VEJA E OUÇA A DEFESA FERVOROSA DO SEGUIMENTO GLS GLBT GLBTT NA VOZ TROVEJANTE DO AMIGO BOCA ABERTA

Loading...
Mande suas críticas e sugestões
amigobocaaberta@gmail.com

segunda-feira, 21 de junho de 2010

AMIGO BOCA ABERTA

OLÁ, DESCULPE POR NÃO POSTAR ESSES DIAS , É QUE ALGUM HOMOFÓBICO RACKEOU NOVAMENTE O NOSSO BLOG, E NÃO CONSIGO POSTAR , MAS JÁ ESTAMOS RESOLVENDO, ESSA SOCIEDADE, PORCA, PODRE, HIPÓCRITA E NOJENTA NÃO VÃO NOS CALAR, ACIONAMOS A POLÍCIA PARA TENTAR IDENTIFICAR QUEM FOI ATRAVÉS DO IP, ATÉ.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Transexual comenta convivência com jogador de futebol em reality show


Ao lado do jogador Vampeta, a transexual Adriana Suzuki, de 25 anos, foi uma das integrantes do quadro “Os opostos se atraem”, do Programa Eliana (SBT). Claramente baseada em referências anteriores, Adriana e Vampeta conseguiram quebrar preconceitos e mostraram que é possível, sim, um contato harmônico e amigável entre uma trans e um jogador de futebol. Com provas humoradas, eles ficaram com a segunda colocação no jogo, que também teve a cantora Gretchen e a funkeira Valeska Popozuda. Em entrevista ao MIX BRASIL, Adriana comenta a participação. Como surgiu o convite para participar do quadro?Fui chamada e fiz um teste junto com outras drags e homossexuais bem afeminados. Eu era a única trans. Depois de algumas entrevistas, acabei sendo selecionada pela produção e a platéia me escolheu no palco. Disseram que eu participaria ao lado de um jogador baladeiro e homofóbico. Fiquei passada, pois obviamente não suporto homofobia. E o que achou de conviver com o Vampeta? Eu não conhecia a pessoa Vampeta. E descobri que ele não tem nada de homofóbico. Ao contrário, ele é padrinho da Parada Gay lá da Bahia. Foi complicado ter que brigar com ele no programa. Tanto que fiquei falando mais de machismo que de homofobia. Coisas baseadas no fato dele sair de quinta a domingo... Ele não tinha nenhum problema em me cantar, conversar nos bastidores. No programa, ele falava que até o final iria descobrir se eu era ele ou ela. Acabei criando uma amizade com ele. O que achou dele se vestir de drag no final do programa?Não me surpreendeu, pois o Vampeta sempre mostrou que não ter preconceito durante todo o programa. Usou maquiagem, desfilou de salto, sempre com bom humor. A pessoa que é segura da sua masculinidade não tem problema em conviver com uma transexual.É verdade que você teve problemas com a produção?Eles queriam me colocar como a engraçada, como se eu fosse drag. Queriam que eu falasse o nome masculino, que dissesse algumas coisas, que me vestisse de maneira engraçada. Mas eu sou uma transexual. Falei que ou seria uma participação com respeito ou que eu sairia fora. Não vou ser escrachada, não vou denegrir a imagem, pois era eu que representava a classe LGBT. Teve um momento em que a Eliana me chamou de Adriano e eu falei: “Nossa, que falta de respeito vindo de uma pessoa que eu admiro tanto”. Eles cortaram, claro. Depois da experiência, pode dizer que os opostos se atraem?Eu não sei, pois o Vampeta não era o meu oposto. É uma grande pessoa, que em algumas partes eu passei admirar. Principalmente em questão de preconceito. Eu garanto: ele não tem.
cultura gls

Chatroulette quer impedir exibição de pênis de usuários


Por essa os caçadores de sexo via web não esperavam. O site Chatroulette, que virou febre entre gays por permitir que internautas peladinhos vejam uns aos outros, poderá bloquear a exibição de partes íntimas. Pois é, com cerca de um milhão de visitas diárias, o site pretende voltar ao seu propósito inicial, que era o de possibilitar conversas sem pornografia. A exigência para vetar a exibição de pênis estaria vindo de potenciais investidores. Para tanto o Chatroulette está estudando uma maneira de, em tempo real, filtrar e bloquear imagens de pênis. Shawn Fanning, criador do Napster (lembra dele?) está dando consultoria para que o site encontre uma forma de impedir a exibição de órgãos sexuais masculinos, segundo o TechCrunch.O site também está desenvolvendo uma espécie de "lista negra", para onde vão usuários que teimarem em baixar as calças em frente à webcam. Quer insistir em se mostrar será impedido de acessar o Chatroulette.
cultura gls

Ex-BBB protagoniza cena de nu e beijo gay em espetáculo em SP. Quer ver?


Depois de temporadas de sucesso em Brasília, Salvador, Belo Horizonte e no teatro paulistano Ruth Escobar, o espetáculo "Três Possibilidades" reistreia no Bibi Ferreira dia 19 com novo ator no elenco. Agora a quente história dos amigos Alexia, Vinícius e Leo está sendo encenada por Camila Hage, Tiago Pessoa e Fernando Bacalow, mas conhecido como “Justin” do BBB7.A peça, inspirada livremente na obra "3 Formas de Amar", de Andrew Fleming, começa com os personagens masculinos dividindo um apartamento. Vinicius é o estereótipo do hétero pegador, enquanto o outro ainda tem dúvidas sobre a própria sexualidade e não raro surpreende-se observando o companheiro de casa com outros olhos. A rotina dos rapazes é sacudida com a chegada de Alexia (em ótima atuação de Camila Hage), moça acelerada que logo de cara se encanta com Leo. O trio passa então a tentar administrar o desejo que um sente pelo outro, morrendo de medo que a amizade termine sendo afetada. Com cena de nu protagonizada pelo delicioso Fernando Bacalow e de beijo entre os rapazes, "Três Possibilidades" está oferecendo 5 pares de convites para leitores do Mix. Para concorrer a um deles, é só enviar um e-mail para Irving Alves informando seu nome completo e telefone para contato.
dykerama

Maria Gadú diz que não sabe se é ou não é gay


A cantora Maria Gadú falou abertamente sobre sua sexualidade em entrevista à edição de junho da revista “Rolling Stone”.À publicação, a cantora disse não saber se é ou não é gay e contou que não precisa afirmar nada para ninguém, nem para ela mesma. “Ninguém chega em casa falando ‘mãe, sou hétero’. Então por que tem que chegar e dizer ‘mãe, sou gay’?”, explicou. Maria Gadú falou também sobre seu jeito esquentado. “Não tenho paciência com falta de respeito, compro briga na rua. Minha mãe acha que eu vou morrer de tiro”, admitiu.Recentemente, Gadú e Luiza Possi foram vistas dando selinhos numa festa no Rio. Ontem, Possi negou que estivesse namorando a cantora.
dykerama

Igreja rejeita time por causa de treinadora lésbica


Uma equipe de softball (conhecido como uma versão mais "light" do baseball) nos EUA foi proibida por uma igreja de integrar a liga feminina porque a treinadora é lésbica.Jana Jacobson disse ao jornal “The Commercial Appeal” que integrantes da igreja batista de Belleveue rejeitou seu estilo “desviante”, proibindo o time de competir.O fato ocorreu depois que a treinadora pagou uma taxa de afiliação à igreja e de participar de uma reunião com seus integrantes. Na equipe de Jacobson, há jogadoras lésbicas e heterossexuais.O direito de comunicações da igreja, Jim Barnwell, disse que não comentaria sobre o caso. Jacobson afirmou não querer que a igreja se desculpe e confirmou que seu time não mais participará da liga.
dykerama

Centro Cultural SP exibe I Mostra de Cinema LGBTT


Poucos dias após o sucesso da Parada do Orgulho Gay, a cidade de São Paulo continua vivenciando o mês internacional do Orgulho LGBT. Celebrando o momento e a diversidade, o Centro Cultural da Juventude e o Centro Cultural São Paulo apresentam a I Mostra de Cinema LGBTT, com filmes que abordam temas direta ou indiretamente ligados à homossexualidade. Sucessos recentes do cinema como "Milk - A voz da Igualdade", que rendeu Oscar de melhor ator para Sean Penn, e o brasileiro "Do Começo ao Fim", integram a programação que vai até o dia 26 de junho.Especificamente para o público feminino, um dos destaques é o francês "O Verão de Clara" (2004), sobre a descoberta da homossexualidade na adolescência.Confira aqui a programação completa.
dykerama

Lésbicas são expulsas de bar após se beijarem


Duas mulheres foram expulsas de um bar em Jundiaí (SP) no último domingo (13). A estudante Mariane Comparoni afirmou ao “G1” que foi abordada por seguranças do estabelecimento após beijar sua companheira.Mariane contou que a namorada foi puxada pelo braço e colocada para fora do bar. Como ela se recusou a sair, foi retirada à força do estabelecimento. "Não fiquei com marcas, mas ainda sinto dores nos braços", disse a estudante, que alegou preconceito: "Se fosse um casal hétero que tivesse se beijando nada disso teria acontecido.”Luiz Gonzaga Lima Neto, dono do bar, negou que tenha discriminado o casal e explicou que as mulheres foram “apenas convidadas a se retirar porque estavam se excedendo”. Segundo o comerciante, uma das moças levantou a blusa da outra e começou a acariciar seus seios.O casal prestou queixa na Delegacia da Mulher e vai aguardar o parecer da polícia para decidir se vai processar o bar por discriminação.
dykerama

terça-feira, 15 de junho de 2010

Militares dos EUA são acusados de agredir homem gay


Dois membros da Marinha norte-americana estão sendo acusados de agredir fisicamente um homem gay no último fim de semana. A vítima, identificada como Kieran Daly, ainda está hospitalizada com ferimentos por todo o corpo, inclusive no cérebro, em um hospital da Georgia. Os militares Keil Joseph Cronauer, 22, e Charles Stanzel, 23, contaram à polícia que estavam sendo abusados por Kieran Daly, mas testemunhas contaram uma história bem diferente. Pessoas que presenciaram o ataque relataram que um dos acusados ficou nervoso ao pensar que Daly estava se insinuando para ele e golpeou-o na cabeça, deixando-o inconsciente. No hospital, Daly negou que estivesse paquerando os militares e contou que, durante a sessão de pancadaria, um dos agressores disse que merecia respeito por "já ter servido no Iraque". Cronauer e Stanzel estão presos na base militar em que servem e serão investigados pelo FBI, que desconfia de crime de ódio.
pride

Astros do rúgbi postam foto feita em vestiário


Na última semana os jogadores de rúgbi Gareth Thomas e Nick Youngquest chamaram a atenção geral ao trocar posts bem animadinhos via microblog. Os tuítes incluíram discussões bem humoradas sobre fotos sem camisa, pelos pubianos e uma proposta para que os dois, peladinhos, jogassem Twister juntos. Para quem não conhece, Twister é aquele jogo em que duas ou mais pessoas se enroscam tentando posicionar partes do corpo nos locais estabelecidos.Pois bem, depois da repercussão do que foi interpretado por alguns como uma paquera online, Youngquest postou uma foto sua ao lado do assumidamente gay Thomas em um vestiário. Ambos sem camisa e exibindo ótima forma. Tudo bem que Nick Youngquest é casado com uma bailarina e sempre se disse hétero, mas a gente não pôde deixar de imaginar como os dois formariam um casal super quente.
lifestyle

Ricky Martin diz estar torcendo pelo Brasil na Copa


Ricky Martin está engrossando a torcida para que o Brasil conquiste o hexacampeonato mundial de futebol. O astro assumido da música, que vem acompanhando a Copa do Mundo e postando em seu Twitter mensagens de apoio a suas equipes prediletas, revelou via microblog que, por ele, o Brasil leva a taça. "Tou torcendo para que ganhe o Brasil!!! Todo mundo tenta, mais só Brasil é penta!!", tuitou em um português se não perfeito, simpático.
mix

Miss Universe Gay coroa representante da França


O transformista conhecido como Sheyene Katrim, do interior de São Paulo, venceu o concurso Miss Universe Gay, realizado em Salvador no último fim de semana. Caio, o estudante por trás de Sheyene, tem 18 anos e representou a França na competição, que contou com outros 14 participantes e público de quase 2 mil pessoas. Esta foi a segunda vez que o Miss Universe Gay coroou um transformista representante da França.
dramatica

Jornalista argentina chama ex-presidente do BC de gay e é processada

Martín Redrado
A disputa política que levou a Argentina a uma crise institucional nos primeiros meses do ano voltou à tona nesta sexta-feira em tom folhetinesco, após o ex-presidente do Banco Central Martín Redrado ter entrado com uma ação na Justiça por ter sido chamado de gay.Redrado entrou nesta sexta-feira com uma ação judicial pelo suposto crime de injúria contra a namorada do ministro da Economia argentino, Amado Boudou, a jornalista Agustina Kamfer, que em um programa de TV de fofocas disse que o ex-presidente da autoridade monetária é gay.Boudou e Redrado entraram em conflito em dezembro passado depois que o ex-titular o banco central resistiu em aceitar uma ordem da presidente Cristina Kirchner para utilizar as reservas do banco no pagamento da dívida.O conflito deixou a Argentina em uma situação de crise institucional, em meio a choques entre os poderes executivo, legislativo e judiciário, que se estenderam por vários meses. Após a afirmação, Kampfer foi despedida do programa "Um mundo perfeito", do canal América, que justificou sua decisão informando que a jornalista "usou de forma discriminatória a palavra gay para desqualificar o ex-presidente do Banco Central Martín Redrado"."Nesse contexto, América TV decidiu cancelar a participação da colunista Agustina Kampfer no programa 'Um mundo perfeito'", afirmou um comunicado da emissora.O dono da América TV é o deputado Francisco De Narváez, um férreo opositor ao governo Cristina Kirchner.Kampfer, por sua vez, apresentou na quinta-feira um documento diante do Instituto Nacional contra a Discriminação, no qual argumentou que não discriminou Redrado, cuja sexualidade, disse, "não dou a mínima".O crime de injúria prevê sanções econômicas de 375 a 5.000 dólares.
uol

Série policial da Globo terá romance gay entre delegado e repórter


Mauricio Mattar não será o único delegado gay na série policial "Na forma da Lei", que a Rede Globo estreia nesta terça-feira, 15. Todo gatinho, o ator Thiago Reis viverá seu primeiro papel de destaque na TV na pele do policial Sávio. O personagem será casado com mulher e terá uma filha, mas vai experimentar uma relação gay ao se apaixonar por Ademir, um repórter interpretado interpretado por Samuel de Assis. Irmão do também ator Cássio Reis, Thiago contou a jornalistas que os dois se conhecerão em um ambiente nada romântico: o IML. Os dois rapazes vão se aproximar e começar uma amizade que logo evoluirá para paixão. Thiago Reis disse ainda não estar preocupado com as polêmicas que os personagens certamente irão causar: "Quero mais é que tenha polêmica. Só fico um pouco apreensivo com uma repercussão negativa entre os policiais. Mas gays existem em todos os lugares."Ao contrário de Sávio, Ademir será bem resolvido quanto à própria sexualidade e deverá ser peça chave na investigação que pretende levar à cadeia o serial killer Mauricio (Marcio Garcia). "Ademir é bem resolvido com a sexualidade dele. Mas tem um passado sofrido, por ser gay e negro, e junta tudo isso nesse sentimento de justiça. Meu personagem está determinado a colocar esse assassino na cadeia", contou Samuel. "Na forma da Lei" estreia nesta terça, 15, às 22h50, logo após o Casseta e Planeta.
cultura gls

Parada Gay reuniu mais de 30 mil pessoas no Complexo da Maré


Uma das regiões mais violentas do Rio de Janeiro, o Complexo da Maré, na Zona Norte, foi palco da 2ª Parada Gay da Maré neste domingo (13). Entre as reivindicações dos manifestantes estava a instalação de uma delegacia LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) na cidade maravilhosa.
Segundo a organização do evento, a instalação da delegacia já foi aprovada pela Assembleia Legislativa do Rio, mas o governador do estado ainda não sancionou a medida. Dados não oficiais divulgados pelos organizadores da parada apontam que dois gays são mortos por dia na capital fluminense. A PM não teria essa estatística porque coloca os homossexuais como homens nos registros.
Apesar disso, o esquema policial em torno do evento foi reforçado. Cerca de dez viaturas da Polícia Militar vigiavam o movimento, armado às margens da Avenida Brasil, em frente à sede da Fiocruz. A expectativa era de que 50 mil pessoas participassem da parada até a meia-noite, 20 mil a mais do que no ano passado.

uol

sábado, 12 de junho de 2010

À procura da felicidade


CONTO ERÓTICO
Eva sabia que ficar tão próxima à Luisa seria perigoso para as duas... A amizade falaria mais alto nesta situação? Ou a atração seria um fator predominante naquela cena?Eva sabia dos seus sentimentos, porém Luisa não demonstrava corresponder muito, pelo contrário, não aprovava aquele tipo de relacionamento.Eva sentiu algo subir pelo estômago, uma vontade sufocante de provar dos lábios de Luisa. Ela não sabia o que fazer com esse sentimento novo. Ela que ficava com todos os carinhas na boate e foi apaixonada por seu colega de sala no colégio por anos, a fim de uma menina?Luisa por sua vez não entendeu o olhar que Eva lhe lançou. Seria realmente o que estava pensando? Ou estaria confundindo?Eva então ousou mais... Aproximou-se de Luisa com intuito de beijá-la, o que não passou despercebido por Luisa.A questão agora era: ceder ao impulso? Ou velar pela amizade?Luisa achava que o que estava acontecendo não era certo... Não podia ser o certo, fora criada na religião protestante, onde não havia espaço para esse tipo de sentimento. Mas ao mesmo tempo eram tão cúmplices, tão diferentes e se completavam. Uma loira e a outra morena. Uma protestante e a outra nem religião seguia, mas adorava astrologia - até pra times diferentes torciam.Como duas pessoas tão diferentes e cada uma com seus conflitos internos poderiam se atrair?- Eva, não faça isso - disse Luisa se afastando do provável beijo que aconteceria.Eva pareceu acordar daquele torpor. Luisa a hipnotizava... Tinha esse talento com as mulheres mesmo sendo hétero.- Luisa eu tentei, mas é mais forte que eu...Eva puxa Luisa pela nuca e lhe dá um beijo.Luisa tenta lutar com o sentimento que lhe invadia e acabou se soltando do beijo.O que teria sentido naquele instante? Tesão? Paixão? Afinal, o que sentia dentro de si? O que estaria pensando depois daquele beijo?Luisa não sabia o que sentia... Sem demoras, expulsou Eva, chamou-a de louca e disse que nunca mais a queria ver. Mesmo com a partida de Eva, Luisa não se sentia melhor.Como Eva pode fazer aquilo? Ceder a um impulso. Agora a amizade acabou? Provavelmente sim. Mas se Luisa a tinha expulsado, de duas uma: ou fugiu de seus próprios sentimentos ou realmente não admitiu o seu ato.Foram essas dúvidas que torturaram Eva quase um mês. Fizeram como se nunca tivessem se conhecido, porém a tristeza que caía sobre as duas dizia ao contrário, mas o que fazer? Como agir? Deveria Luisa deixar toda sua vida por uma paixão? PAIXÃO? Estaria apaixonada por Eva? Não sabia... O que fazer? Deveria ligar? Deveria esquecer de vez?Eva por sua vez procurava seguir a vida... Finalmente estava se dando bem com alguém... Mas não conseguia tirar Luisa da cabeça. Por quê? Estaria apaixonada? Ou seria pela amizade de sempre? Era a distância? O que estaria encorajando esses sentimentos dentro de si?Eva resolveu aceitar o convite das amigas e foi ao teatro (há muito tempo não saia com as amigas e precisava se divertir um pouco, nada que uma comédia não ajudasse).Luisa tentava se livrar dos sentimentos e aceitou sair com Vitor novamente - já era a terceira vez que saíam juntos. Ele era agradável, mas não conseguia sentir mais do que amizade por ele. Aceitou seu convite e foram ao teatro.O espetáculo foi simplesmente perfeito. No final, os atores agradeceram e todos se levantaram para sair. De repente, um esbarrão:- Luisa?- Eva?E o silêncio toma conta de tudo.Os olhares agora se hipnotizam...- Luisa? - Chamou Vitor. Luisa voltou a si e falou um “oi” e “tchau” pra Eva. Não queria continuar ali, com todos aqueles sentimentos voltando à tona. Não hesitou e puxou Vitor, saindo do teatro.Eva voltou à realidade ao ouvir o namorado de Luisa chamar... NAMORADO? Voltou para casa. Pior do que já estava. A chuva começou a cair lá fora. Eva no seu quarto ficou relembrando o passado: o beijo entre ela e Luisa.Resolveu ir até a casa de Luisa, não poderia mais viver com essa dúvida no coração. Saiu com o carro, parou na frente da casa de Luisa. Deixou que a chuva molhasse seu corpo.- Luiiiiiiisaaaaa! – gritou.Luisa não acreditou no que ouvia, conhecia bem aquela voz, abriu a janela do quarto e viu Eva debaixo da chuva. Saiu de casa e foi ao seu encontro. As duas de frente uma pra outra, agora molhadas pela chuva torrencial.- O que faz aqui?- Vim porque precisava te ver e falar com você.- Eu já disse que não quero falar com você.- Para de fugir de mim, Luisa. Não vê que me machuca assim? Apesar de tudo ainda somos amigas, não somos? - Não estou muito certa disso. - Não faz assim Luisa... Eu te amo.Essa frase foi como uma faca dentro do peito para Luisa. - Eu não posso... - Por que não pode? Do que tem medo Luisa?- Não é certo...- Não é certo? E é certo você deixar de ser feliz porque acha que não é certo ser feliz comigo?- Como pode ter certeza de que seremos felizes? - Eu não tenho certeza, mas sei que não estamos felizes. Vai negar que sente a minha falta? - Não... Eu sinto muito a sua falta, mas como amiga. - Você sabe que não é isso e eu vou te provar.Eva agarrou Luisa e lhe deu outro beijo. Luisa quis se afastar, mas aquela língua quente em sua boca e a chuva que caía sobre elas contribuía para que cedesse ao beijo.Luisa, enfim, consegue se livrar.- Para Eva... Não confunda as coisas.- Não diga que eu estou confundindo as coisas. Você correspondeu ao beijo... Desta vez e da outra também. Até quando você vai mentir pra mim e pra si mesma? - Não seja tão... pretensiosa, o que faz achar que correspondi? Você me agarrou à força. - E você gostou. - Meu Deus, Eva, como pode ser tão... Cafajeste? - Só estou dizendo a verdade. Se isso te dói, não posso fazer nada. - Arg! Olha aqui, Eva...- Não, olha aqui você... Quando é que vai admitir pra si mesma que tá louquinha por mim?- Saiba que esse joguinho de palavras está me irritando, mocinha... - Pareceu minha mãe falando.Riu e se aproximou de novo, mas dessa vez não agarrou Luisa, somente encostou os lábios nos dela.Luisa sentiu os lábios nos seus... Sussurrou em sua boca... - Vem... Vamos entrar...- Quer fazer o que lá dentro? - Está frio aqui Eva, pare com sua gracinhas – Luisa disse e virou as costas.Entraram e Luisa trouxe uma toalha limpa para que Eva pudesse se secar. Luisa ameaçou sair para o quarto, mas Eva foi mais rápida a segurou pelo braço.- Estou com frio... Não quer que eu adoeça, quer?- E o que quer que eu faça, senhorita engraçadinha?
- O que acha de me esquentar?- Se você continuar com essas gracinhas, vou te colocar pra fora nessa chuva. - Jura? Eu acho que você quer outra coisa. - Não cansa de ser tão... - Louca por você - interrompeu Eva. - Para com isso.Eva foi se aproximando...- Pare com isso porque você tá me deixando... - Excitada? - Não, constrangida... Incomodada, e muito irritada. - Sei... Se você está tão incomodada por que não saiu do lugar? Você tá esperando um beijo, não é? Confessa...Luisa cansou de ceder, as provocações de Eva estavam a deixando deveras excitada. - Então beija, Eva... Me beija logo, e aproveita porque não me terá de novo.- Vou beijar sim... Mas vou te dizer uma coisa: a próxima vez que eu te tiver vai ser porque você me procurou, grave bem isso...- Quando foi que ficou tão cheia de si? - Veremos... Eva aproximou-se para beijar Luisa. Esta não se afastou e deixou que a língua percorresse sua boca. A boca de Eva percorria o pescoço de Luisa, fazendo um caminho incandescente por onde passava. Apertou seu corpo ao dela, comprimindo-a contra a parede mais próxima.- Não empolga Eva – sussurrou com um gemido. Ao mesmo tempo que sentia uma felicidade imensa por ter Luisa nos seus braços, sentia um misto de raiva e desejo... Como Luisa podia negar o que sentia?- Você quer que eu aproveite? Então terá o que quer...Eva foi puxando a blusa de Luisa para cima até que seus seios ficassem despidos. Aquela visão foi um incentivo para que ela abocanhasse um deles como fome e sede.- Não faz isso, Eva... – disse entre gemidos.- Por que devo parar se eu sei que está gostando? Não precisa me responder... Apenas sinta...Eva beijou, sugou os dois seios com vontade, deixando Luisa cada vez mais ofegante. Ela preferiu não falar nada, não tinha o que dizer, estava tão tonta com as sensações que aquela boca lhe proporcionava, que até perdeu a voz.Eva subiu até seu ouvido e brincou ali, mordeu, passou a língua...- Diz que me quer, Lu, diz! Diz o que quer que eu faça com você?Continuou acariciando os seios com as mãos. Agora abrindo o zíper da calça, colocou a mão por dentro ainda por cima da calcinha. Luisa gemeu...- Diz o que quer, Lu... Diz para mim.- Já te disse que eu não vou pedir nada... - Se quiser meus dedos dentro de você vai ter que pedir Lu... Pede.Luisa queria ser mais forte e provar que não sentia o mesmo, mas depois de sentir os dedos de Eva esqueceu de tudo. Eva continuou com os dedos por cima da calcinha provocando...- Pede Lu... É só falar... É só dizer o que quer e eu faça.- Por favor, Eva, para com essa tortura...- Diga Luisa... É apenas uma frase... Eu sei que você quer... Seu corpo me diz.Luisa não quis mais resistir.- Quero você dentro de mim agora... Eva estremeceu com essa frase, não demorou mais, desceu a boca até os seios e começou a sugá-los. Um depois o outro, beijou a barriga, mordeu, foi descendo a calça com dificuldade, pois estava molhada, livrou-a da calcinha. Luisa assustou-se e quis protestar.Eva vendo a reação de Luisa rapidamente colou seu corpo no dela e começou a beijar, refazendo todo o trajeto que a enlouquecia. Luisa relaxou, estava com medo do que viria a seguir, mas sentindo a língua de Eva nos seus seios e se entregou totalmente. Eva percebeu e deu um sorrisinho vitorioso. Desceu a boca pela pele quente, uma febre louca tomou posse do corpo de Luisa. Prendeu a respiração ao sentir os dedos de Eva brincando em seu sexo sem penetrar...- É isso que quer? Pede de novo.- Não... - Você quer? Então implora.- Já disse que quero você dentro de mim agora.Diante da ordem, Eva colocou um dedo, Luisa gemeu, nunca sentiu tanto tesão na vida. Em seguida colocou outro e Luisa não se conteve: gemeu alto compulsivamente. Eva adorou. Começou um movimento de vai e vem, fazendo Luisa se contorcer toda.- Mais rápido! Mais forte – pedia sem receio.Eva estava adorando toda aquela submissão. Desceu os lábios até o sexo de Luisa que, ao perceber seus movimentos, contraiu todos os seus músculos.Eva refez o caminho e disse no ouvido da amiga:- Confia em mim, você vai adorar.Ainda tinha suas dúvidas, mas resolveu ceder às certezas de Eva, que desceu a boca para o local tão desejado. Luisa relaxou. Eva puxou uma das pernas de Luisa e colocou sobre o ombro, mergulhando a boca em seu sexo. Luisa gemeu como nunca havia feito. Nunca tinha sentido aquilo e pensou por um momento que fosse morrer, mas de repente Eva parou... Fez com que Luisa deitasse sobre o tapete, despiu-se rapidamente e, em segundos, já estava nua sobre ela.Luisa observou e deliciou-se com o corpo de Eva, era a primeira vez que a olhava daquele jeito. Seu corpo todo se estremeceu ao sentir os seios de Eva tocar os seus. Por um momento sentiu que ali era o lugar daquele corpo. Sim, ela sempre quis aquele corpo sobre o dela, se esfregando, a fazendo sentir um turbilhão de emoções e prazer. Deixou o pudor de lado e apertou os seios de Eva, sentindo muito prazer... Mas o melhor estava por vir. Sentiu que as mãos de Luisa a acariciavam no seu sexo... No começo timidamente, mas depois repetindo os mesmos gestos de Eva.Eva nunca esperou que fosse ser correspondida desse modo, mas adorou, tanto que começou a gemer e rebolar nos dedos de Luisa, que também fez o mesmo. Começaram uma dança sensual, até que os corpos começaram a tremer. E percebendo que Luisa não aguentaria por muito tempo, ela parou.- Por que parou Eva?Eva se encaixou de maneira que os sexos se tocassem.- Você disse que eu só te teria uma vez... Então eu quero que goze olhando nos meus olhos, para nunca esquecer esse momento.Eva começou a roçar seu sexo no de Luisa. Levantava os quadris para aumentar o atrito e sentir ainda mais prazer. Os corpos começaram a tremer, então Luisa cravou as unhas nas costas de Eva e gritou seu nome tão alto que Eva se viu sacudida por espasmos violentos. Eva deixou seu corpo cair sobre o de Luisa, que a abraçou possessivamente.- O que achou?- Normal.- Normal? Quer dizer então que você geme de prazer assim com qualquer um?- Sim, não foi diferente.Eva não ia ficara ali aguentando aquela grosseria, se ela queria brincar ia fazer o mesmo joguinho.- OK, diga o que você quiser. Levantou-se num pulo e se vestiu. Abriu a porta e disse:- To esperando você ir me procurar... Só não demore muito, minha paciência pode se esgotar. E saiu. No mesmo instante, Luisa começou a chorar, sabia o quanto tinha mentido. Mas o que poderia ter feito? Gritar pra ela voltar? Dizer que a queria? Não, definitivamente não podia.Tudo que ela sentiu fora intenso, forte, poderia dizer até que foi... mágico. Mas tinha muitos conflitos para entender. Uma coisa apesar de tudo ela sabia: pertencia a Eva por mais que essa certeza lhe doesse.Luisa levantou-se e sobre a mesa da sala viu um livro aberto em uma certa página, um pensamento de um autor desconhecido:“O ser humano está sempre à procura da felicidade, mas para encontrá-la é preciso fazer escolhas. Nem sempre o que se acha certo é o que se deve fazer. Para ser feliz, você não tem que tomar as decisões certas e sim arriscar-se e permitir ser feliz.”Luisa refletiu... Subiu até o quarto e vestiu qualquer roupa, pegou as chaves do carro e foi até a casa de Eva. Estava disposta a lhe revelar sua decisão.Ao estacionar o carro, bateu na porta.Eva abriu e assustou-se.- Acho que sou bem mais educada, não é? Não acordei nenhum vizinho.- O que faz aqui? - perguntou fingindo-se de indignada.- Quando é que vai parar de me fazer dizer coisas tão complicadas?- Diz... Quero ouvir.Luisa se arrepiou com o pedido, as dúvidas vieram novamente, mas não podia voltar atrás, tinha que vencer o medo e a vergonha que lhe assombravam.- Eu vim aqui...- Veio aqui...- Porque eu te quero desde aquele beijo... Não consigo pensar em nada e nem em ninguém que não seja você, tive a certeza disso hoje. Eu menti... Nunca na minha vida senti nada igual... Com ninguém.Luisa reuniu toda a coragem dentro de si e falou de uma só vez. Estava muito próxima de Eva e podia sentir sua respiração...- Eu quero você, Eva... Como nunca quis ninguém.Eva se arrepiou toda com a última frase, teve certeza de que a faria muito feliz e pelo resto da vida. - Vem aqui... - disse puxando-a pela cintura e sendo enlaçada pelos braços de Luisa.- Vou te fazer sentir tudo de novo.Eva levou Luisa para o seu quarto e a deitou na cama, fazendo-a provar novamente do mais sincero e puro amor. Quando os sexos se encontraram e os olhos também, Luisa segurou o rosto de Eva entre as mãos e disse olhando em seus olhos:- Eu te amo. Sempre te amei... Me faça feliz.
dykerama

Vocalista do Bloc Party, Kele Okereke, fala tudo sobre sua homossexualidade à revista Butt


O vocalista da banda de rock Bloc Party, Keke Okereke falou abertamente sobre sua homossexualidade para a revista holandesa Butt. neste mesmo mês, Kele está na capa da revista gay inglesa Attitude. Para a Butt, Kele disse que pretende "mostrar que há gays de todas as formas e tamanhos".Kele está lançando seu primeiro álbum solo, The Boxer , e para a Butt recordou de sua infância: "Os meus pais são super-Católicos e vêm de uma cultura nigeriana onde não havia pessoas gays assumidas e felizes. Eles (seus pais) estão ficando mais velhos e não gosto da ideia de que eles possam morrer sem saber de uma grande parte da minha vida. Não é fácil. Mas sei que eles me amam e eu amo-os a eles"."A razão pela qual estou falando sobre minha homossexualidade é o fato de, sempre que saio, ser abordado por rapazes gays novos que me dizem que é muito refrescante e encorajador ver alguém como eu a assumir-me numa banda relativamente mainstream"."Se tivesse tido alguém a dizer-me que é ok ser quem é quando era adolescente, provavelmente seria uma pessoa muito diferente hoje. É por isso que faço isto agora, depois de anos sem fazer nada. É bom mostrar que há gays de todas as formas e tamanhos".
cultura gls

Bafônica, Lady Gaga negocia ensaio nu para a Playboy


Pensa que já viu tudo sobre Lady Gaga? Pois veja essa: a loirinha deve sair nua em pelo na revista masculina Playboy. De acordo com os site “Popcrunch”, desta terça-feira, 8, as negociações estão adiantadas – uma vez que os convites e negociações somam um ano - e Gaga pode posar nua já para a próxima edição. Na verdade, esse não era o desejo de seus empresários, assessores e amigos. Mas disposta a surpreender o público, Gaga parece não se importar. Segundo uma fonte do site, a cantora não vê problema em tirar fotos nua, assim como Madonna já fez, e afirma que essa é mais uma forma de expressão. “Ela acha que será uma experiência e ela sempre está buscando crescer como artista. Ela não acha que há algo de mau gosto nisso. Ela enxerga o ensaio como mais uma forma de expressão”, contou uma fonte próxima da cantora. Outro fator que está contribuindo para o ensaio é que Lady Gaga sempre foi fã do trabalho e Hugh Hefner, o dono da Playboy, e a promessa de protagonizar o ensaio mais chocante da história da revista. “Ela sempre procura chocar e entreter, e algo assim seria perfeito para ela. Ela quer que suas fotos sejam algo que a Playboy nunca viu antes. E, se ela não desistir, seu ensaio será algo que a Playboy nunca viu”, acredita a fonte. Nós também.
dramatica

Poderoso selo de festas espanhol Supermartxe marca sua primeira festa em São Paulo


O selo de festas Supermartxe, um dos mais conhecidos do circuito gay de Barcelona e Ibiza, confirmou sua primeira festa em São Paulo. Os meninos desembarcam por aqui com a versão Porn de sua festa e traz consigo o DJ-gato Hugo Sanchez. A cenografia fica por conta do selo espanhol, bem como as performances da noite _que devem ser bem calientes, por assim dizer (no vídeo abaixo você confere como é a festa Supermartxe Porn).Pois bem. A festa rolará no dia 24 de julho em uma área exclusiva do clube Flex. Essa edição da Supermartxe vai servir para comemorar o aniversário do produtor da E.Joy e da Flex, o loirão Rodrigo Zanardi. E só convidados do moço entram na festa, não vai rolar venda de ingressos. É assim: uma entrada exclusiva do clube Flex será aberta para os convidados do Rodrigo. Esse povo vai direto para a pista que será montada do lado aberto do clube. Palco, banheiros e bares também serão montados apenas para a Supermarxte. O clube Flex será aberto neste dia somente na pista interna, para os frequentadores habituais do clube.Ainda na parte Supermartxe da noite, uma pista menor estará aberta no fundão do clube, mais intimista. E a área VIP também será acessada por ali. O selo Supermartxe deve fazer outras festas no Brasil no próximo verão.Marque na agenda.
lifestyle

Aproveite Dia dos Namorados e de Santo Antônio para arrasar na simpatia


Este fim de semana é de duas datas importantes para os românticos de plantão: Dia dos Namorados e do casamenteiro Santo Antônio. Quem já está namorando tem mais é que curtir o 12 de junho agarradinho e aproveitando a companhia daquela pessoa especial. Mas se você está no time dos solteiros e morrendo de vontade de passar para a equipe dos casados, Santo Antônio pode dar uma forcinha. Como não custa nada tentar, a gente sugere algumas mandinguinhas para que você agrade o santo e, quem sabe, passe o próximo Dia dos Namorados muito bem acompanhado. Boa sorte!
lifestyle

Atriz iraniana lésbica pode ser executada por ser homossexual


Estrela principal do filme autobiográfico “Cul-de-Sac”, a atriz iraniana lésbica Kiana Fiorouz continua lutando para não ser deportada para o Irã, onde a homossexualidade é crime com direito à pena de morte. Essa luta é contada no longa dirigido por Ramin Goudarzi Nejad e Mahshad Torkan. Kiana começou a ter problemas em Teerã quando tiveram início as perseguições e intimidações de agentes do departamento de inteligência iraniano. De lá ela fugiu para a Grã-Bretanha, onde vive atualmente. Mas seu exílio está ameaçado porque o departamento encarregado das questões relacionadas à imigração, Home Office, negou sua permanência naquele país.O argumento para negar a permanência foi o de que uma vez no país tolerante a atriz poderia esconder sua orientação sexual, mesmo sendo protagonista de um filme sobre isso. Kiana entrou com um recurso contra a decisão e aguarda a resposta. Se for deportada de volta ao Irã, ainda mais depois de sua fama com o filme, pode ser torturada e até morta por ser lésbica. No Irã, lésbicas que se envolvem em um relacionamento consensual recebem como punição uma centena de chibatadas, podendo ser punida até três vezes antes de serem executadas, sim, mortas mesmo.
cio

Estudo acadêmico afirma que filhos de casais lésbicos são mais equilibrados que de héteros


Crianças criadas por duas mães têm melhor capacidade psicológica que filhos de héteros, diz pesquisa
Um estudo que durou 24 anos para ser concluído, mostra que filhos cirados por casais formados por mulheres são mais equilibrados que os criados por casais formados por um homem e uma mulher. O resultado da pesquisa ganhou desatque da rede de TV CNN.O estudo, da autoria da pesquisadora Nanette Gartrell, acompanhou 78 filhos de casais formados por mulheres e avaliou o bem-estar deles através de questionários e entrevistas. As respostas foram codificadas, submetidas a análise e posteriormente comparadas com dados de crianças criadas por casais heterossexuais.Os filhos de casais lésbicos mostraram ter competências superiores em níveis sociais e acadêmicos e menor tendência para problemas de agressividade e desrespeito por regras. Segundo análise da pesquisadora, a presença de duas mães e o fato de a maioria dessas crianças ter sido gerada de forma planeja podem ter desencadeado tais "vantagens".
mix

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Lésbicas terão direito a visitas íntimas na prisão


Argentina aprovou sentença que beneficia casal que começou relação em prisão feminina



Um casal de mulheres ganhou o direito de receber visitas íntimas em uma prisão na Argentina.De acordo com a agência “EFE”, o Tribunal Federal I de La Plata beneficiou um casal que começou sua relação num presídio localizado em Ezeiza, nos arredores de Buenos Aires.Gisele Merli conheceu Rosa Pistillo quando esteve detida em Ezeiza. Após ser libertada, Gisele pediu assessoria para poder tramitar a autorização judicial para visitar sua namorada, que cumpre pena de prisão perpétua por ter sido cúmplice do sequestro e assassinato de um adolescente em 2002.Agora, Gisele e Rosa poderão se encontrar na prisão, em um quarto especialmente condicionado para o casal.
dykerama

Maria Gadú e Luiza Possi trocam beijos, diz jornal


Cantoras foram vistas em momentos íntimos em festa no Rio de Janeiro na última sexta-feira (4)


As cantoras Maria Gadú e Luiza Possi teriam sido vistas em momentos íntimos na última sexta-feira (4) em uma festa no Rio de Janeiro.De acordo com a coluna “Retratos da Vida”, do jornal “Extra”, Gadú e Possi trocaram selinhos na área VIP da festa Gambiarra, realizada no Circo Voador. Ainda de acordo com a publicação, as artistas ficaram no maior clima de cumplicidade e curtiram juntas a festa.Sobre o suposto caso com Luiza Possi, Maria Gadú comentou recentemente: “Não ligo para isso, entendo a situação da mídia. É complicado uma amizade entre duas mulheres, ainda mais com esse meu jeitão e essa minha cara. Nunca vão me colocar namorando o Dado Dolabella, é mais fácil criar polêmicas.”


dykerama

Vacina contra H1N1 pode enganar resultados para HIV


Quem se vacinou contra a gripe H1N1 pode ter diagnóstico positivo para HIV sem ser realmente portador do vírus. Segundo o Ministério da Saúde, o possível engano no resultado pode ser decorrente do aumento, por 30 dias, da quantidade do anticorpo imunoglobina-m, tido como indicativo da presença do vírus da Aids. O diagnóstico falso pode ocorrer até 112 dias após a vacinação contra a H1N1.Segundo o advogado Julius Cesar Conforti, especializado na área médica, quem receber um eventual teste equivocadamente positivo para HIV pode entrar com ação por danos morais contra o governo federal.
Para Conforti, o governo deveria ter incluído nas campanhas de vacinação informações sobre o risco de erros nos diagnósticos."Qualquer pessoa que se sinta lesada em decorrência de um resultado equivocado de um exame, pode buscar judicialmente a reparação dos danos sofridos, incluindo os de ordem moral. No caso específico da vacina H1N1, não tendo o Estado cumprido com a devida obrigação de informação à população, certo é que pode ser responsabilizado pelos danos causados aos cidadãos que receberam um resultado equivocado de HIV. Ainda que a real constatação da existência do vírus dependa de novos exames – contraprova – o fato de ter havido um resultado positivo, por si só, é causa de grandes abalos psicológicos e emocionais, ensejadores do recebimento de indenização por dano moral", explica o advogado.
lifestyle

Veja quem esteve na festa de lançamento da JUNIOR#18


Na última semana o clube paulista Bubu foi palco da festa de lançamento da JUNIOR#18. A edição de junho de sua revista predileta foi recebida com casa lotada em edição especial da Chic, que contou com o DJ norte-america Mike Cruz como principal atração da noite. Vários gatinhos, inclusive sorteados aqui no Mix, apareceram.
lifestyle

Em seu twitter, Serra reitera sua defesa ao "direito á diversidade" e elenca medidas para população LGBT


José Serra postou em seu Twitter na madrugada desta quinta-feira o seguinte post: "Sempre defendi o direito à diversidade". No mesmo post ele publicou um link para o blog Amigos do Serra que conta com uma sequência de medidas que ele tomou desde quando era Ministro da Saúde dirigidas para a comunidade LGBT, além de discursos do candidato nos quais defende os direitos civis desta população. O conteúdo destas medidas podem ser lidos AQUI.
pride

Programa de governo de Marina Silva faz apenas uma referência a luta contra homofobia


Nada de casamento, união civil, adoção de crianças por homossexuais nem menção a nenhum direito reivindicado pelo movimento gay brasileiro. O programa de governo que a pré-candidata a presidência pelo PV Marina Silva divulgou nesta quinta, 10, conta com apenas uma referência aos direitos civis de homossexuais. O texto do programa afirma que um virtual governo Marina lutaria contra homofobia."Lutar contra todas as formas de discriminação: étnica, racial, religiosa, homofobia, sexismo ou outra – Garantir a cada grupo espaço próprio de participação política e de respeito e atenção às suas demandas específicas, ou seja, uma porta de entrada para suas reivindicações, clara e bem identificada, no governo federal. Os Conselhos de Políticas para as Mulheres e da Juventude, as Conferências de Direitos Humanos e de LGBT são exemplos de instrumentos na luta contra a discriminação e na melhoria da elaboração de políticas para públicos específicos. Políticas de igualdade racial, inclusive a manutenção das cotas para negros, serão reforçadas, como parte de um processo de restauração de equilíbrio aos desequilíbrios históricos contra as minorias", diz o texto.
pride

Justiça do Mato grosso do Sul obriga cartórios registrar união gay


Justiça de Mato grosso do Sul obriga cartórios do Estado registrar uniões civis entre homossexuais
A partir de agor as oficializações das uniões civis entre homossexuais serão facilitadas no estado de Mato Grosso do Sul. Uma norma publicada nesta terça-feira, 8, pelo Tribunal de Justiça permite que a união estável de casais homoafetivos seja legalizada nos cartórios do Estado sem que, para isso, seja necessá¡ria autorização judicial.A decisão é inédita no Brasil, a primeira que abrange todas as comarcas de um Estado. Com o documento, os casais poderão comprovar a união para cadastro em bancos, companhias de seguro e na previdência social.
uol

quarta-feira, 9 de junho de 2010

ENCONTRO DO PROJETO DISCRIMINAÇÃO


AMIGO
BOCA-ABERTA

Thammy Gretchen apresenta sua nova namorada e diz que vai se casar


Thammy Gretchen está noiva e promete se casar no dia 25 de setembro próximo. Agora ela acaba de apresentar sua felizarda noiva. Trata-se de Jenifer Ferracine, de 23 anos, musa do time do São Caetano no concurso Gata do paulistão. As duas estão noivas e moram juntas no Recife, em Pernambuco.
dramatica

Mauricio Mattar pinta os cabelos de loiro para interpretar gay na TV


O ator Mauricio Mattar apareceu com os cabelos cheios de mechas loiras. A mudança faz parte do novo papel que o galã vai interpretar na TV, um delegado gay. Mattar será um dos protagonista da série policial "Na forma da lei", de Antonio Calmon, que estreia no próxima dia 15. Veja foto e avalie.
cultura gls

Elton John canta em casamento de líder conservador


Elton John fez uma apresentação particular especial no último fim de semana. Ele cantou durante a festa de casamento do famoso radialista conservador norte-americano Rush Limbaugh, 59. Segundo a revista "People", o cachê para a apresentação teria sido de US$ 1 milhão, cerca de R$ 1,8 milhão.
Elton John, casado com o canadense David Furnish desde 2005, apresentou-se para cerca de 400 convidados, entre os quais estavam o ex-prefeito de Nova York Rudolph Giuliani e o conselheiro de George W. Bush, Karl Rove.
O casamento aconteceu na Flórida na noite de sábado. Este foi o quarto casamento de Limbaugh.


folha online

Ricky Martin será Che Guevara em musical na Broadway


Ricky Martin irá estrelar na Broadway a nova versão do musical "Evita". O espetáculo de Andrew Lloyd Webber está previsto para estrear em Nova York no primeiro semestre de 2012.
Martin irá assumir o papel do revolucionário Che Guevara. Ele deve atuar ao lado da atriz argentina Elena Roger, que já interpretou Eva Perón na produção do musical em Londres em 2006.
Este será a segunda experiência do cantor nos palcos da Broadway. Na década de 1990, ele participou de uma montagem do musical "Les Miserables".


folha online

Lésbicas são as primeiras a se casar em Portugal


Um casal de lésbicas é o primeiro a se casar em Portugal, país que recentemente aprovou a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo.De acordo com a agência Associated Press, Teresa Pires e Helena Paixão, juntas desde 2003, casaram-se em cerimônia rápida e discreta em um cartório de Lisboa.Pires e Paixão vinham tentando oficializar sua união desde 2006, mas a legislação em Portugal não permitia o casamento gay. Elas chegaram a levar seu caso à Corte Constitucional, que também rejeitou o pedido.Em janeiro, o Parlamento português aprovou a lei do casamento homossexual, e o presidente do país, Aníbal Cavaco Silva, do partido conservador, ratificou a lei em maio.
dykerama

Angelo Garcia


Angelo Garcia, integrante da última formação do grupo Menudo, assumiu ser homossexual em entrevista à revista “TV Notas”."Sou bastante honesto sobre quem eu sou, mas não gosto de rótulos. As pessoas precisam entender que a sexualidade não faz a pessoa. Sou mais do que isso, sou um filho, um irmão, um músico", disse.O ex-Menudo ainda comentou: “Nunca fiquei no armário e nunca menti sobre minha sexualidade. Acredito que devo ser honesto comigo e com os outros. Sou uma pessoa muito sexual e adoro sexo com homens. Nunca disse nada ao contrário.”Angelo Garcia chegou a integrar a banda com Ricky Martin, que recentemente também revelou sua homossexualidade.
dykerama

Morango recusa ensaio para a Playboy


As fãs da ex-BBB Angélica receberam um balde de água fria na manhã desta terça-feira: a notícia de que Morango não posará mais com Cacau para a revista “Playboy”.De acordo com o site “Ego”, Angélica teria pedido “mais de R$ 500 mil e menos de R$ 1 milhão” para aparecer nua nas páginas da publicação. Ainda segundo o site, Morango recusou a proposta por achar “injusto” o formato de receber parte do valor por meio das vendas da revista.No Twitter, Morango comentou: “Sobre a revista [Playboy] o meu ponto de vista é esse, financeiramente pra mim não é interessante e eu não aceitaria fazer pra ficar mais tempo na mídia ou pra satisfazer a vontade de milhares de pessoas. Daqui a alguns meses quero olhar pra trás e ter orgulho de tudo o que fiz, como é hoje na minha vida. E se eu fechasse um acordo com a PB, gostaria de lembrar que foi um bom negócio. Coisa que neste momento não é. Daqui a algum tempo podem fazer uma proposta melhor e o ensaio finalmente sair? Sim. Assim como este pode ter sido o último convite.”"Queria que esse ensaio adiantasse alguns sonhos, como comprar um apartamento e ser mãe. Mas tudo bem. Vou trabalhar e conseguir tudo o que quero. Já estou gravando alguns pilotos e negociando alguns trabalhos em breve", adiantou Angélica ao “Ego”.
dykerama

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Parada do Orgulho LGBT 2010


Este ano alguma coisa mudou... Com o tema "Vote contra a Homofobia", a 14a Parada do Orgulho LGBT se São Paulo foi mais tranquila, menos violenta, com menos heterossexuais e um número bem menor de participantes.Nem a APOGLBT, organizadora do evento, nem a Polícia Militar lançaram os números oficiais, mas estima-se que por volta de 2 milhões de pessoas compareceram à avenida Paulista nesta tarde de domingo, sendo que em 2009 o número foi de 3,1 milhões. A queda no número de pessoas na Parada é quase natural, já que muitos que compareceram nas edições anteriores desistiram de ir levando em conta a grande aglomeração de pessoas e a insegurança gerada por isso.Com menos gente e mais policiamento - já que a Prefeitura de São Paulo investiu mais neste quesito este ano - a Parada foi bastante segura. Andando na rua eobservando de cima dos carros a equipe do Dykerama não percebeu nenhum problema mais sério, além, é claro, da grande quantidade de pessoas (bem) alcoolizadas.Outro destaque foi a ausência de grandes personalidades ou pessoas públicas, a não ser aquelas ligadas diretamente ao movimento LGBT e vários ex-BBBs, com destaque para Dicesar, montado de Dimmy Queer, e Serginho, ambos no carro do Disponivel.com. Morango, tão esperada pelas meninas, passou rapidamente pelo camarote oficial do evento, localizado ao lado da Cads, enquanto o ex-BBB Uiliam ficou mais tempo por lá.A ausência de famosos pode indicar que a Parada esteja talvez perdendo o prestígio de "festa" e voltando às suas origens, de manifestação social e luta por direitos.De qualquer forma, só saberemos qual o destino da maior Parada LGBT do mundo nos próximos anos. Mas, como disse ao Dykerama Alexandre Peixe, presidente da Associação da Parada: "Não queremos ser a maior, queremos ser a mais tranquila, pacífica e eficaz na luta pelos direitos dos LGBT". Que assim seja.Veja nos álbuns as fotos da Parada tiradas pela fotógrafa do Dykerama, Patrícia Ferrini:1 - De tudo um pouco: uma panorâmica da 14a Parada do Orgulho LGBT de São Paulo.2 - Mulheres na Parada: detalhes vistos de perto...3 - Perdidas ou totalmente integradas: senhoras que foram à Parada, sabendo ou não o que estavam fazendo ali.
dykerama

Famosos se jogam na Parada de SP no trio de Salete Campari

'
Todos os anos a loiríssima drag queen Salete Campari participa da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo com um trio-elétrico bem animado. E neste ano não foi diferente: ela levou para a Avenida Paulista e Rua da Consolação o trio mais animado de toda a Parada, com direito a muitos famosos e super banner com sua foto cheia de carão.Passaram pelo trio de Salete, o “Astros e Estrelas”, o estilista Alexandre Herchcovitch, o designer de sapatos Fernando Pires, a performer Isabelita dos Patins, a atriz global Adriana Birolli (a Isabel de “Viver a Vida”) e a atriz transexual Phedra D. Córdoba, do grupo paulistano Os Satyros. Confira nos nossos vídeos como foi a passagem de “Astros e Estrelas”:
pride

Sandra Bullock prova e aprova beijo de Scarlett Johansson no domingo


Parece que a atriz Sandra Bullock gostou da idéia de beijar atrizes no palco. Depois de lascar um beijão em Meryl Streep durante a cerimônia do “2010 Critics Choice Movie Awards, no início do ano, ela acaba de repetir a dose no MTV Movie Awards, no último domingo. E a escolhida foi ninguém menos que Scarlett Johansson, que anunciou o prêmio MTV Generation e o de melhor beijo. Sandra ganhou o primeiro, mas não o segundo, vencido por Robert Pattinson e Kristen Stewart. “Não ganhamos”, disse Sandra. “É, não”, respondeu Scarlett, chegando mais perto e dando uma bitoca na colega, bem menos intensa que a anterior. “Agora que fizemos isso vamos voltar porque a terapia é muito cara”, brincou Bullock. O beijo já rendeu comentários e novas declarações. Nesta segunda-feira, 7, Sandra revelou à revista US Magazine que gostou do beijo da atriz. “Ryan (Reynolds, marido de Scarlett) está certo. Scarlett beija muito bem.”
dramatica

Amor entre meninas é discutido em livro de fácil leitura


A autora Shirley Souza escreveu um livro que pode servir de ajuda para muitas meninas que gostam de meninas, mas ainda têm algumas dúvidas sobre isso. Em “Amor Entre Meninas” (Panda Books), ela aborda o amor entre iguais considerando que ele é possibilidade de experimentação, de autoconhecimento e de identificação.São 88 páginas de uma narrativa simples que pretende servir de ajuda para meninas que se perguntam: “será que sou homossexual porque achei aquela menina bonita?”, “um beijo delicado. Será que sou lésbica? Acho que não... Sabe que eu não sei? Acho que sou. E agora?” – mas sem esgotar o assunto ou pretendendo ser a última palavra de sabedoria.Entram ainda na obra os intrincados e quase inexplicáveis conflitos associados aos desejos e emoções envolvidos na relação entre mulheres. O objetivo de Shirley é fazer que o livro seja “um incentivo ao respeito mútuo e à convivência com as diferenças como caminho para uma sociedade mais justa”.“Amor Entre Meninas” – Shirley SouzaEditora: Panda BooksPáginas: 88Preço: R$ 14,90 (em média)
cio

Drag queen de Natal vence o concurso da Blue Space


A tradicional festa da Blue Space que rolou nesta sexta-feira, 4, deu a oportunidade para as drags além do circuito paulistano mostrarem seu talento. Elas participaram da quarta edição do Brazilian Drag Show e abusaram do bate cabelo, figurinos originais, malabarismos no palco e som de Lady Gaga. O público animou, julgou e concordou com o resultado da candidata de Natal.Ao todo foram 13 drags, do Rio de Janeiro, São Vicente, Cuiabá, Alagoas, Maringá, Campo Grande, Curitiba, Araraquara, Manaus, Natal, Pouso Alegre e Fortaleza, que fizeram suas apresentações em 3 minutos. “Quem não deixou programado, teremos que cortar”, organizou o proprietário Victor, que interagia com a animadíssima Silvetty Montilla.A pista ficou lotada e o público bastante atento para não cometer injustiças no momento de julgar. A primeira a subir ao palco foi a Drag do Rio de Janeiro, que apareceu com um vestido e máscara verdes, mas depois mudou por duas vezes o figurino: uma peça toda iluminada com pisca-pisca e um maiô dourado sensual. As de São Vicente e Maringá optaram pela popular Lady Gaga.Outra artista que agradou foi a de Cuiabá, que à medida que aumentava o ritmo da coreografia mudava o figurino e a peruca. O público gritava e deu a ela o segundo lugar. Rafaela Face, do Rio Grande do Sul, e Brenda, do Campo Grande, chamaram atenção até mesmo de Silvetty: a primeira veio vestida de diabo (3º lugar) e a outra com a maior produção da noite na cor verde (4º lugar).No meio das apresentações, a top drag Thalia Bombinha dividiu o palco com Silvetty e animou o público. Ela chamou respectivamente as drags de Curitiba e Araraquara, esta que arrasou nos malabarismos. Outras se apresentaram, mas quem realmente agradou foi a drag Cleo Balystar, de Natal. Desde que terminou o show, era seu nome que a platéia gritava. Silvetty tentou acalmar os ânimos e, no momento de escolher a vencedora, pediu apenas aplausos. Mas não adiantou: a ruiva Cleo era a estrela da noite.Pela primeira posição, Cleo ganhou uma peruca da Lully Hair. O segundo e terceiro ficaram, respectivamente, com um sapato de Fernando Pires e um kit de maquiagem de Celso Kamura. Todas as candidatas também receberam um DVD especial da Blue Space.SOM E GOGOAntes e depois do concurso galera não parou de dançar ao som dos DJs Bruno Barreto e Alessandro Kallero. A pista principal ficou o tempo inteiro lotada e ganhou mais animação com a presença de quatro gogo boys, entre eles Marcio Blade e Ricardo Studenroth.
pride

Saiba como foi a 8a Caminhada de Lésbicas e Bissexuais de SP


Este ano o público foi menor, mas isso não diminuiu em nada a animação das meninas e a força da 8a Caminhada de Lésbicas e Bissexuais de São Paulo. Segundo a organização do evento, por volta de 2 mil pessoas acompanharam a manifestação, número confirmado pela Polícia Militar.Devagar, como sempre, as pessoas foram chegando à Praça Osvaldo Cruz, e por volta das 14h30 a concentração já estava cheia. O tradicional ato político, com falas de pessoas de diversas entidades (inclusive do Dykerama) iniciou oficialmente o evento, que rolou ao som de Madonna, Lady Gaga, Britney Spears, entre outras divas.Mais uma vez o de grupo de percussão Fuzarca Feminista abriu a Caminhada. Em ritmo de funk, as meninas gritavam palavras de ordem muito bem humoradas, como: "Se o corpo é da mulher, se o corpo é da mulher, ela dá pra quem quiser, inclusive pra outra mulher! Ela dá pra quem quiser, inclusive pra outra mulher!"A Caminhada seguiu ocupando meia pista da avenida Paulista, em direção ao Boulervard 9 de Julho, atrás do Masp, onde estava previsto um show de encerramento, que não aconteceu. Segundo Márcia Balades, da organização, a retirada, na última hora, da verba prometida pelo poder público para apoiar o evento impossibilitou a contratação do show. "Mas não tem jeito, a gente não se cala e continua mesmo assim. Todo ano é uma luta pra Caminhada sair, e no final sempre dá certo", afirma ela. E não é que deu?Para quem não foi à Caminhada, ou foi e quer rever tudinho, o Dykerama preparou alguns álbuns de fotos:
1 - Por dentro da Caminhada, com mais detalhes sobre o evento
2 - A diversidade da diversidade
Mulheres, meninas, senhoras, casais, adolescentes e até meninos, de todas as raças, crenças e idades, quebraram todos os estereótipos e fizeram da Caminhada Lésbica uma pequena amostra da diversidade que existe dentro da diversidade. Veja no álbum algumas das pessoas que compareceram à manifestação e que a tornam, todo ano, um exemplo do respeito e valorização das diferenças. Porque é preciso romper com estereótipos.
dykerama

Filhos de lésbicas são mais equilibrados, diz estudo


Um estudo, iniciado em 1986, revela que crianças educadas por casais de lésbicas são equilibradas psicologicamente e apresentam menos problemas comportamentais.Segundo a rede de notícias CNN, filhos de casais lésbicos revelaram competências superiores em níveis sociais e acadêmicos e menor tendência para problemas de agressividade e desrespeito por regras.O estudo, da autoria da pesquisadora Nanette Gartrell, acompanhou 78 casais e avaliou o bem-estar dos filhos através de questionários e entrevistas. As respostas foram codificadas, submetidas a análise e posteriormente comparadas com dados de crianças de casais heterossexuais. Para Gartrell, o envolvimento das mães pode estar relacionado com estes resultados, assim como o fato de a gravidez ter sido planejada.
dykerama

Colégio firma acordo para erradicar o Bullying


O Projeto Discriminação estabeleceu uma parceria com o Colégio Estadual Júlio de Castilhos e Fundação de Apoio para combater o Bullying. A entidade, localizada no Rio Grande do Sul, tem aproximadamente 1600 alunos de ensino médio.
Segundo Telmo Kiguel, coordenador do Departamento de Psicoterapia da ABP, ainda é cedo para implantar o projeto em outras instituições. “As dificuldades de momento são decorrentes de uma experiência pioneira e de uma escola pública estadual em que há carências materiais e de pessoal”, afirmou ele quando perguntado sobre os principais desafios do projeto.
Estudos
O professor de Psicologia e pesquisador da Universidade de Bergen na Noruega, Dan Olweus, desenvolveu recentemente os primeiros critérios de diagnóstico que ajudam a diferençar a doença das brincadeiras normais para a idade. Apesar de a sociedade atual estar atenta para este tipo de violência, o Bullying é uma forma de discriminação frequente entre crianças e adolescentes.
Definição
Todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorram sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outros, causando dor e angustia, são consideradas Bullying.
Os autores da violência geralmente vêm de famílias desestruturadas com pouco relacionamento afetivo. Enquanto as vítimas do Bullying são em sua maioria pouco sociáveis e inseguros.
Consequências
Crianças que sofreram esse tipo de agressão podem carregar para sempre o trauma, gerando sentimentos negativos, baixa auto-estima, e por vezes até um comportamento agressivo. Em casos extremos, alguns podem cometer suicídio. Já os agressores podem adquirir um comportamento anti-social na vida adulta. Alguns estudos na área apontam que os autores de Bullying possam se envolver com a criminalidade e atos de delinqüência. É importante lembrar que as testemunhas também são prejudicadas, podendo ter um desempenho negativo durante as aulas.
Em foco
O Bullying será tema de uma das atividades do Simpósio do Departamento de Psicoterapia no próximo Congresso Brasileiro de Psiquiatria. O evento será realizado nos dias 27 a 30 de outubro no Ceará e as inscrições estão disponíveis no site: http://www.cbpabp.org.br/

domingo, 6 de junho de 2010

Divã: A luta pela livre expressão sexual


Nesta semana que antecede os eventos da Parada do Orgulho Gay, gostaria de refletir um pouco com vocês sobre o tema respeito e tudo que ele envolve.Quando pensamos em respeito, devemos pensar com amplitude no que a palavra significa, no que ela carrega consigo e é transformado em ação.Anos e anos se passaram desde o levante de Stonewall, que foi um marco de proporção internacional na visibilidade do movimento pela liberdade de expressão da livre sexualidade. Ou mesmo do festival Mix Brasil, que foi criado no início dos anos 90 e que promoveu (e ainda promove), através de eventos culturais, um debate acalorado e sadio na promoção de direitos da camada homossexual. Porém, ainda vemos em nossa sociedade e em outras (como as islâmicas) que a aceitação das diferenças ocorre de maneira lenta e que o respeito ainda está longe de ser amplamente utilizado.Em nosso país, acredito que a falta de uma educação de base seja o maior entrave para que a promoção de direitos seja largamente executada, e isso não só no que se refere aos homossexuais, mas a qualquer outra minoria que expresse diferença. Nos países islâmicos a religião domina a mente, o corpo e, por conseqüência, o espírito dos indivíduos, sendo quase impensável imaginar qualquer abertura para o que não está determinado pela lei.Mas como vivemos aqui, num país que se diz democrático (porém não aceita que pessoas do mesmo sexo tenham uma união civil), devemos pensar em nossas vidas enquanto homossexuais, visualizando uma melhoria que seja possível dentro desse nosso contexto. Para isso precisamos de muita coragem e determinação. Coragem para podermos expressar aquilo que desejamos sem temermos a humilhação, coragem para podermos amar sem sermos criticados e coragem para podermos ser nós mesmos acima de tudo.Essa coragem é conseguida através de nossa própria compreensão daquilo que nos faz bem e que nos é essencial para vivermos com felicidade. E digo isso porque sei que muitos não apresentam essa coragem dentro de si e acabam por levar uma vida onde a felicidade é apenas um substantivo num dicionário. Sabem que são homossexuais, mas negam a si mesmos essa condição por medo de não conseguirem suportar sua própria diferença diante de uma sociedade que cria estereótipos comportamentais e deseja que os mesmos sejam seguidos à risca. Não estou culpando-os por não terem essa coragem, mas apenas questionando nossa condição neste país e o como, muitas vezes, essa mesma condição faz com que aceitemos a falta de respeito com normalidade. Por isso, além da coragem, coloquei a determinação como complemento, porque sem ela provavelmente acabaríamos por aceitarmos passivamente o que nos é imposto como regra.Sendo assim, espero que todos esses eventos que estão por vir representem com clareza para a sociedade (e por que não a nós mesmos!) que, além de exigirmos respeito (já que somos contribuintes), queremos respeito por nossas escolhas, por nossa orientação, por nossas vidas e por tudo o mais que nos faz ser quem somos ou almejamos ser.
dykerama


O que era para ser uma reflexão sobre “Diversidade Sexual e Coisas do Gênero” e “O Eu feminino Hoje: Questões sobre a mulher na contemporaneidade” transformou-se num palco de discussões online que geraram comportamentos homofóbicos por parte dos alunos da Universidade Federal de Ouro Preto (MG).Com o intuito de instigar maior reflexão sobre os direitos iguais para os homossexuais e os paradigmas da beleza feminina na universidade, além de chamar a atenção dos passantes para os debates que ocorriam no local, alunos do curso de Artes Cênicas realizaram algumas performances, no dia 13 de maio no Instituto de Ciências Exatas e Biológicas – ICEB, onde aconteceriam as mesas sobre os dois temas.Para batalhar uma vaga dentro de uma república, os alunos da UFOP precisam andar com umas placas onde constam, na maioria das vezes, as seguintes informações: “Sou o bixo [apelido] e batalho vaga na [nome da república]”. Em uma das performances, os alunos de Artes Cênicas fizeram uma adaptação e andaram pelo ICEB com placas que diziam: “Sou bixa e batalho vaga contra a homofobia na UFOP”. Enquanto isso, dois homossexuais se beijavam, enquanto outro se travestia.Para questionar os padrões de beleza impostos pela contemporaneidade, uma aluna expôs os seios e rabiscava seu corpo, evidenciando seus defeitos, semelhantes às marcações feitas por médicos antes da cirurgia plástica. Ao causar espanto nos transeuntes, a polícia foi chamada para interromper as performances, sob o argumento do “atentado ao pudor”.“Rebuliço” no OrkutA repercussão de tais performances terminou por ser, ironicamente, motivo de chacota pela comunidade acadêmica que presenciou o ocorrido. Um tópico aberto na comunidade “UFOP” do site de relacionamentos Orkut, intitulado “Rebuliço hoje no ICEB”, gerou uma onda de ofensas direcionadas aos estudantes de Artes Cênicas em geral, especialmente aos homossexuais e à garota que expôs seu corpo. Segundo os alunos participantes da discussão online, as performances foram ofensivas e agressivas ao mostrar um casal homossexual se beijando e uma menina sem roupa.Os responsáveis pela organização dos debates, membros do Diretório Central de Estudantes (DCE), afirmam que as performances foram autorizadas pelo Pró-Reitor de administração André Lana. Mesmo assim, alunos chocados com as cenas que presenciaram chamaram a polícia acusando a aluna de atentando ao pudor. Segundo o Art. 233 do Código Penal. TJSP. RT 841/475, “Nas peças teatrais, a nudez é apenas uma parte integrante do espetáculo. O dolo do agente não é de chocar ninguém, mas de interpretar seu personagem. Mais que isso, tem-se aí uma verdadeira manifestação de um direito de expressão, protegido constitucionalmente. Logo, nesse caso, não há que se falar em crime”, o que significa que a intervenção policial desrespeitou um direito legal da artista.Entre argumentos que envolveram a qualidade artística das performances, passando pela relevância de uma manifestação contra a homofobia, a necessidade ou não de uma aluna estar com os seios descobertos e pelos posicionamentos dos alunos homossexuais do curso de Artes Cênicas, o tópico da comunidade transformou-se em uma coleção de depoimentos de natureza intolerante, machista, preconceituosa e violentamente homofóbica. Palavras como “zoológico”, “animais”, “doença”, “viadagem”, “bixarada”, “vagabundos”, “baderna”, entre outras diversas, se repetiram entre as mais de 500 postagens do tópico, numa demonstração clara de como o preconceito está vivo e ativo nas universidades brasileiras. Entre as sugestões dos estudantes da UFOP para “resolver o problema” estava a remoção do Departamento de Artes Cênicas para um campus em outra cidade, e o jubilamento dos envolvidos nas performances.Homofobia nas universidadesO caso exposto de repúdio aos homossexuais da UFOP, especialmente aos do curso de Artes Cênicas, faz eco com casos semelhantes em outras instituições federais, como o recente caso de homofobia na Universidade de São Paulo (USP), onde estudantes do curso de Farmácia distribuíram um fanzine através do qual convidavam alunos a “jogar merda” em gays em troca de convites para uma festa. A própria UFOP já registrou outros casos de homofobia, como em 2006, quando o professor Luciano Flávio de Oliveira foi chamado de “viado” e “bicha” por alunos em pleno restaurante universitário. Em 2008 o jornal O Globo publicou matéria de capa sobre homofobia nas universidades brasileiras, contando casos de agressão física e psicológica sofrida por alunos homossexuais.Temas relacionados à homossexualidade estão garantindo um espaço expressivo na mídia. Há menos de um mês o programa Profissão Repórter, da Rede Globo, produziu uma edição inteira sobre questões relacionadas à diversidade sexual, que incluía o tema da intolerância dentro de casa, na faculdade e no trabalho. Também no mês de maio a Revista Veja fez uma matéria de capa sobre a homossexualidade, e apesar de seu discurso afirmar que hoje em dia há mais tolerância entre os jovens e que “nunca foi tão natural ser diferente quanto agora”, o que se vê dentro das universidades revela outra realidade.O caso registrado na comunidade da UFOP no Orkut oferece mais uma ferramenta para se pensar a questão da homofobia nas universidades. Por ser o Orkut um site de relacionamentos público e aberto à visitação de quem estiver nele cadastrado, encontra-se no arquivo do fórum o registro de todas as manifestações preconceituosas direcionadas aos alunos homossexuais, com os nomes e fotos dos seus respectivos autores. O fórum pode ser acessado aqui.Sob a conveniência do direito à opinião, liberdade de expressão continua sendo confundida com desrespeito e intolerância. Enquanto acontece a discussão ao redor da legislação que torna a homofobia um crime, enquanto o governo não se decide sobre o assunto, ainda será permitido que o preconceito se manifeste de forma agressiva, desrespeitosa e, algumas vezes, inclusive incitando a violência contra os homossexuais, como no caso da UFOP.


dykerama

Lady Gaga divulga teaser de seu novo clipe, Alejandro


Toda trabalhada no preto e no branco, de cabelo loirésimo tigelinha/chanel, com muitos, muitos bofes maravilhosos em volta de si e cenas pra lá de quentes com um moreno que, ai gente, caiu do céu. É esse o clima de “Alejandro”, novo clipe de Lady Gaga, que tem ares de “Vogue”, da Madonna, mas mais moderno, atualizado.O teaser, aquela partezinha que deixa com água na boca, foi divulgado pela cantora na última terça-feira, 1, no programa “The Larry King Show”, exibido pelo canal norte-americano de televisão CNN. No programa ela revelou ainda que havia sido convidada para abrir os shows de Michael Jackson na turnê “Is This It”, mas aí, você sabe. Confira abaixo trechos de “Alejandro”.
mix

Parada de São Paulo começa com apoio total do poder público


Representantes das três esferas do poder público e da sociedade civil organizada se reuniram em entrevista coletiva na manhã deste domingo, 6, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo para abrir oficialmente a 14ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. Com presença do governador Alberto Goldman (PSDB) e do prefeito Gilberto Kassab (DEM), o tom dos discursos foi de apoio ao movimento LGBT e de defesa da cidadania de todos de forma igual.O presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT (APOGLBT), Alexandre Santos, lembrou que neste ano a campanha é “Vote contra a homofobia. Defenda a cidadania” e tem como objetivo lembrar que “como eleitores podemos decidir destinos. Vamos eleger candidatos laicos e respeitosos”. Titular da Coordenação Nacional LGBT, Mitchelle Meira fez coro e completou que “o Governo Federal vem trabalhando na inclusão do tema LGBT”, citando as últimas conquistas do movimento como exemplos.Todo esse apoio continuou nas palavras do governador paulista, que se mostrou otimista ao dizer que “se a gente pensar nos últimos 10 anos o movimento teve ganhos fantásticos, especialmente em São Paulo. Desde 2001 temos uma legislação específica e de lá pra cá várias ações foram realizadas nesta direção”. Mas ele reconhece que “é preciso ainda avançar muito para que todos se sintam iguais neste país”.Já o prefeito Gilberto Kassab lembrou que neste ano a segurança da Parada será garantida por 1.300 policiais militares, 600 da Guarda Municipal e mais 400 seguranças particulares. Tudo isso “para a Parada mostrar sua importância e nós mostrarmos nosso respeito pela diversidade sexual”. Titular da Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual (Cads), Franco Reinaudo também lembrou da segurança informando que “quem cometeu os crimes na Parada do ano passado foram pessoas que não pertencem ao movimento. A Parada tem menos ocorrências do que qualquer jogo de futebol”.
pride

Drag queen de Natal vence o concurso da Blue Space


A tradicional festa da Blue Space que rolou nesta sexta-feira, 4, deu a oportunidade para as drags além do circuito paulistano mostrarem seu talento. Elas participaram da quarta edição do Brazilian Drag Show e abusaram do bate cabelo, figurinos originais, malabarismos no palco e som de Lady Gaga. O público animou, julgou e concordou com o resultado da candidata de Natal.Ao todo foram 13 drags, do Rio de Janeiro, São Vicente, Cuiabá, Alagoas, Maringá, Campo Grande, Curitiba, Araraquara, Manaus, Natal, Pouso Alegre e Fortaleza, que fizeram suas apresentações em 3 minutos. “Quem não deixou programado, teremos que cortar”, organizou o proprietário Victor, que interagia com a animadíssima Silvetty Montilla.A pista ficou lotada e o público bastante atento para não cometer injustiças no momento de julgar. A primeira a subir ao palco foi a Drag do Rio de Janeiro, que apareceu com um vestido e máscara verdes, mas depois mudou por duas vezes o figurino: uma peça toda iluminada com pisca-pisca e um maiô dourado sensual. As de São Vicente e Maringá optaram pela popular Lady Gaga.Outra artista que agradou foi a de Cuiabá, que à medida que aumentava o ritmo da coreografia mudava o figurino e a peruca. O público gritava e deu a ela o segundo lugar. Rafaela Face, do Rio Grande do Sul, e Brenda, do Campo Grande, chamaram atenção até mesmo de Silvetty: a primeira veio vestida de diabo (3º lugar) e a outra com a maior produção da noite na cor verde (4º lugar).No meio das apresentações, a top drag Thalia Bombinha dividiu o palco com Silvetty e animou o público. Ela chamou respectivamente as drags de Curitiba e Araraquara, esta que arrasou nos malabarismos. Outras se apresentaram, mas quem realmente agradou foi a drag Joyce, de Natal. Desde que terminou o show, era seu nome que a platéia gritava. Silvetty tentou acalmar os ânimos e, no momento de escolher a vencedora, pediu apenas aplausos. Mas não adiantou: a ruiva Joyce era a estrela da noite.Pela primeira posição, Joyce ganhou uma peruca da Lully Hair. O segundo e terceiro ficaram, respectivamente, com um sapato de Fernando Pires e um kit de maquiagem de Celso Kamura. Todas as candidatas também receberam um DVD especial da Blue Space.SOM E GOGOAntes e depois do concurso galera não parou de dançar ao som dos DJs Bruno Barreto e Alessandro Kallero. A pista principal ficou o tempo inteiro lotada e ganhou mais animação com a presença de quatro gogo boys, entre eles Marcio Blade e Ricardo Studenroth.
pride

Dois anos após escândalo, sargento e companheiro gay vivem tranquilos em Brasília


Dois anos após o escândalo que foi a saída do armário dos militares Laci Marinho de Araújo, 37, e Fernando Alcântara de Figueiredo, 36, o casal vive feliz e tranquilo, informa Laura Capriglione na edição deste sábado da Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).
De Araújo é sargento do Exército da ativa. Alcântara é licenciado --pediu baixa. Os dois formam a primeira família abertamente homoerótica do Exército brasileiro. Vivem em um apartamento funcional, no valorizado plano-piloto de Brasília.


No dia 3 de junho de 2008, De Araújo e Alcântara concediam entrevista à apresentadora Luciana Gimenez, na sede da RedeTV! em São Paulo, quando câmeras colocadas do lado de fora dos estúdios mostraram o cerco ao prédio da emissora, feito por soldados armados com fuzis.
Poucos dias antes, os dois sargentos (Alcântara ainda era da ativa) tinham sido tema de capa da revista "Época", apresentados como "o primeiro casal de militares brasileiros a assumir sua homossexualidade"
Pelas regras da caserna, o "sumiço" injustificado de um militar durante oito ou mais dias caracteriza deserção --punida com prisão. Segundo De Araújo, as ausências do serviço, que ele admite, decorreram de um quadro de depressão, tonturas, dores de cabeça e visão turva, que o impediam até mesmo de se sentar à mesa para almoçar ou jantar.
Hoje, sabe-se a causa do transtorno. De Araújo, que já fez shows como cover da cantora Cássia Eller, tem epilepsia dos lobos temporais esquerdo e direito. Toma remédios que controlam os sintomas e leva vida normal.
"Normal, bem normal", concorda a síndica do prédio em que o casal vive. "Eles não são de baladas. Nunca foram", diz.
uol