portugal, 233 – Centro. A inscrição é 1 kg de alimento não perecível. Mais informações pelo telefone (11) 4994-3040 ou pelo email secretaria.stoandre@oabsp.org.br.


mix

Militantes chamam LGBT para marcha em São Paulo



A Frente Paulista Contra a Homofobia está convidando a população LGBT para reforçar o grupo da Marcha Nacional da Liberdade, que rola no próximo dia 18, em São Paulo, a partir das 14h, com concentração no vão livre do MASP (Avenida Paulista, 1578).O objetivo da marcha é reivindicar um país livre da violência, da corrupção e do autoritarismo. A Frente vai aproveitar para pedir também a criminalização da homofobia, o uso do nome social por pessoas trans e o direito ao casamento civil igualitário. É para levar guarda-chuva do arco-íris e toda sorte de materiais coloridos.


central

Justin Bieber ganha paródia de quarteto de lésbicas



Justin Bieber acaba de ganhar uma paródia produzida pela BBC onde é multiplicado por quatro lésbicas. Elas aproveitam as constantes comparações entre o astro teen e meninas que gostam de meninas para cantar uma versão bem diferente do hit “Baby”, que aqui no Brasil ganhou a versão “Baby eu sou biba”, vencedora do VMB no ano passado.Na versão da BBC Comedy, quatro meninas com o mesmo corte de cabelo, boné e roupas de Justin cantam “Baby” com frases como “temos o mesmo cabelo” e “somos todos da mesma altura”.


mix

Wanessa e Parada Gay de SP batem martelo: show de encerramento será no Anhangabaú para um milhão de pessoas



A Associação da Parada Gay de São Paulo (APOGLBT) acaba de confirmar ao MixBrasil que a cantora Wanessa fará o show de encerramento da Parada Gay de São Paulo marcada para o dia 26 de junho próximo. Faz três anos que a Parada não contava com um fechamento oficial. O show acontecerá no Vale do Anhangabaú e a organização se prepara para reunir um milhão de pessoas. A maior preocupação da APOGLBT para realizar esse show é a de segurança, já que o show acontecerá a noite, a partir das 19h, e garantir segurança para um milhão de pessoas é de fato uma tarefa difícil. Inicialmente, a previsão era de que fosse montado um palco na Praça da República, mas, segundo os organizadores, a mudança foi feita por questões de segurança – saídas de emergências para o caso de acidentes, facilidade de dispersão em casos de tumulto, maior ângulo de visão para os policiais, além do metrô que funcionará com carros extras para atender a demanda. A APOGLBT garante que 1.5 mil policiais e seguranças privados farão a segurança do show. No Brasil, tal público só foi alcançado em duas ocasiões: durante o show dos Rolling Stones, em Copacabana, em 2006, e durante as festas de réveillon que acontecem, anualmente, no mesmo local. Para se ter uma ideia, nem Lady Gaga conseguiu atrair tanta gente. Na Europride, realizada em Roma neste fim de semana, 500 mil pessoas assistiram ao show da cantora.No palco a cantora Wanessa promete uma apresentação montada exclusivamente para a Parada. Músicas novas que farão parte do CD ainda inédito da cantora são algumas das surpresas que ela reserva para o show. Na reunião que definiu os últimos detalhes deste show, Wanessa chorou ao saber que cantaria para um milhão de pessoas.


cultura gls

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Ator vai rodar o Piauí falando sobre os dilemas do macho



O ator piauiense Julyano Odé acaba de lançar um vídeo onde trata dos dilemas de um cabra macho, a busca por uma imagem sempre masculina, de macho alfa. É “Macho Maria”. O assunto vai ser um dos temas abordados por ele em intervenções na televisão, jornais e em uma série de palestras sobre diversidade sexual que vai ministrar entre os meses de agosto e dezembro nas escolas de todo o Estado do Piauí. “A homossexualidade ainda é um estigma. Teve um menino que desistiu de estudar porque ficou com o número 24 na chamada”, explica o ator sobre o porquê de percorrer o Estado nordestino falando sobre diversidade sexual. Um dos objetivos é justamente acabar com preconceitos, com os chamados machismos sociais que excluem aquele menino mais afeminado. Juyano também está em fase de captação de recursos para lançar o site Hadiversos, “há diversos com som de adversos”. A meta é promover cultura e reverter percentuais arrecadados a vítimas de violência sexual. “É um projeto social que ancora bandas, vende souvenires e em parceria com os conselhos tutelares dá dignidade a quem sofreu incesto, pedofilia, estupro, homofobia e por aí vai.”.


mix

Prefeitura de São Paulo vai premiar melhores fotos gays



Fotos (boas) que tenham a diversidade sexual como tema serão premiadas pela Prefeitura de São Paulo no concurso "Diversidade Sexual na Cidade de São Paulo", uma iniciativa da Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual (Cads) da Secretaria Municipal de Participação e Parceria. Serão escolhidos por uma comissão julgadora os três melhores cliques. Não é preciso ser fotógrafo ou fotógrafa profissional para se inscrever no concurso, que começa a receber os trabalhos dos interessados em participar a partir do dia 1 de julho. O prazo para se inscrever vai até 16 de agosto e os interessados devem enviar três fotos digitais para a Cads (Rua Libero Badaró 119, 6º andar - Centro CEP 01009-000 - São Paulo – São Paulo).Para Franco Reinaudo, titular da Cads, o concurso é mais uma forma artística de recortar uma das várias realidades que formam a imensa cidade de São Paulo. “É uma oportunidade de ver a cidade pela lente da diversidade sexual", resume. Mais Informações pelo e-mail cads@prefeitura.sp.gov.br ou no telefone (11) 3113-9749.


cultura gls

A Primeira Namorada...



Precisamos acolher sem julgamentos o que sentimos e o que acontece dentro de nós


Quando conheci a minha primeira namorada fiquei meio espantada por que não sabia muito bem como lidar com aquela nova realidade. Como assim, namorar uma mulher?Ficou evidente para mim, depois de algumas tentativas frustradas de namorar, flertar, ficar, transar com uns sujeitos e notar que sentia atração, tesão, amor pelas sujeitas, que o próximo passo seria providenciar uma namorada. Aí coloquei de lado todas as dúvidas existenciais, preconceitos, medos, lendas, tabus e pimba! Conheci uma mulher com quem iria ter um longo relacionamento. Meu caso não é isolado, muitas de nós demoram a concluir que sua orientação sexual é diferente da maioria, ou seja, o seu desejo amoroso e sexual é pelas garotas e não pelos garotos.Mulheres da minha geração no geral têm grande dificuldade para assumir a sapatice. Os conflitos estão não só na esfera pública, como principalmente na esfera privada. A famigerada saída da armário para algumas não é nada simples assim. Penso que é essencial para aceitar a atração que você sente pelo mesmo sexo entender a si mesma. Precisamos acolher sem julgamentos o que sentimos e o que acontece dentro de nós. Essa honestidade com as nossas emoções aos poucos leva à aceitação de um amor diferente da norma, e facilita que a relação com nosso primeiro amor seja mais feliz e completa.Aparentemente, com os jovens tudo isso é mais fácil e flui com naturalidade, inclusive perante a família e amigos. A moçada enfrenta os obstáculos e as convenções sociais com mais ousadia, e parecem acreditar que é perfeitamente possível o amor e o namoro entre iguais. É tão bonitinho ver as meninas andando na rua de mãos dadas, sentadas num banco de praça namorando abertamente. Outro dia mesmo, durante uma caminhada, dei de cara com uma cena dessas, olhei tentando disfarçar e fiquei numa felicidade única, aliviada ao presenciar algo assim acontecendo.Dizem que as meninas de hoje não querem namorar, a moda é ficar, beijar, paquerar etc. Será? Com certeza não existe fórmula para começar um relacionamento sério, acontece naturalmente. Agora, vamos combinar, você sai um dia para dançar ou para conversar com as amigas num bar, conhece uma garota espetacular, atração imediata, vai ao cinema, ao teatro, leva a gata para assistir o timão no estádio, rola um beijo, dois, um amasso, você está que não se aguenta de tesão, vai para os finalmentes, passa um tempo e você tem aquela certeza enorme que encontrou a mulher da sua vida, não perca tempo!Se atire e pergunte: quer namorar comigo? O Drummond escreveu uma crônica fantástica sobre o assunto, vou adaptar para namorada: “Se você não tem namorada é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário a fazer a vida parar e de repente parecer que faz sentido. Enlouqueça-se.” Aliás, a Brejeira Malagueta recentemente publicou o primeiro romance teen a abordar o amor entre garotas, da autora pernambucana Rafaella Vieira, que narra justamente o primeiro envolvimento entre duas adolescentes que estudam na mesma classe de um colégio em Recife: Depois daquele beijo. Imperdível!* Hanna Korich é uma das sócias fundadoras da Editora Malagueta, agora Brejeira Malagueta – a primeira e única editora dedicada à literatura lésbica da América Latina, desde 2008.


dykerama

Blogueira lésbica é sequestrada na Líbia



Lésbica e síria, a blogueira Amina Arraf se tornou conhecida depois de escrever em seu blog sobre a revolta popular na Síria e de como é ser homossexual em seu país. Após seus textos escritos em inglês ganharem projeção internacional, Amina foi seqüestrada por homens armados em Damasco.
Segundo familiares, a blogueira foi vista pela última vez na segunda-feira à noite, quando iria se encontrar com uma pessoa envolvida com protestos contra o governo do presidente Bashar al-Assad. "Nós não sabemos quem a levou, então não sabemos a quem pedi-la de volta. É possível que eles tentem forçá-la a ser deportada", afirmou Rania Ismail, prima de Amina.Amina, que também tem cidadania americana, foi entrevistada pelo jornal britânico “The Guardian”, na qual a chamada era "uma improvável heroína da revolta em um país conservador".


dykerama

Religiosos de várias denominações fazem ato contra a homofobia em SP



Parte da programação do Mês do Orgulho LGBT de São Paulo deste ano, vai ser realizado na noite desta sexta-feira, 10, um ato gratuito e aberto a todos que vai reunir religiosos de várias denominações para pedir o fim da homofobia. O evento rola em um dos lugares de fé mais friendly da capital paulista, a Paróquia Anglicana da Santíssima Trindade.O Ato Inter-Religioso começa às 20h e promete reunir católicos, anglicanos, evangélicos e adeptos de outras crenças em torno de um só objetivo: colocar o amor de Deus acima dos valores morais do homem que condenam o amor entre pessoas do mesmo sexo. A noite vai contar ainda com um painel onde será discutida a delicada relação entre religião e diversidade sexual com objetivo de quebrar preconceitos – e dizer de uma vez por todas que Deus não odeia as pessoas LGBT que criou. A Santíssima Trindade fica na Praça Olavo Bilac, 63 - Campos Elíseos, próximo da estação Marechal Deodoro do Metrô.


lifestyle

Prefeitura de Bauru cria Conselho de Atenção à Diversidade Sexual



A prefeitura de Bauru anunciou nesta semana a criação do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual (CADS). Instituído por um decreto assinado no último dia 18 de maio, pelo prefeito Rodrigo Agostinho, e com a primeira convocatória de conselheiros realizada nesta semana, o CADS terá como objetivo acompanhar as implementações das políticas públicas de interesse da população LGBT pela Prefeitura de Bauru e desenvolver atividades que contribuam para a integração cultural, econômica, social desta população.O Conselho também pretende estabelecer parcerias em defesa da diversidade sexual com a sociedade civil, instituições acadêmicas, autárquicas, organizações profissionais, empresariais e culturais, além de colaborar na defesa dos direitos dos LGBTs da cidade que sofrem discriminação pela sua orientação sexual e identidade de gênero.De acordo com o coordenador do projeto que deu origem ao Conselho, professor doutor João Baptista Winck, a criação do CADS significa a consolidação de ações que já são desenvolvidas na cidade. “Esse é o primeiro grande passo para uma política permanente em favor da diversidade sexual no município, um marco na história da cidade de Bauru”, avalia.Para o presidente da Associação Bauru Pela Diversidade (ABD), Marco Souza, é importante que comunidade e outras ONGs façam parte do CADS. “Essa é uma forma de ajudar a construir uma cidade mais inclusiva e respeitosa para com a diversidade sexual”, conclui Souza.


central

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Irmão do pastor Silas Malafaia, deputado Samuel Malafaia vota a favor de lei pró-gay



O pastor e apresentador de TV Silas Malafaia é a voz mais atuante (e ferrenha) representante da ala evangéliga que condena projetos de lei como o PLC 122 e o casamento civil homossexual. Mas seu irmão, o deputado estadual pelo Rio de Janeiro Samuel Malafaia parece não ouvir a risca os esbravejos de Silas.Samuel votou a favor da PEC 23/2007 na Alerj, a Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. O texto da PEC é bastante objetivo. Ele inclui a “orientação sexual” no rol de grupos que não podem ser discriminados em nenhum espaço no estado do Rio de Janeiro. A votação em plenário foi bastante favorável aos direitos LGBT. Foram 45 votos a favor e 2 contra. A Alerj possui 70 deputados, sendo 11 ligados a igreja evangélicas. Não houve abstenção. Os dois deputados que votaram contra o projeto foram Flávio Bolsanaro (filho do Jair) e Albertasse (da Igreja Assembleia de Deus).O texto, na íntegra, é o seguinte:“RESOLVE:Art. 1º - O Art. 9º, § 1º da Constituição Estadual passa a ter a seguinte redação:Art. 9º - (...)§ 1º - Ninguém será discriminado, prejudicado ou privilegiado em razão de nascimento, idade, etnia, raça, cor, sexo, orientação sexual, estado civil, trabalho rural ou urbano, religião, convicções políticas ou filosóficas, deficiência física ou mental, por ter cumprido pena nem por qualquer particularidade ou condição.GILBERTO PALMARESDeputado Estadual”Como trata-se de uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) ela terá que ser votada mais uma vez em plenário e aprovado por dois terços dos deputados do estado do Rio, o que significa os mesmos 45 votos da primeira votação.

E depois o seu Silas Malafaia, quer dar uma de moralista.


pride

Governo do SP terá que indenizar aluno gay por danos morais




Uma palestra a estudantes da Escola Estadual Professora Maria Augusta Corrêa - na zona leste da capital paulista - feita por um urologista culminou com uma multa a um aluno homossexual da escola. A indenizaçao foi aplicada porque o profissional reforçou preconceitos durante sua explanação, que tinha por objetivo orientar os alunos sobre homossexualidade.Segundo testemunhas, o medido associou violência e uso de drogas à orientação sexual dos gays. A afirmação provocou a ira de um grupo de alunos que chegou a fazer um abaixo-assinado reclamando providências à direção da escola.Em depoimento, uma professora reconheceu que o palestrante foi infeliz em algumas de suas declarações. Segundo ela, o médico disse que o mundo está sob o domínio da maldição e citou como exemplos a violência, o uso de drogas e a separação de casais. Ainda de acordo com a professora, o médico disse que o homem foi criado para se relacionar com uma mulher e vice-versa e quando isso não acontece também haveria um mal.No auto do processo, o relator e desembargador Mauro Fukumoto declarou: “De fato, ainda que o palestrante não tenha afirmado diretamente que homossexuais são criminosos, é nítido que, ao associar violência e uso de entorpecentes – duas condutas penalmente relevantes – ao homossexualismo (sic), buscou desqualificar tal opção sexual, causando evidente constrangimento ao apelante e a outros alunos homossexuais que eventualmente estivessem assistindo à palestra”.O desembargador ainda afirmou que, apesar do palestrante não ser professor da rede pública, o Estado está na obrigação de responder pelo que foi dito na palestra, uma vez que se tratava de iniciativa da direção da escola. O relator ainda destacou que o mesmo médico fez palestras semelhantes em outras escolas da rede pública e a sua forma de pensar era certamente de conhecimento da Administração. O valor da indenização foi fixado no correspondente a 100 salários mínimos (em torno de R$ 50 mil).


mix

New York Times cria seção online dedicada a jovens gays



O maior e mais importante jornal norteamericano, o New York Times decidiu abraçar para valer a luta contra a homofobia e criou em seu site a seção "Coming Out" (Saindo do Armário, em tradução livre) em que jovens gays podem dividir suas experiências, discutir o preconceito e contar o que fizeram (e ainda fazem) para enfrentá-lo.De acordo com os editores da página, a ideia surgiu depois da série de matérias publicadas pelo jornal noticiando os casos de bullying cada vez mais constantes, incluindo os mais graves em que os jovens não suportaram a pressão e se suicidaram. “O espaço é um esforço para melhor compreender as realidades e expectativas desta geração, e para dar voz aos adolescentes”, comenta um dos editores.Com poucos dias de lançamento, o site já recebeu 183 histórias de jovens – americanos e europeus –, nas mais diversas fases do processo de assumir a homossexualidade. Eles contam suas histórias em áudio e imagens e as compartilham com os demais leitores que muitas vezes são pais de homossexuais, colegas de classe que até então os discriminavam ou jovens que já passaram por situação semelhante.Para o New York Times, os “jovens gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros só querem ser adolescentes. Eles vislumbram um mundo em que eles possam se casar e ter as portas abertas para eles, não querem ser definidos por sua sexualidade. É apenas uma parte da identidade deles”.Veja a página do projeto Coming Out clicando aqui.


pride

Boato de assassinato homofóbico ocorrido dentro Sadia ganha espaço em sites e blogs e empresa esclarece o que de fato aconteceu



Circula pela internet a informação, divulgada a princípio pelo Grupo de Estudos e Pesquisas de Gênero Fogueira, da Unochapecó, de que na madrugada de ontem, dia 8, um funcionário homossexual da fábrica da Sadia em Chapecó (SC) havia sido “cruelmente assassinado enquanto trabalhava no setor de produção da empresa”. O e-mail, replicado por diversos blogs e sites, afirmava que o crime havia sido motivado por homofobia e contava que “enquanto três homens seguraram o jovem, uma mulher introduziu-lhe no ânus uma mangueira de ar comprimido, acionando-a”. O texto do grupo pedia, ainda, que o caso fosse investigado: "Não tivemos acesso a informações de órgãos oficiais. Pedimos que haja acompanhamento e intervenção dos organismos de defesa dos direitos humanos nesse caso gravíssimo", escreveu o grupo.A mensagem divulgada ainda afirma que os bombeiros prestaram atendimento ao jovem, que não resistiu e faleceu em seguida no Hospital Regional Oeste de Santa Catarina. A notícia, de tom apelativo, foi publicada como verdadeira em diversos sites gays. Procuradas pelos MixBrasil na tarde de hoje, as autoridades locais – Corpo de Bombeiros e Polícia Civil – afirmaram não terem sido acionados para qualquer ocorrência do tipo. De acordo com a professora Silvana Winckler, membro do grupo Fogueira – que divulgou a informação – a denúncia não passou de um boato criado entre os funcionários da própria Sadia. A professora ainda lamentou que o tema tenha sido objeto de uma suposta brincadeira entre colegas da empresa. “O conteúdo homofóbico é explícito, chegando a soar como ameaça”, declarou. Depois de conversar com o Mix, o grupo enviou outra nota, desta vez desmentindo o crime.Em nota de esclarecimento enviada ao Mix, a Sadia contou que, na realidade, durante brincadeira entre colegas no interior da unidade, um dos envolvidos se acidentou com um equipamento e sentiu desconforto no abdômen. A empresa afirmou que o funcionário foi encaminhado a um hospital da cidade, onde recebeu atendimento médico, foi liberado, e no momento está em casa ao lado da família.A nota ainda informa que a empresa adotou medidas administrativas para averiguar os fatos e assegura que não se trata de um caso de homofobia. O documento ainda reforça que políticas e procedimentos relacionados a direitos humanos estão contemplados em seu Código de Ética e que entre os valores da empresa estão o “compromisso com a diversidade e aceitação das diferenças” e a “integridade como base de qualquer relação”.


mix

Está na hora de incorporar os direitos da comunidade gay no noticiário, afirma diretora executiva da CBN



No dia 15 de maio, estreou na rádio CBN – a maior e mais respeitada emissora de notícias do país, parte do Sistema Globo de Rádio – o CBN MixBrasil. O programa é uma revista semanal sobre diversidade sexual apresentada por André Fischer, do MixBrasil, e Petria Chaves, jornalista da CBN e vai ao ar sempre aos domingo, às 22h. O Mix bateu um papo com a diretora executiva de jornalismo da CBN e uma das idealizadoras do programa, Mariza Tavares. Confira:Como surgiu a ideia de criar este programa? Com qual objetivo?A ideia de fazer um programa voltado para o universo gay surgiu depois da participação de André Fischer no “Notícia em foco”, em novembro do ano passado. O “Notícia em foco” discute os bastidores do jornalismo e, nesta edição, tratamos da cobertura dos episódios homofóbicos na Avenida Paulista. Naquele momento, ficou claro para mim que havia espaço para um conteúdo segmentado dentro da CBN, cujo objetivo seria debater a diversidade e derrubar estereótipos. E que André reunia todas as qualidades para estar à frente deste projeto.Por que somente agora a decisão de fazer este programa? É o momento mais adequado?O país está mais maduro, o que leva à ampliação do escopo do debate na sociedade. Já se tratou da questão feminina, do racismo, de ações afirmativas de inclusão. Está na hora de incorporar os direitos da comunidade gay no noticiário. Antes, esta cobertura ficava restrita praticamente à editoria policial.Que público a CBN espera alcançar com o programa?O público da CBN é formado por formadores de opinião e por todos que querem se informar – gays ou não gays – mas, principalmente, por gente que se identifica com o conteúdo que produzimos, pautado pela isenção e pelo debate aberto e sem preconceitos.Qual a contribuição política do programa para a sociedade?A CBN é uma rede presente em 30 das maiores cidades do país. O CBN Mix Brasil vai mostrar o universo gay não como um gueto, e sim dentro do contexto político, econômico, urbano e cultural no qual está inserido.Tem tanto assunto assim para tratar dentro de um programa de 1h de duração?Com certeza. Convido todos a viver esta experiência todo domingo, às dez da noite, no dial da sua cidade ou pelo site da CBN.Programa CBN MixBrasil – aos domingos, às 22h.


cultura gls

Jornalista lança livro analisando 100 anos de filmes gays no Brasil



Os filmes com temática LGBT produzidos nos últimos 100 anos exibidos no Brasil são o tema central de “Cine Arco-íris- 100 anos de cinema LGBT nas telas brasileiras” (Edições GLS), único livro do País que reúne informações sobre esse centenário de produção. A obra vai ganhar lançamento em São Paulo no próximo dia 22, às 19h, na Livraria Cultura da Avenida Paulista (nº 2073, Conjunto Nacional – térreo).Escrito pelo jornalista Stevan Lekitsch, o livro é composto por cerca de 270 resenhas de histórias cinematográficas de personagens de todas as letrinhas da sigla LGBT. São 272 páginas que fazem uma análise do crescimento da produção cinematográfica da diversidade sexual, tímida no início do século XX e tão profícua nos últimos anos.A obra é o resultado de cerca de uma década de pesquisa e começa fazendo uma análise histórica do surgimento do cinema, em 1895, e chega até o fim da década de 1940, quando a homossexualidade ainda era abordada muito sutilmente, como, por exemplo, no clássico “Festim Diabólico”, de Alfred Hitchcock. “A ideia não era simplesmente fazer um compêndio de títulos. Procurei ir mais fundo, enfocando os filmes que tiveram importância histórica”, explica Lekitsch, que acredita em um crescimento cada vez maior da produção cinematográfica abordando a temática da diversidade sexual. Stevan tem 38 anos e é paulistano. É bacharel em Comunicação Social com especialização em Cinema pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) e já trabalhou aqui na Redação do MixBrasil. “Cine arco-íris – 100 anos de cinema LGBT nas telas brasileiras” - Stevan LekitschEdições GLSR$ 65,90272 páginaswww.edgls.com.br


cultura gls

Prefeitura de São Paulo vai premiar melhores fotos gays



Fotos (boas) que tenham a diversidade sexual como tema serão premiadas pela Prefeitura de São Paulo no concurso "Diversidade Sexual na Cidade de São Paulo", uma iniciativa da Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual (Cads) da Secretaria Municipal de Participação e Parceria. Serão escolhidos por uma comissão julgadora os três melhores cliques. Não é preciso ser fotógrafo ou fotógrafa profissional para se inscrever no concurso, que começa a receber os trabalhos dos interessados em participar a partir do dia 1 de julho. O prazo para se inscrever vai até 16 de agosto e os interessados devem enviar três fotos digitais para a Cads (Rua Libero Badaró 119, 6º andar - Centro CEP 01009-000 - São Paulo – São Paulo).Para Franco Reinaudo, titular da Cads, o concurso é mais uma forma artística de recortar uma das várias realidades que formam a imensa cidade de São Paulo. “É uma oportunidade de ver a cidade pela lente da diversidade sexual", resume. Mais Informações pelo e-mail cads@prefeitura.sp.gov.br ou no telefone (11) 3113-9749.


cultura gls

terça-feira, 7 de junho de 2011

Amiga diz que já beijou princesa Kate Middleton na boca



A mais nova princesa do mundo, Catherine Middleton, da Inglaterra, deu seu primeiro beijo em uma mulher. Pelo menos é o que diz uma amiga de escola de Kate, que revelou que a esposa do príncipe William a beijou na boca, pra valer, quando ainda era adolescente, aos seus 14 anos, em 1996.Segundo Jessica Hay, ela e a princesa estavam se preparando para uma aula de dança quando as duas trocaram um beijo, que teria sido o primeiro da vida de Kate. “Eu a beijei nos lábios. Nossos olhos se fecharam, e começamos a nos beijar de verdade, fingindo que a outra era um menino!”, contou Jessica ao site Radar Online. A amiga lembrou ainda que as duas eram melhores amigas e devido ao turbilhão de hormônios típico da adolescência, além de um pouco de álcool, tudo poderia ter acontecido entre elas. Ela disse ainda que desde essa época Kate já tinha fixação pelo príncipe e deixava uma foto dele na parede de seu dormitório.


cio

Lésbicas farão programação feminista na Parada de São Paulo



As mulheres que amam outras mulheres também vão marcar presença no 15º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo, aberto oficialmente na manhã desta segunda-feira, 6, na capital paulista. Uma iniciativa da Liga Brasileira de Lésbicas (LBL), a partir do próximo dia 18 começa a programação da III Jornada Lésbica-Feminista, que inclui ainda a IX Caminhada Lésbica de São Paulo.As atividades têm início no dia 18, um sábado, a partir das 18h, com o Cine Lés, no auditório do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo (CRP-SP). Rola a exibição do filme “Bandaged” (Maria Beatty), que conta a história de Lucille e seu pai dominador e sua tia avó em uma mansão isolada. O trailer você confere lá embaixo. A programação conta ainda com debates sobre as lésbicas, oficinas de criação, roda de conversa, mais exibição de filmes e a IX Caminhada Lésbica de São Paulo, que rola no dia 25, sábado, véspera da Parada do Orgulho LGBT. A caminhada das meninas tem concentração a partir do meio-dia, na Praça Osvaldo Cruz, início da Avenida Paulista (perto do Metrô Paraíso). Confira a programação completa: III Jornada Lésbica-Feminista18/06 (sábado) 18h - Cine Lés: auditório do CRP-SP (Rua Arruda Alvim, 89 - próximo ao metrô Clínicas) Filme: “Bandaged” 21/06 (terça) 18h - abertura dos debates da 3ª Jornada Lésbica-Feminista Diálogo: Educação Inclusiva, não sexista, não racista, não lesbofóbica Auditório do CRP-SP 22/06 (quarta) 14h - oficina de Imagem e Som (criação de tambores, produção de pirulitos, faixas etc)Auditório do CRP-SP 18h - Roda de Conversa sobre Lesbianidades e Etnias Auditório do CRP-SP 23/06 (quinta) 9h30 - Roda de Conversa sobre Saúde Lésbica (participação da representação LGBT no Conselho Nacional de Saúde, Ministério da Saúde, CRT/AIDS-SP, CRP-SP, pesquisadoras sobre saúde lésbica) Auditório do CRP-SPTarde - Lésbicas na Feira da Diversidade no Vale do Anhangabaú 24/06 (sexta) 18h – Cine Lés: auditório do CRP-SP Filme:”Elena Undone” 25/06 (sábado)9ª Caminhada Lésbica-Feminista12h - concentração na Praça Osvaldo Cruz, início da Avenida Paulista 14h - 9ª Caminhada de Lésbicas e Bissexuais de São Paulo 16h - Encerramento com shows 26/06 (domingo)12h - Lésbicas na Parada do Orgulho LGBT.


mix

Travestis e transexuais podem usar nome social em Plataforma Lattes



Seguindo um movimento já consolidado nos estados do Pará, São Paulo e Pernambuco, em que travestis e transexuais têm direito ao uso do nome social nos diversos setores do serviço público, agora é a vez do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Técnico – CNPq dar um passo a frente e abrir espaço para que elas possam fazer o mesmo.As solicitações de mudança de nome atual para nome social de travestis e transexuais poderão ser feitas ao CNPq, e os pedidos deverão ser dirigidos à Ouvidoria que encaminhará à Coordenação de Informática, setor responsável pelo Curriculo Lattes, para efetivar a mudança. Mais informações podem ser obtidas pelo site da plataforma: http://lattes.cnpq.br/

Vereador gay quer Lei da Ficha Limpa em cidade mineira



O vereador de Alfenas Sander Simaglio (PV) quer que sua cidade também tenha a chamada Lei da Ficha Limpa, que impede que candidatos que estejam sendo processados na Justiça participem de eleições ou assumam cargos. O projeto de lei foi apresentado por ele na última sexta-feira, 3, e abrange o Poder Legislativo e o Poder Executivo municipais. Segundo Sander, “o objetivo desta lei é estender as normas e direcionamentos da ‘Lei da Ficha Limpa’ aprovada ano passado no Congresso Nacional ao exercício de cargos comissionados da administração pública municipal, impedindo as pessoas que tenham problemas de qualquer natureza com ficha limpa a assumirem cargos comissionados”.Ele diz ter a certeza de que o projeto vai garantir “mais credibilidade e transparência ao poder público, dando a proteção da probidade administrativa e da moralidade”.


central

Governador paulista grava vídeo para apoiar setor LGBT



Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) se mostrou aliado da diversidade sexual e gravou uma mensagem em vídeo para o I Congresso Estadual do Diversidade Tucana, que foi realizado no último sábado, 4, em São Paulo. O governador garante seu apoio ao setor LGBT dos tucanos e se coloca à disposição para ajudar as demandas da população homossexual. “Contem comigo no combate a todas as formas de discriminação”, diz ele. A posição do governador de São Paulo é inédita, já que sempre pairou sobre sua imagem a de um político mais conservador, o que afungentava o eleitorado progressista.


mix


Record nega proibição a personagens e piadas gays em sua programação



A TV Record, através da Central Record de Comunicação, negou na tarde de hoje em entrevista ao MixBrasil que exista qualquer norma ou proibição que restrinja a participação de personagens ou piadas envolvendo gays em seus humorísticos, novelas ou seriados. A assessoria de imprensa da emissora também declarou que não houve mudanças nos programas de humor por conta do processo movido pela Defensoria Pública contra a Record e o apresentador Marcos Mion.A suposta proibição foi divulgada ontem pelo colunista Flávio Rico. Em sua coluna no UOL, ele contou que existe uma lista do que pode e o que não pode ser feito dentro da emisso e outra com o que pode ou não ir ao ar. Segundo o colunista, nos humorísticos estão proibidas as citações ou participações de personagens gays, ordens que se estendem à teledramaturgia.Apesar de não ter personagens gays no elenco de suas telenovelas, a Record segue com figuras carregadas de caricaturas gays em humorísticos como o Show do Tom (Guerginaldo, Jarilene e Jean) e ainda tem as irreverentes imitações do apresentador Rodrigo Faro, no programa O Melhor do Brasil. Em um dos quadros, ele já incorporou diversas personalidades adoradas pelos gays, entre elas, as cantoras Beyoncé, Madonna e Lady Gaga. A assessoria da Record usa esses exemplos para reafirmar que não há restrição para personagens e situações gays em sua programação, como afirmou o colunista do UOL.


uol

Em música inédita, roqueira Pitty fala sobre diversidade sexual



Um dos nomes mais influentes dos últimos anos no rock nacional, a cantora Pitty está em turnê com o disco recém-lançado "A Trupe Delirante no Circo Voador". Na nova produção, Pitty traz a inédita “Comum de dois”, composta por ela ao lado dos seus parceiros de banda. Em entrevista ao portal Vírgula, a cantora disse que a ideia foi criar um personagem que desconhece a própria sexualidade. “Eu criei um personagem que não sabe se é bissexual, homo ou heterossexual. Justamente para poder falar sobre as diversas possibilidades. As pessoas são muito taxativas, não se pode ser nada além do que já está predeterminado. Não é assim, há muitas outras possibilidades que ainda nem se descobriu, nós não temos que fechar os olhos para todas elas, temos que nos permitir viver essas possibilidades”, declarou.


mix

domingo, 5 de junho de 2011

TAM Viagens lança pacotes especiais para a Parada Gay de SP



A TAM Viagens – unidade de turismo da TAM Linhas Aéreas – está lançando pacotes especiais para a Parada Gay de São Paulo, que rola no próximo dia 26 de junho, em plena Avenida Paulista. Operadora oficial da Parada, a TAM Viagens criou roteiros exclusivos com saídas de qualquer cidade do Brasil, com destino a São Paulo, no período de 20 a 29 de junho, incluindo hospedagem e ingressos para as festas promovidas pelos clubes da cidade.Quem optar por esses pacotes durante a Semana da Parada ganha 25% de desconto na passagem aérea adquirida pela Central de Vendas e Relacionamento (3274-1313, para São Paulo, e 0800 555 200, para demais localidades), pela página da TAM Viagens para a Parada Gay (clique aqui) ou em uma das 90 lojas da operadora em todo o Brasil. Confira os endereços das unidades em http://www.tamviagens.com.br/lojas.Um roteiro com hospedagem de três noites em São Paulo, no hotel San Raphael, por exemplo, pode ser financiado com entrada de R$ 77,50 e nove parcelas de R$ 25,83. A opção inclui ingresso para a Main Party, festa que será realizada na The Week na noite de 25 de junho. A TAM Viagens também oferece outras opções de festas que serão realizadas também na The Week, no Clube de Regatas Tietê e no Moinho Eventos, entre 22 e 26 de junho.


lifestyle

SP: Ribeirão Pires recebe na quinta debate sobre homofobia



A cidade paulista de Ribeirão Pires vai receber na próxima quinta-feira, 2, às 15h, a segunda etapa do Projeto Versos Diversos, iniciativa que tem como objetivo discutir a homofobia e suas consequências e as políticas públicas para LGBT. O evento tem entrada gratuita e rola no Teatro Euclides Menato, que fica na Avenida Brasil, 193.A programação vai contar com o ciclo de palestras “Versos Diversos”, com participações de Cássio Rodrigo de Oliveira Silva, assessor de cultura para gêneros e etnias da Secretaria Estadual de Cultura, e o militante e advogado Eduardo Piza Mello. A realização é do Grupo de Apoio à Diversidade, Prefeitura Municipal e Secretaria Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.


central

Agressão de taxista a lésbica motiva apitaço no Rio



A recente agressão a uma musicista no Rio de Janeiro motivou um apitaço contra a violência que vai ser realizado na Cidade Maravilhosa no próximo sábado, 4, a partir das 20h, no Largo dos Guimarães, em Santa Tereza. O evento é aberto a todo mundo que quer dar um basta à intolerância. Pode levar apitos, principalmente, faixas, cartazes, guarda-chuvas coloridos e toda sorte de materiais para um protesto bonito e chamativo.A violência homofóbica ocorreu no dia 8 de maio contra a musicista e publicitária Eliza Schinner, que saía com a namorada de uma festa na Mansão Laranjeiras, no bairro de Santa Teresa. Ao entrar no táxi de mãos dadas com sua namorada, o taxista se irritou e deu um tapa na orelha de Eliza, fazendo a musicista, que usa o ouvido para trabalhar, perder 70% de sua audição.


central

Religião e homoafetividade serão debatidos em painel pré-Parada




Dentro da série de eventos que antecedem a Parada Gay de São Paulo, a Rede Ecumênica de Juventude promove no próximo dia 9 de junho um painel com o tema “Religião e homoafetividade”. Debatem o tema o doutor em teologia pela Escola Superior de Teologia, André S. Musskopf; o teólogo católico, padre e escritor James Alison; a mestre em Ciências da Religião pela PUC, Valéria Melki Busin; e a Iyalorixá da Covoyá, Iya Maria Emília d’Oyá.No dia seguinte, às 20h, o grupo comanda um ato inter-religioso. Tanto o painel quanto o ato serão realizados na Paróquia Santíssima Trindade, nº 63 – Campos Elíseos.Mais informações podem ser obtidas pelo fone (11) 3667-8161.


mix

Recife recebe lançamento de livro sobre amor adolescente lésbico



Um amor lésbico entre duas adolescentes - à beira do mar do Recife - é o tema do livro “Depois Daquele Beijo” (Editora Malagueta, R$ 35), escrito por Rafaella Vieira e que ganha lançamento nesta sexta-feira, 3, às 19h, na Livraria Cultura da capital pernambucana. Com um clima bem teen na trama e uma prosa com um quê pueril, a obra conta a descoberta do amor entre Caterine e Michelle.Caterine é a nova aluna do colégio, acabou de chegar à classe e ainda está se ambientando, o que nunca é fácil na adolescência. Ela adora livros, tem uma personalidade forte e ainda por cima é linda. Não demora muito e ela se torna a melhor amiga de Michelle. Mas não é só isso que vai rolar entre as duas novas melhores amigas na história de 184 páginas.Acontece que durante o projeto de filmagem de um trabalho para a matéria de Artes as duas não resistem à atração mútua e se beijam na boca, descobrindo que tudo pode ser perfeito demais e mudar muita coisa na vida das duas adolescentes, ambas às voltas com questões típicas da idade como festas, projetos da escola, amigos e paixões. Lançamento de “Depois Daquele Beijo”: sexta-feira, 3 – 19hLivraria Cultura: Rua Madre de Deus s/n - Shopping Paço Alfândega


cio

Campanha Rio Sem Homofobia marca presença na Moda



A campanha Rio Sem Homofobia, promovida pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, invadiu as passarelas da moda e ganhou adesão em peso dos que passaram pelo Fashion Rio, durante os seis dias de evento.Com um lounge montado no Píer Mauá, local de realização do evento, o espaço – que foi aberto pelo Governador Sérgio Cabral e conta com o ativismo do coordenador da Diversidade Sexual, Carlos Tufvesson – serviu para difundir informações sobre como proceder em casos de homofobia, além de ser um espaço de divulgação das atividades que o Governo tem desenvolvido na luta contra o preconceito.Várias drags super animadas, entre elas Melissa Ryan, se encarregaram de colaborar com a divulgação. Diversas celebridades também abraçaram a campanha, entre elas, Giulia Gam, Samara Felippo, Fernanda Paes Leme, Sheron Menezes, Mirella Santos e Fernanda Pontes.


pride

Globo Educação aborda diversidade sexual nas escolas



O programa Globo Educação deste sábado, dia 4, apresenta uma edição especial sobre a importância de se discutir sexualidade, gênero e diversidade na educação. O programa também acompanha uma das iniciativas mais bem sucedidas nesta área, o Projeto Diversidade Sexual na Escola, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.O Globo Educação vai ao ar às 6h10, na TV Globo. Para os que consideram o horário ingrato, o programa será reprisado quatro vezes no Canal Futura.Globo Educação, às 6h10 – TV GloboReprises no Canal Futura:Sábado - 04/06 às 14h30Domingo - 05/06 às 13h30Segunda - 06/06 às 15h15Terça-feira - 07/06 às 15h


cultura glss

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Militantes vão se amordaçar em marcha contra cristãos em Brasília



A militância brasileira não vai deixar passar incólume a marcha evangélica e católica em Brasília nesta quarta-feira, 1, contra o PLC 122/06, que criminaliza a homofobia, e já se organizou para fazer uma, digamos, contra marcha. É uma resposta, totalmente pacífica, à manifestação cristã que pede ainda a não distribuição do kit anti-homofobia elaborado pelo Ministério da Educação (MEC).A concentração para o ato está marcada para as 14h desta quarta-feira, 1, em frente à Catedral de Brasília, e é para todo mundo ir de camiseta, blusa ou camisa roxa para se identificar como LGBT – para se diferenciar das pessoas da marcha pró-homofobia. A manifestação será silenciosa, com os participantes usando mordaças vermelhas na boca para causar impacto visual.O ato terá ainda faixas e cartazes e também apitos, que só serão usados para quebrar o silêncio caso haja algum desentendimento entre os dois grupos que vão marchar hoje – LGBT e cristãos intolerantes (a marcha deles começa às 15h). Quem quiser fazer cartazes e faixas em casa e levar também só vai ajudar.


pride

Ministro garante kit anti-homofobia nas escolas ainda em 2011



O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou nesta semana que o kit anti-homofobia de seu ministério será refeito a tempo de ser distribuído ainda neste ano para 6 mil escolas brasileiras. A declaração de Haddad tranquiliza quem achava que o material anti-homofobia havia chegado ao fim com a suspensão baseada em interesses políticos da presidente Dilma Rousseff. O ministro confirmou que a base do material e seus objetivos serão mantidos, mas a elaboração da nova roupagem dele vai ser feita com mais discussões, como havia pedido Dilma. “Faremos agora essa discussão, mas com base mais técnica, chamando especialistas.” Depois de pronto, o kit anti-homofobia ainda deve receber o aval da comissão de publicação do Ministério da Educação (MEC) e só depois disso seguir para a aprovação do Governo Federal. Haddad se disse ainda assustado com o posicionamento tomado contra o kit. “E me assustei por uma razão muito simples: a maioria das pessoas que se manifestou inicialmente declarou, posteriormente, que não haviam lido o livro objeto da polêmica.” Ou seja, puro pré-conceito.


pride