VEJA E OUÇA A DEFESA FERVOROSA DO SEGUIMENTO GLS GLBT GLBTT NA VOZ TROVEJANTE DO AMIGO BOCA ABERTA

Loading...
Mande suas críticas e sugestões
amigobocaaberta@gmail.com

quarta-feira, 14 de março de 2012

Jovem gay é espancado em estação de ônibus em Salvador


A noite do último sábado, 11 de março, foi de terror para dois jovens gays na Estação Pirajá, em Salvador, onde um deles sofreu uma agressão brutal de um grupo de cerca de seis pessoas em mais uma ação homofóbica na Bahia. A violência deixou o rapaz com vários pontos na cabeça e muitas escoriações pelo corpo.

Os indicativos de homofobia estão na declaração do jovem, que afirmou ter ouvido dos agressores xingamentos contra os homossexuais com um repertório de palavras pejorativas durantes as agressões. Além da violência, que não foi maior pelo fato de um dos jovens ter conseguindo escapar, eles ainda tiveram seus pertences roubados.

No meio de toda a correria, os rapazes tiveram que lidar com a postura de três policiais militares que estavam perto do fato e que não se manifestaram para prender os suspeitos. Na sua página do Facebook, o jovem Thyago Sousa relatou o ocorrido e agradeceu ao apoio dos amigos pelo apoio e solidariedade oferecida ao casal.

A violência sofrida pelo casal foi registrada e será acompanhada pela militância LGBT de Salvador.


pride

Rio + 20 vai contar com participação LGBT


A cidade do Rio de Janeiro vai receber entre os dias 13 e 22 de junho deste ano a Rio + 20 – Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que vai contar com participação LGBT. A Frente Parlamentar Pela Cidadania LGBT também vai participar das discussões sobre o evento.

Segundo declarou à Agência Câmara o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), a Frente vai agendar reunião com o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), para pleitear um grupo de trabalho mais amplo que trate da sustentabilidade não só na perspectiva do "verde", mas também sob o aspecto do desenvolvimento humano e cultural.

Isso significaria proteger os direitos de minorias, incluindo aí a comunidade LGBT.

cultura gls

1ª ONG LGBT do Paraná comemora 20 anos


Em 14 de março de 1992 o cenário enfrentado por lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) em Curitiba e no Brasil era muito diferente da situação atual. Existiam apenas 16 grupos LGBT organizados em todo o Brasil, não havia Paradas do Orgulho LGBT, não existiam políticas públicas. Nos meios de comunicação sensacionalistas e nos programas humorísticos as pessoas LGBT eram na maioria das vezes objeto de escárnio. A maioria vivia sua sexualidade na clandestinidade, com medo das possíveis consequências do assumir-se: rejeição pela família e amigos, perda do emprego, persiguição policial, perda de credibilidade, isolamento social, entre outras.

Foi em meio a esse panorama que surgiu o "Grupo Dignidade", liderado pelo então professor da rede estadual de ensino, Toni Reis, na época com 28 anos. Enquanto ainda estudante universitá¡rio, nos anos 80, além de ser atuante nos movimentos estudantil, partidário e sindical, Toni participava de grupos de discussão sobre questões LGBT e acompanhava a atuação dos poucos grupos LGBT organizados no Brasil. Entre 1989 e 1991 teve a oportunidade de morar na Europa onde participou de grupos e marchas LGBT e aprendeu sobre a importância da militância para a conquista da igualdade de direitos da população LGBT. De volta ao Brasil, acompanhado do marido, o inglês David Harrad, demorou apenas três meses para dar início, em março de 1992, a fundação da organização que se tornaria o "Grupo Dignidade".

“Não tínhamos onde nos reunir. Assim, por mais de um ano as reuniões aconteciam em nosso apartamento. A maioria das pessoas que vinham morria de medo de alguém descobrir. Tanto que até o primeiro nome sugerido para o Grupo refletia a tendência de se manter na clandestinidade: “Grupo de Entendidos e Entendidas do Paraná”, recorda Reis. O nome definitivo do Grupo foi cunhado em junho de 1992, quando se procurava uma tradução menos literal da palavra Pride na ocasião do dia 28 de junho, dia do Orgulho LGBT (Gay Pride). A tradução escolhida foi “Dignidade”.

A partir de 1993 o Grupo Dignidade se fortaleceu rapidamente e foi bastante atuante no incentivo à formação de outras instituições que ainda permanecem atuantes em Curitiba, como o Grupo Esperança e o Centro de Convivência Menina Mulher. Também desempenhou o mesmo papel no cenário nacional, tendo sido um dos principais articuladores da criação da Associação Brasileira de lébicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – ABGLT, fundada em Curitiba em 1995 por 31 grupos e hoje com 257 organizações afiliadas.

As principais áreas de atuação do Grupo sempre tem sido a promoção e defesa dos direitos humanos e da cidadania da população LGBT, bem como a prevenção do HIV/Aids. Nesta última área, além da população gay, no passado Grupo tamgbém teve atuação junto a pessoas em situação de rua, travestis e transexuais e mulheres profissionais do sexo.

Nesta quarta-feira, a partir das 18h30, será realizada uma confraternização de comemoração do 20° aniversário do Grupo Dignidade. A esperada participação de autoridades, militantes e aliados(as) que tem acompanhado a trajetória da instituição.

Serviço

Data: Quarta-feira, 14 de março de 2012

Horário: 18h30

Local: Av. Marechal Floriano Peixoto, 366 – Cj. 46 – 4° andar – Praça Carlos Gomes, Curitiba-PR


central

Invadimos os ensaios do musical Priscilla e constatamos: será o mais gay de todos os tempos


No dia 17 de março deste ano de 2012 o mundo dos musicais no Brasil vai de uma vez por todas sair do armário com os figurinos brilhantes e super pintosos de “Priscila, a Rainha do Deserto”, versão tupiniquim do sucesso que já foi parar até nos cinemas e que teve aqui no Brasil direção do staff do espetáculo original, da Austrália. Para quem acha que é tudo purpurina e caras e bocas na produção está enganado: o quarteto australiano é o responsável por fazer com que o elenco brasileiro não dê um passo errado fora do script - e sue muito, o tempo todo.

Formos acompanhar uma tarde de ensaios do elenco no teatro do Instituo Tomie Ohtake, em São Paulo, para conferir de perto pencas de homens ainda barbados e de coxas grossas andando para lá e para cá de saltos-altos e treinando sem parar números que vão deixar a maioria das drags brasileiras de queixo caído, e com uma pontinha de inveja, ao verem fechações como “Material Girl”, da Madonna, e “Dancin’ Days”, das Frenéticas.

Mas até mesmo o carão e a pinta aqui seguem uma linha rígida de técnica, nada é gratuito. André Torquato, por exemplo, que encabeça a material girl, faz, refaz e desfaz a cena muitas e suadas vezes para arrancar um quase sem tom “cool” (legal) do coreógrafo Andrew Hallsworth, que não deixa de se derreter em elogios ao remelexo característico dos artistas brasileiros. “Em outras cidades como Nova York e Londres têm dançarinos mais treinados quando você fala sobre técnica, mas isso não significa que eles são melhores”, conta.

Segundo o diretor do musical, Simon Phillips, conta com exclusividade à Junior, a versão brasileira vai seguir bem à risca a original, com o texto traduzido (e não interpretado) para o português. Ainda segundo ele, apenas um acréscimo em um dos vários números foi feito para fluir melhor a história de três drag queens que cruzam o deserto em um ônibus muito pintoso para que uma delas, Tick (Luciano Andrey), possa reencontrar o filho que teve – e que deixou de lado para ser quem realmente é.

No tom
Uma das maiores preocupações do elenco é com o tom dado às personagens trans, que são a maioria a ocupar o palco que tem um sapato de salto-alto todo purpurinado ao meio. “Acho que o maior medo foi o de cair numa caricatura, num estereotipo. É mais fácil lidar com estereótipos, até porque a plateia tem identificação imediata, acha divertido e mais fácil de lidar com a bichinha engraçada do que com o cara que tem conflitos, que não tem trejeitos. O Tick é mais ou menos assim, você não consegue ler o personagem logo de cara”, conta Luciano.

Recém-saído de outra peça gay, a comédia “Mambo Italiano”, onde vivia um homossexual que se assume para a família, ele acredita que “se realmente existe uma semelhança entre os dois personagens é que, de um jeito ou de outro, ambos foram corajosos o suficiente pra assumir quem realmente eram”. Ele conta ainda que para fazer o papel de uma drag com propriedade foi buscar referências no filme do próprio musical, no reality “Ru Paul’s Drag Race” e “assisti o ‘Dzi Croquetes’, que é nacional, e acho do caralho, e por fim alguns filmes de ícones femininos, Marylin, Audrey Hepburn”.

Luciano divide o palco com mais 26 atores que vão usar nada menos do que 500 figurinos e 300 perucas. Completam o trio de fofas ainda André Torquatto (Felicia) e Rubens Gabira, que não deixa de minutos antes do início do ensaio de colocar em sua cabeça um turbante para entrar no personagem pra valer. O elenco traz ainda Saulo Vasconcelos no papel do mecânico bofe Bob, que se apaixona por Bernadete.

Com coxas grossas masculinas apertando as roupas para lá de chamativas, Priscilla, que já é um clássico gay por si só, promete ser o musical mais pintoso e cheio de babado que o Brasil já viu desde os transgressores bailarinos do Dzi Croquettes. Ainda mais gay do que “Cabaret”, com Cláudia Raia, e “A Gaiola das Loucas”, com Miguel Falabella e Diogo Vilela. Super assumido e sem vergonha, como a gente gosta.

“Priscilla, a Rainha do Deserto” – estreia 17 de março
Teatro Bradesco: Shopping Bourbon São Paulo - Rua Turiassu - Piso Perdizes, 2100 - Perdizes
www.musicalpriscilla.com.br
Ingressos pelo www.ingressorapido.com.br

cultura gls

Assista ao 3° episódio da websérie Botolovers


Se você adora seriados e ainda não conhece os Botolovers, não sabe o que está perdendo! A websérie estreou recentemente e o primeiro episódio já tem quase 10 mil visualizações no youtube. Muito bem dirigida por Caroline Fioratti, a série é inteligente, moderna e conta com três fofos no elenco. Confira os primeiros episódios, a conversa que tivemos com um dos protagonistas e, abaixo, o novo episódio

cultura gls

Cuba vai testar vacina contra o vírus HIV em humanos


Um anúncio feito por pesquisadores cubanos pode trazer boas notícias para milhares de pessoas em todo o mundo. Eles darão início a testes com vacinas contra o vírus HIV em humanos.

A vacina foi desenvolvida pelo Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB, sigla em espanhol) e se chama Teravac-HIV-1. Os primeiros testes serão feitos em 30 cubanos soropositivos que ainda não desenvolveram os sintomas da doença.

uol

terça-feira, 6 de março de 2012

CRÍTICA A VEREADORES DE LONDRINA ,VEJA, IMPERDÍVEL VALE APENA CONFERIR


ELE DISSE, O QUE A GRANDE MAIOR PARTE DA POPULAÇÃO DE LONDRINA
TEM VONTADE DE FALAR, VEJA E OUÇA COM A VOZ TROVEJANTE
A FALA DO POVO, QUE NÃO AGUENTA MAIS TANTA PALHAÇADA NA
NOSSA CIDADE.

Professor gay de escola americana é demitido depois de anunciar casamento


O professor de música Al Fischer foi demitido na última semana da Escola Católica de St. Ann, no estado norte-americano do Missouri. A decisão foi tomada depois que representantes da Arquidiocese de St. Louis, responsáveis pela gestão da escola, souberam do casamento marcado por ele em Nova York junto a Charlie Robin, seu parceiro há vinte anos, para o próximo dia 9 de março.

Mesmo com o pedido de pais e alunos pela volta do professor, os gestores da escola se recusaram a comentar o caso, mas lançaram uma nota reforçando a decisão tomada pela Arquidiocese. “A Arquidiocese de St. Louis apoia plenamente a ação tomada pela Escola Católica St. Ann. A decisão está em total conformidade com a Declaração de Testemunho Cristão assinado por cada educador no sistema de escola católica”, argumentou o documento.
Apesar de lamentar a decisão da diretoria da escola, Al Fischer disse que não pretende entrar na Justiça pela retomada do cargo por respeitar os princípios determinados pela instituição católica.
“Ainda assim, eu não quero que a lição deste caso para as crianças seja de que manter a boca fechada, esconder quem você é ou o que você pensa é melhor para não te colocar em problemas. Em um mundo justo, verdades desconfortáveis precisam ser ditas e assumidas”, disse o professor demitido.


pride

Crivella isenta Fernando Haddad de kit anti-homofobia


Em sua primeira agenda pública como ministro da Pesca, o senador evangélico Marcelo Crivella fez questão de defender no último domingo, 4 de março, o pré-candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, das acusações de ser o responsável pelo kit anti-homofobia, alcunhado de kit gay. O ministro visitava duas colônias de pescadores na ilha da Madeira, em Itaguaí, região metropolitana do Rio de Janeiro.

Como se fosse um crime ter produzido o material, Crivella disse que "ele (Haddad) jurou com os pés juntos que não produziu (o kit). Disse que foi uma ONG contratada pelo ministério". A ONG referida pelo senador é a ECOS – Comunicação em Sexualidade, que já esclareceu que toda a produção do material foi acompanhada pelo Ministério da Educação, ex-pasta de Haddad.

Após “absolver” Haddad do “crime” de seu antigo ministério ter produzido o material, o ministro fez questão de deixar claro que suas declaração não representavam uma aproximação do partido dele, o PRB, com a candidatura de Haddad. "Não estou falando isso porque vamos apoiá-lo.”


pride

RJ: Governo vai comprar livros gays para bibliotecas públicas


Série de ações em favor da diversidade sexual no Estado do Rio, o Programa Rio Sem Homofobia está pedindo sugestões de títulos de livros e filmes e documentários sobre o universo LGBT e sexualidade para que essas obras sejam disponibilizadas em bibliotecas públicas estaduais. O objetivo principal do Governo do Rio é oferecer informação e memória sobre a diversidade sexual em nome de uma sociedade mais tolerante.

Qualquer pessoa ou entidade pode fazer a sugestão das obras, que devem ter contextos como direitos, cidadania, discriminação, conceitos, romance, ficção e biografias, priorizando as áreas de artes, ciências sociais e humanas. As sugestões serão adquiridas para o acervo da Secretaria de Estado de Cultura e estarão disponíveis nas bibliotecas públicas estaduais e no futuro Centro Estadual de Documentação e Informação LGBT do RJ, com implantação prevista para 2013.

“Para o recebimento de sua sugestão, solicitamos que a mensagem encaminhada contenha a informação se é livro ou filme, o título completo da obra, a autoria, o ano, a editora ou a produtora. Para colaborar, basta enviar as sugestões até o dia o dia 12 de março de 2012, para o e-mail riosemhomofobia@gmail.com”, explica o superintendente e coordenador do Programa Estadual Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento.

A iniciativa é da Secretaria de Estado de Cultura, por meio das Superintendências de Cultura e Sociedade e de Leitura e Conhecimento, em parceria com a Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, através da Superintendência de Direitos individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos. Mais informações pelos telefones (21) 2334-9561 ou (21) 2334-9562.

pride

Pesquisa revela que maioria dos franceses apóia adoção de crianças por casais gays


Uma pesquisa divulgada nesta segunda-feira, dia 5 de março, pelo Instituto Francês de Opinião Pública (Ifop) a pedido das revistas Femme Actuelle e Enfant Magazine revela que um em cada dois franceses, mais precisamente 51% da população, apóia a adoção de crianças por casais do mesmo sexo.

Os números representam um avanço em relação à última pesquisa sobre o tema feita em 2005, quando 46% dos franceses eram favoráveis a adoção.
A pesquisa ainda revela que o número de contrários à adoção de crianças por casais gays é maior entre pessoas acima de 50 anos (59%) e entre os católicos (78%).
Do ponto de vista político, 36% dos militantes de esquerda rejeitam a adoção por casais gays, contra 59% dos apoiadores do centro, 65% da direita e 70% entre os ultra-nacionalistas.
Candidato à reeleição, em mais de uma ocasião o presidente francês Nicolas Sarkozy já declarou que é a contra a possibilidade de crianças serem adotadas por casais gays. Já o seu principal concorrente, François Hollande, do Partido Socialista, declarou ser favorável à causa.

mix

Fantasia de diabinha lidera lista para o carnaval das meninas


O Carnaval é comemorado no mundo todo de formas muito diferentes, mas uma coisa não pode faltar nessa festa: a fantasia. Seja na roupa ou na cabeça, todo mundo adora se fantasiar nessa época para extrapolar e curtir os cinco dias de folia. Mas você sabe quais são as fantasias eróticas mais vendidas nessa época?

O Mix conversou com as meninas do sex shop X-Zotic (www.xzotic.com.br) e descobrimos que dentre as 10 fantasias mais vendidas a campeã é a de diabinha – ou seja, não é uma época onde as meninas gostam de ser santinhas. Em segundo lugar de vendas vem a fantasia de enfermeira sexy, seguida em terceiro pela de gata. Confira todas no nosso álbum:

Devil Woman - Collection Instinct
Naughty Nurse Set - Fantasia Completa Enfermeira - PIPEDREAM
Fantasia Black Cat - Collection Animal Instinct
Fantasia Save Life - Collection Work
Avental Surpresa
Macacão Legging Preto Sabrina
Coelhinha
Fantasia Femme Menage - Collection Work
Fantasia Dalmatian Dog - Collection Animal Instinct
10º Fantasia Onça Passion - Collection Animal Instinct


cio

Hector Fonseca estreia radio show na 97 FM


A rádio Energia 97 FM, de São Paulo, coloca no ar todos os domingos, a partir das 18h, o programa Freedom, que reúne por uma hora e meia o som dos DJs mais bombados da cena gay e, no próximo domingo, 4 de março, ganha uma novidade: um radio show do DJ e produtor nova-iorquino Hector Fonseca.

O programa se chama "The Sound of New York" e é mixado e apresentado pelo próprio gato, conhecido por ser presença certa nas pistas gays mais importantes de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Florianópolis. O Freedom do próximo domingo traz ainda, a partir das 18h, o som da fofa DJ Shine (Flexx), seguida por Paulo Agulhari (Bubu), às 18h30.

Dá para ouvir pelo site da rádio: www.97fm.com.br. Quem não quiser esperar até domingo pode conferir o mais novo set do moço aqui embaixo. É só dar play!


cultura gls

Festival Diversidade em Animação pede financiamento público


Uma das iniciativas mais fofas e coloridas da cultura LGBT, o festival de nome autoexplicativo Diversidade em Animação(DIV.A) vai rolar neste ano em vários cinemas da cidade do Rio de Janeiro entre os dias 4 e 13 de maio – e está lançando mão do financiamento coletivo para realizar sua quarta edição.

Quem doa algum valor ajuda a realização do festival e ainda leva um brinde do evento como ingressos antecipados, t-shirts, imãs, convites ou inserção de logomarcas. Dá para fazer doações que vão de R$ 5 a R$ 5 mil reais, sendo que todo o dinheiro será usado na produção e realização do DIV.A.
O Diversidade em Animação nasceu de 2009 como o primeiro evento internacional no mundo que tem a programação exclusivamente de animações LGBT. Animadores, estúdios de animação e distribuidoras de filmes têm o DIV.A como o evento para estreia de suas animações LGBT e é referência para quem anima ou adora filmes de animação com esta temática.
Aqui embaixo um vídeo fofo para divulgar o evento. Para contribuir é só clicar

cultura gls

sexta-feira, 2 de março de 2012

Dúvidas sobre camisinha e hemorróida respondidas aqui. Confira


O uso da camisinha, as hemorroidas, as verrugas anais e a hérnia inguinal são os assuntos desta sexta-feira, 2 de março, na série das 100 perguntas mais frequentemente respondidas pelo gastroenterologista e proctologista Paulo Branco, da Saúde Integrada, em São Paulo. Abaixo ele responde e comenta as perguntas:

21- Sou inseguro em relação à camisinha, que já estourou duas vezes dentro de mim. O que fazer?
Felizmente o uso da camisinha é obrigatório na relação casual e no início de uma relação duradoura por evitar as DST. Procure usar as camisinhas feitas de material resistente, de tamanho adequado e com uma boa lubrificação.

22- Tenho uma relação estável há alguns anos e apareceram umas verrugas na região anal, será que eu contraí do meu parceiro?
Como eu atendo e trato muitos casais gays a sua dúvida ocorre com muita frequência no meu consultório. O tempo de incubação deste vírus poderá ser longo para você e seu parceiro. Neste caso o ideal será examinar o casal. A honestidade das informações e um bom diálogo são de fundamental importância para o resultado de qualquer forma de tratamento das verrugas. A melhor forma de conduzir esta situação é manter a calma, tratar as verrugas de preferência com o laser associado a medicamentos que melhorem a sua resistência ao vírus e continuar confiante na relação.

23- Tenho hérnia inguinal que já está na bolsa escrotal e que piora com a relação ativa e passiva, não queria fazer a cirurgia. O que faço?
A hérnia inguinal, como as demais hérnias, tem na cirurgia a sua forma de tratamento definitivo. Toda postura ou esforço que aumente a pressão na cavidade abdominal, como nos exercícios físicos e na relação, produz um aumento da hérnia e dor. Eu tenho feito a cirurgia sob anestesia local e sedação com alta algumas horas após a cirurgia. A moderna cirurgia da hérnia requer a colocação de uma tela e a possibilidade de recidiva ou retorno da hérnia com esta técnica varia de 2% a 5%.

24- Tenho hemorróida há alguns anos, sou fisiculturista e quando faço qualquer esforço a mesma sai o que tem me incomodado bastante, qual a melhor forma de tratamento?
A saída da hemorróida, que em medicina se chama de prolapso, ocorre com uma frequência considerável em atletas que praticam esportes com peso. Esses atletas geralmente me procuram desesperados pelo sintoma referido acrescidos em alguns casos com dor e sangramento que mancham a cueca. Eu tenho retirado a hemoróoida prolapsada sob anestesia local e laser.

25- Fui operado de hemorróida há 1 ano atrás e atualmente não consigo ter vida sexual devido a uma fissura anal que me apareceu após a cirurgia de hemorróida, como aconteceu e qual o tratamento?
A fissura referida é chamada em medicina de residual e poderá resultar da:
- Cirurgia para hemorroida: a cirurgia para hemorróida poderá determinar um estreitamento anal que dificultará a cicatrização com aparecimento da fissura. Ocorre que as fezes ao saírem determinam um esgarçamento local, que é a fissura anal residual.

- Pressão aumentada do músculo formador do esfíncter anal: muitos pacientes com hemorroida apresentam hipertonia do esfíncter anal. Essa pressão aumentada poderá dificultar a passagem das fezes com consequente esgarçamento e aparecimento da fissura.

- Comentário: nos pacientes jovens que operam as hemorróidas os cirurgiões diminuem a pressão do esfíncter anal com diminuição da dor e menor incidência de fissura residual.

lifestyle

Rio de Janeiro ganha passeio de ciclistas gays


O SP Gay Bikers é um grupo de ciclistas que surgiu na capital paulista com o objetivo de reunir gente bacana a fim de pedalar pelas ruas de São Paulo – gente de todas as orientações sexuais – e agora vai abrir uma “filial” no Rio de Janeiro. A Cidade Maravilhosa passa a contar também com os passeios ciclísticos do SPGB depois que um dos organizadores do grupo se mudou para a capital fluminense.

O primeiro deles rola já no próximo domingo, 4 de março, a partir das 10h, com encontro marcado em frente ao Forte de Copacabana (Rua Francisco Otaviano x Av. Atlântica), no bairro de mesmo nome, na Zona Sul do Rio. Como em São Paulo, não precisa pagar nada – basta ter ou alugar uma bicicleta e não se esquecer do equipamento de segurança e do protetor solar.

Na capital paulista também rola passeio ciclístico no próximo fim de semana, mas em dia e horários diferentes. Em vez de ser no domingo pela manhã, como as outras edições, excepcionalmente neste fim de semana o passeio rola no sábado, 3 de março, com encontro dos ciclistas às 16h na Frutaria da Paulista, que fica na Praça Cordeiro de Farias (Rua Minas Gerais, 316 – Higienópolis).

Não precisa pagar nada. Não é um encontro de pegação. Ninguém vai montado (a priori) e também não rola bandeira do arco-íris em todas as bicicletas. Não é uma parada gay sobre rodas, é um passeio leve e descontraído criado por um grupo de gays, mas que aceita em seu selim todas as orientações sexuais. Mais informações no blog do SPGB: www.sp-gay-bikers.blogspot.com.



lifestyle

Coordenador LGBT fala sobre as metas para a capital paulista


A Prefeitura de São Paulo, em parceria com o Governo do Estado, espera inaugurar até a 16ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, em 10 de junho, o Museu da Diversidade Sexual, um espaço dedicado à história e à memória da população LGBT brasileira. A informação é do titular da Coordenadoria de Assuntos da Diversidade Sexual da Secretaria de Participação e Parceria da Prefeitura de São Paulo, Franco Reinaudo.

Na entrevista concedida ao Mix que você confere aqui embaixo, Franco Reinaudo revela ainda que com a inauguração de telecentros na periferia paulistana o número de denúncias de homofobia na capital paulista subiu de 15 casos em 2011 para 49 ocorrências somente nos dois primeiros meses de 2012.

Ele conta ainda a importância da parceria com a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) e diz que a Cads está preparada para realizar suas atividades em meio à movimentação das Eleições municipais. Confira:

Existe uma prioridade de ação definida para este ano?
No nosso planejamento estratégico para 2012 existem 3 prioridades. A primeira é melhorar nosso atendimento às vitimas de homofobia na cidade de São Paulo. A segunda é a publicação do Plano Municipal de Promoção da Cidadania LGBT e Enfrentamento da Homofobia, baseado nas resoluções da Conferência Municipal; e a terceira é a implantação do Museu da Diversidade, parceria da prefeitura com o Estado.

E como vai ser a realização dessas três prioridades?
Bem o plano é uma articulação com a sociedade civil, através do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual e as diversas secretarias, contamos com um apoio importante da Secretaria de Governo. O Museu está bem encaminhado e deve iniciar as atividades na Parada, em junho. E os serviços para melhorar o atendimento estão sendo implementados. No final do ano passado inauguramos o telecentro online, isso já fez com que as denúncias na periferia tivessem um aumento expressivo, em janeiro foram 49 atendimentos, contra os 15 de 2011.

Quais as principais ações que serão desenvolvidas pensadas para o público gay masculino?
Não temos uma particularidade para os homens gays. Uma ação que acho interessante é a publicação de um material específico para os homossexuais idosos (incluindo as lésbicas).

A população T é a mais afetada pelo preconceito. Existe um pensamento especial para os e as trans?
As trans sempre foram prioridade para a Cads. Dobramos o número de bolsas do Programa POT de reinserção social, criamos o Aluguel Social, baseado em uma demanda das trans que têm dificuldade em encontrar moradia, são vários os projetos e ações que procuram minimizar a violência sofrida pelas TTs e pelos homens trans.

O fato de ser um ano eleitoral influi de algum modo no cotidiano? Como?
Sem dúvida é um ano mais delicado, ainda não sei bem como vai ser porque nunca passei por uma eleição municipal. Existem restrições, por isso já nos preparamos e nosso planejamento foi entregue com antecedência.

Qual ainda é o desafio? Existe algum projeto que ainda não foi possível realizar?
O desafio é a educação. Vamos iniciar em 2012 o “Diversidade vai ao CEU”, meu desejo era que ele já tivesse começado, mas aprendi que o poder público tem um tempo bem diferente, por lidar com dinheiro público existe uma série de processos e etapas a serem observados, às vezes isso nos deixa aflitos e atrasa nossas atividades, mas faz parte e temos que obedecer.

Como é o diálogo com a Coordenação Estadual, da Heloísa Gama?
Ótima, temos uma relação de cooperação técnica e uma série de projetos em parceria.

Quais projetos?
Temos a publicação de material de prevenção e segurança, o Estado participa da ação no Largo do Arouche com o esquadrão das Drags. Realizamos o Encontro Nacional de Gestores, a Conferência Regional, enfim, existem vários outros projetos em estudo como a Marcha Noturna contra a homofobia em maio no Dia Mundial da Luta Contra a Homofobia.

Tem algum planejamento já pensando no volume de gente LGBT que vem para a Copa do Mundo?
Estamos com duas ações, uma com o Sindicato dos Comerciários, que envolve a capacitação dos estabelecimentos comerciais; a outra é com a SP Turis e o São Paulo Convention, estudando ações focadas nos estabelecimentos ligados ao turismo e ao lazer. Outra ideia que estamos tentando viabilizar é promover em São Paulo um torneio mundial de futebol de salão feminino, para temperar um evento tão masculino e hétero com diversidade sexual e feminilidade.

A parceria com a Decradi continua em 2012?
Sempre, a DECRADI é fundamental, faz um trabalho brilhante pela comunidade LGBT e a Dra. Margareth Menezes é uma parceira inestimável que deveria ser mais reconhecida.

O que ela traz de proveitoso à comunidade LGBT?
A Decradi faz um trabalho de investigação e monitoramento dos grupos de intolerância, sem seu trabalho não sabemos o que poderia ter acontecido. Esta prevenção e trabalho evita que muitos casos de violência se concretizem.

Quais as ações para a região da Paulista/Brigadeiro, palco de tantas agressões homofóbicas?
Estamos trabalhando com a GCM, a instância municipal de segurança, ela recebe os dados do Mapa da Homofobia da Cidade de São Paulo, o trabalho de georreferenciamento dos pontos onde acontece a violência homofóbica, a partir dessas informações traçam algumas estratégias de segurança.


pride

Assista ao vídeo de divulgação da campanha All Out contra a lei anti-gay


O All Out preparou um vídeo sensibilizando o mundo contra o projeto de lei anti-gay, na Rússia; confira

O Mix já havia divulgado a campanha da "All Out" contra projeto de lei, na Rússia, que visa censurar qualquer assunto ligado a temática gay. Os ativistas preparam um vídeo para alertar ainda mais o mundo acerca dessa causa. Se você ainda não participou do abaixo-assinado, clique aqui para participar.


pride

Casal gay de Pernambuco se torna o primeiro caso de dupla paternidade do país


Os pernambucanos Mailton Alves Albuquerque e Wilson Alves Albuquerque acabam de se tornar o primeiro casal gay do Brasil a conseguir registrar uma criança em cartório com o nome dos dois pais. A decisão inédita foi tomada pelo juiz Clicério Bezerra e Silva, baseada na decisão do STF, que reconheceu em maio de 2011 a união estável entre casais do mesmo sexo.

Juntos há quinze anos, o casal teve uma união estável convertida em casamento em agosto do ano passado pelo mesmo juiz. Ainda em 2011, os dois procuraram uma clínica de reprodução humana do Recife e iniciaram um processo de fertilização in vitro, em que os dois pais doam espermatozóides para serem fecundados em óvulos de um banco de doadoras. A criança recém-nascida chama-se Maria Tereza e completou um mês de vida na última terça-feira, dia 28 de fevereiro.

Em entrevista à Folha de Pernambuco, o juiz responsável pela sentença disse acreditar que, apesar da deficiência no Legislativo, o Judiciário já caminha para aceitação dos novos modelos familiares.

“Se você possibilita o casamento, não é justo não conferir ao casal o direito de constituir uma família. Eles tiveram um planejamento e tem o afeto, célula central da família. Para a sentença, eu me baseei nos princípios da liberdade, igualdade, não discriminação e planejamento familiar”, explicou o magistrado.


pride

Benetton faz propaganda fofa com lésbicas


O Dia dos Namorados no Brasil é comemorado todos os anos em 12 de junho, mas em boa parte do mundo ele é celebrado em 14 de fevereiro (Valentine´s Day), data que a grife United Colors of Benetton aproveitou para fazer um vídeo mostrando a diversidade de casais que se amam. E é claro que tem casal de pessoas do mesmo sexo.

O vídeo “United Colors of Love” traz casal heterossexual, casal interracial, casal de três e um de lésbicas, que são as primeiras a aparecer na iniciativa da Benetton. Ao som de uma música bem leve e bonita, os corpos vão se aproximando para o beijo. A grife não tem medo do que possam falar e coloca as lésbicas também unindo amorosamente seus lábios.



cio


Dia das Mulheres terá sarau lésbico em São Paulo


8 de março é o Dia Internacional da Mulher e será comemorado em São Paulo com um sarau na emblemática Casa das Rosas, na Avenida Paulista, a partir das 19h. É o lançamento do mais novo livro de Karina Dias, “Diário de Uma Garota Atrevida” (Editora Malagueta), que rola com direito a pocket show de Laura Finocchiaro para encerrar.

Depois de “Aquele Dia Junto ao Mar”, também da Malagueta, Karina rejuvenesce sua prosa para falar do cotidiano de uma adolescente, tema sugerido pela filha não tão adulta de uma de suas amigas. A escritora promete que “O Diário...” é o primeiro livro de uma trilogia de obras – sempre com as mulheres e seu amor por outras mulheres dando o tom da trama.

O sarau será realizado das 19h às 22h, na Casa das Rosas (Avenida Paulista, 37 – perto do Metrô Brigadeiro), com entrada gratuita e livros a preços promocionais. As fofas fizeram um vídeo para convidar todo mundo para o evento.

cio