VEJA E OUÇA A DEFESA FERVOROSA DO SEGUIMENTO GLS GLBT GLBTT NA VOZ TROVEJANTE DO AMIGO BOCA ABERTA

Loading...
Mande suas críticas e sugestões
amigobocaaberta@gmail.com

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Boato de assassinato homofóbico ocorrido dentro Sadia ganha espaço em sites e blogs e empresa esclarece o que de fato aconteceu



Circula pela internet a informação, divulgada a princípio pelo Grupo de Estudos e Pesquisas de Gênero Fogueira, da Unochapecó, de que na madrugada de ontem, dia 8, um funcionário homossexual da fábrica da Sadia em Chapecó (SC) havia sido “cruelmente assassinado enquanto trabalhava no setor de produção da empresa”. O e-mail, replicado por diversos blogs e sites, afirmava que o crime havia sido motivado por homofobia e contava que “enquanto três homens seguraram o jovem, uma mulher introduziu-lhe no ânus uma mangueira de ar comprimido, acionando-a”. O texto do grupo pedia, ainda, que o caso fosse investigado: "Não tivemos acesso a informações de órgãos oficiais. Pedimos que haja acompanhamento e intervenção dos organismos de defesa dos direitos humanos nesse caso gravíssimo", escreveu o grupo.A mensagem divulgada ainda afirma que os bombeiros prestaram atendimento ao jovem, que não resistiu e faleceu em seguida no Hospital Regional Oeste de Santa Catarina. A notícia, de tom apelativo, foi publicada como verdadeira em diversos sites gays. Procuradas pelos MixBrasil na tarde de hoje, as autoridades locais – Corpo de Bombeiros e Polícia Civil – afirmaram não terem sido acionados para qualquer ocorrência do tipo. De acordo com a professora Silvana Winckler, membro do grupo Fogueira – que divulgou a informação – a denúncia não passou de um boato criado entre os funcionários da própria Sadia. A professora ainda lamentou que o tema tenha sido objeto de uma suposta brincadeira entre colegas da empresa. “O conteúdo homofóbico é explícito, chegando a soar como ameaça”, declarou. Depois de conversar com o Mix, o grupo enviou outra nota, desta vez desmentindo o crime.Em nota de esclarecimento enviada ao Mix, a Sadia contou que, na realidade, durante brincadeira entre colegas no interior da unidade, um dos envolvidos se acidentou com um equipamento e sentiu desconforto no abdômen. A empresa afirmou que o funcionário foi encaminhado a um hospital da cidade, onde recebeu atendimento médico, foi liberado, e no momento está em casa ao lado da família.A nota ainda informa que a empresa adotou medidas administrativas para averiguar os fatos e assegura que não se trata de um caso de homofobia. O documento ainda reforça que políticas e procedimentos relacionados a direitos humanos estão contemplados em seu Código de Ética e que entre os valores da empresa estão o “compromisso com a diversidade e aceitação das diferenças” e a “integridade como base de qualquer relação”.


mix

Nenhum comentário: