VEJA E OUÇA A DEFESA FERVOROSA DO SEGUIMENTO GLS GLBT GLBTT NA VOZ TROVEJANTE DO AMIGO BOCA ABERTA

Loading...
Mande suas críticas e sugestões
amigobocaaberta@gmail.com

sexta-feira, 29 de maio de 2009

JUIZA DO PIAUI GARANTE GUARDA DE FILHO A CASAL DE LÉSBICAS


A Juíza da 1ª Vara da Infância e Juventude da Comarca de Teresina julgou PROCEDENTE o pedido de guarda feito por M.L.L., q mantém união estável há 06 anos com sua companheira, M.C. As duas educam o filho de M.C (de 03 anos). Em virtude do debilitado estado de saúde da mãe biológica da criança, sua companheira resolveu requerer a guarda. A ação foi patrocinada pela Defensoria Pública do Estado, em agosto de 2006. O Matizes passou a acompanhar o processo a partir de fevereiro deste ano, a pedido de M.L.L. A. Abraços.

PROJETO DE LEI MUNICIPAL - DIA CONTRA HOMOFOBIA

AMIGO
BOCA -ABERTA
SEM FREIO NA LÍNGUA SEM MEIAS VERDADES.
SEM FRASE ENGRAÇADA E NEM FRASE BONITA.
MEU PONTO DE VISTA É SINCERO, É DA PROCESSO.


Vamos como representante do seguimento na Câmara Municipal do Município de Londrina, apresentar este projeto de lei, dentre tantos outros que colocaremos, só assim essa sociedade podre e porca vão entender que, a grande mudança está prestes a começar, no pensamento dessas pessoas hipócritas e prepotentes que continuam em permanecer com tantos preconceitos absurdos a todo o seguimento.


Opine, de seu comentário ele é muito importante, seja ela critica ou não, expresse sua opinião.

Até mais.



MODELO DE PROJETO DE LEI MUNICIPAL17 DE MAIO - DIA MUNDIAL CONTRA A HOMOFOBIAPROJETO DE LEI.


Institui o Dia Municipal Contra a Homofobia.


Artigo 1º - Fica instituído o Dia Municipal Contra a Homofobia, a ser comemorado anualmente no dia 17 de maio.Artigo 2º - Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.


JUSTIFICATIVA


Este projeto de lei tem por objetivo a promoção do direito à livre orientação sexual. Com a instituição do Dia Municipal Contra a Homofobia verifica-se a incentivação de ações que proporcionam a discussão sobre o direito à livre orientação sexual, bem como a visibilidade de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. Ações salutares considerando o atual quadro de violência e discriminação contra gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. Segundo pesquisas realizadas pelo Prof. Luiz Mott1, no ano de 2002, 126 (cento e vinte e seis) homossexuais foram assassinatos, totaliza-se no período de 39 anos (1966 a 2002), 2.218 (dois mil duzentos e dezoito) homicídios no Brasil. Número que representa apenas a ponta do iceberg deste quadro de violência e discriminação.Ademais, segundo dados fornecidos pela Unesco, em alunos do ensino fundamental e médio, 39,4 % dos entrevistados do sexo masculino e 16,5% do sexo feminino não gostariam de ter homossexuais como colegas de classe, enquanto entre pais de alunos do ensino fundamental e médio, verificou-se que 41,5% dos homens declararam que não gostariam que homossexuais fossem colegas de classe dos filhos, em Fortaleza-CE, 6,8% dos professores não gostariam de ter homossexuais como alunos2.Ademais, direitos são negados diariamente a gays, lésbicas e transgêneros pela omissão legislativa. Verifica-se que o legislativo deixou de criminalizar atos homofóbicos, diferentemente do que ocorre com cidadãos que sofreram injúria em razão de sua raça, cor, etnia, religião ou origem (artigo 140 3º§ do Código Penal). Há omissão legal sobre o reconhecimento legal das uniões homafetivas como entidade familiar, bem como a inexistência de dispositivo legal que regre os casos de alteração de prenome às transexuais.Historicamente, no dia 17 de maio de 1990, a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade do rol de enfermidades, sendo que até então era considerada como doença ou perversão. O referido ato reconheceu que a homossexualidade é um estado mental tão saudável quanto a heterossexualidade, sendo um dos mais importantes marcos para o avanço da cidadania de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais.Solenizar anualmente o 17 de maio como Dia Municipal Contra a Homofobia, além de aproximar o Brasil dos países mais civilizados do mundo, que já incluíram tal data em sua agenda anual de celebrações, proporciona uma profunda discussão e reflexão sobre o cenário discriminatório que gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais convivem em nosso país. Discussões e reflexões que levam a mudanças comportamentais e culturais tão necessárias para promoção da cidadania plena de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais.


quarta-feira, 27 de maio de 2009

HOMOFOBIA E HETEROSSEXISMO

A maiorio de nós, já ouvimos, nem que seja uma vez na vida a palavra Homofobia, mas será que todos sabem o que a palavra realmente quer dizer? E ainda, alguém já ouviu falar em heterossexismo? Pois bem, agora ajudaremos você a desvendar esses dois enigmas:

O que é a homofobia?


Homofobia = aversão e medo mórbido irracional, desproporcional persistente e repugnante da homossexualidade ou de se tornar homossexual. Mais especificamente a Homofobia caracteriza o medo e o resultante desprezo pelos homossexuais que alguns indivíduos sentem. Para muitas pessoas é fruto do medo de elas próprias serem homossexuais ou de que os outros pensem que o são. O termo é usado para descrever uma repulsa face às relações afetivas e sexuais entre pessoas do mesmo sexo, um ódio generalizado aos homossexuais e todos os aspectos do preconceito heterossexista e da discriminação anti-homossexual.

Crime de homofobia


Infelizmente, a legislação brasileira é omissa no que tange à discriminação baseada na orientação sexual do indivíduo. O que ocorre é a necessidade de uma formulação legal urgente, a fim de acabar, ou pelo menos, reprimir tanta violência praticada contra os homossexuais, justamente porque não há amparo legal. Violências físicas são comuns, levando o Brasil ao ranking de país mais violento do mundo quando o assunto é homossexualidade. Mas, além disso, há uma outra espécie de violência que deveria ser observada pelas autoridades: a violência religiosa. Muito membros de instituições religiosas adotam pontos de vista liberais e outros preferem defender posições mais conservadoras com relação à sexualidade. As discordâncias são profundas e parecem sem solução, pelo menos a curto prazo. A homofobia acaba ganhando espaço e muitos dos atos violentos praticados contra homossexuais se dá a partir da noção deturpada pela religião de que a homossexualidade deve ser destruída. Enquanto este conflito religioso sobre o que é e o que não é permitido, em termos de religiosidade, continuar sem solução, muito sofrimento e inúmeros suicídios ocorrerão dentro da comunidade homossexual. O "banimento" destes indivíduos permanecerá num nível altíssimo e inúmeras mortes e suicídios continuarão a ocorrer enquanto muitos religiosos insistirem a levar a aversão à homossexualidade que suas igrejas pregam e estendê-as como ódio pelos homossexuais. Acredita-se que esta "homofobia sistematizada" (senão dizer, "organizada") é, atualmente, responsável pelas mortes de jovens homossexuais num grau semelhante à responsabilidade pelo extermínio de bruxas e outros"heréticos" durante a Idade Média e a Renascença. É preciso observar, urgentemente, qual é o verdadeiro papel da religião quando o assunto é homossexualidade: Incitar o ódio e a violência ou amar o próximo como a si mesmo

PLANO DE SAÚDE PRIVADA RECONHECE UNIÃO ENTRE LÉSBICAS


A UNIMED é o primeiro plano de saúde privada no Piauí a reconhecer as uniões estáveis entre casais do mesmo sexo.Recentemente o GRUPO MATIZES foi procurado por uma lésbica (que vive em união estável há 06 anos com sua companheira), a fim de que pudesse inclui-la como dependente junto ao Plano de Saúde. Essa lésbica já havia requerido a inclusão da companheira. Entretanto, o setor jurídico a UNIMED deu parecer, no sentido de só aceitar o pedido se a requerente tivesse uma "decisão judicial de reconhecimento de união estável" (sic).Em reunião com o Diretor Administrativo do Plano, o MATIZES argumentou que a exigência do setor jurídico era descabida e discriminatória. Arguiu ainda que, em vários outros planos de saúde (inclusive UNIMED's de outros Estados), é exigida somente a comprovação da relação homoafetiva estável. Ademais, mostrou que o IAPEP e o IPMT (Institutos de Previdência públicos locais) já têm regramentos prevendo a inclusão de companheiro/a de segurado/a homossexual. Após a argumentação do Matizes, a UNIMED voltou atrás em sua decisão e autorizou a inclusão da companheira da lésbica-contratante do Plano.As provas apresentadas para provar a união homoafetiva foram: endereço comum, apólice de seguro feita por uma delas em benefício da outra, duas testemunhas. As duas lésbicas vivem juntas há seis anos e educam os filhos trigêmios de uma delas (que engravidou através de inseminação artificial, planejada pelas duas).

DESEMBARGADOR DÁ PARECER FAVORÁVEL A CASAMENTO GAY‏


Desembargador dá parecer favorável a casamento gay, mas pedido é negado por maioria da corte.


Na manhã desta quinta-feira, 11 de setembro, foi julgado na 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, especializada em Direito de Família, o primeiro pedido de casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, no Brasil. O advogado Gustavo Bernardes, 33 anos, e o cabeleireiro Cristian Dallé, 23 anos, que vivem juntos desde 2006, desejavam oficializar o casamento, entretanto, o pedido foi negado por dois votos a um. O Desembargador Rui Portanova, presidente da Câmara, afirmou em sua justificativa que é favorável ao casamento entre pessoas do mesmo sexo, com base na Constituição Federal, pois, segundo ele, a lei máxima não permite discriminação por sexo. “Sou a favor do casamento gay. Se no Havaí e na África do Sul é possível, porque não podemos avançar aqui no Brasil também?”, indagou aos presentes, afirmando que não é uma questão de pioneirismo, mas de afirmação de Direitos. Entretanto, os Desembargadores Claudir Fidelis, também relator, e José Siqueira Trindade afirmaram que não há amparo na legislação brasileira que sustente a possibilidade de casamento entre pessoas do mesmo sexo e que o reconhecimento da união estável não possibilitaria a ampliação para o casamento civil. Ao final da sessão ficou evidente a necessidade de dar continuidade ao debate, pois é necessário pautar este tema nos tribunais, enquanto a legislação federal não avança. Bernardes afirmou que irá recorrer à decisão. “O voto favorável e bem embasado do desembargador Rui Portanova, nos encoraja a não desistir e dar continuidade à ação. Vamos ainda dar início à uma campanha nacional para que outros casais façam o mesmo. Precisamos mostrar que existe uma demanda pelo direito ao casamento gay”, concluiu. Já Alexandre Böer, diretor da ABGLT para Região Sul, afirmou que se no Brasil este direito é negado, é chegada a hora de recorrermos à OEA – Organização dos Estados Americanos. “Recentemente, a 38ª Assembléia Geral da OEA aprovou uma resolução apresentada pelo Brasil intitulada Direitos Humanos, Orientação Sexual e Identidade de Gênero. Esta resolução foi assinada pelos 34 países das Américas e podemos fazer esta denúncia internacionalmente. É impossível que possamos casar em Buenos Aires, aqui num país vizinho, e no Brasil, ainda não. Queremos um marco legal comum para os países do mercosul e as mesmas leis, com os mesmos nomes, afirmou Böer.

Homofobia é mais comum que racismo, diz estudo

Pesquisa revela que 41% dos ingleses assumem ter preconceito contra lésbicas.

A homofobia é mais comum que o racismo. É o que revela estudo sobre o preconceito apresentado na Inglaterra.
O estudo, realizado pela Sociedade Britânica de Psicologia, mostrou que 35% dos entrevistados assumiram ter algum tipo de preconceito contra homens gays e 41% contra lésbicas.
28% dos entrevistados disseram que já discriminaram pessoas de origem asiática e 25% afirmaram ter preconceito contra negros. “Atitudes preconceituosas são difíceis de mensurar, porque se uma pessoa admitir que é racista ou sexista poderá enfrentar graves consequências. Assim, para descobrir as intenções reais de nossos participantes medimos suas atitudes ‘implícitas’ – associações mentais das quais não temos consciência – utilizando testes de computador”, explicou Pete Jones, um dos responsáveis pelo estudo.
Para o pesquisador, o estudo mostra que o preconceito ainda existe e deve ser combatido. “Os resultados mostraram que gays e lésbicas são hoje as principais vítimas do preconceito, como eram os negros há alguns anos”, disse Jones. “Uma vez que as pessoas percebam que têm preconceito, elas devem mudar suas atitudes – assumir o controle para que elas não tenham impacto em seu comportamento. Podemos agir dessa maneira examinando nossos pensamentos para ter certeza de que nossos preconceitos não estão nos influenciando”, concluiu o pesquisador.

terça-feira, 26 de maio de 2009

Campanha Nome Social para travestis e transexuais nas escolas

Esta é uma campanha abraçada pelo E-JOVEM e pela ANTRA (Articulação Nacional de Travestis e Transexuais), ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), ABL (Associação Brasileira de Lésbicas) e GPH (Grupo de Pais de Homossexuais).

Estaremos mandando ofícios para todas as secretarias de Educação dos estados, para iniciar o processo de reconhecimento do nome social de travestis e transexuais nas escolas. Assuma você também esta campanha, marque audiência com sua Secretaria de Educação!

O Estado do Pará é o único que já adotou esse reconhecimento por decreto da governadora, por meio da Portaria 016/2008.

Caso no seu estado, seu grupo escolar tenha interesse em participar da Campanha, é só usar este ofício como modelo (vide abaixo) como este e todos os documentos que embasam a proposta para o Conselho de Educação do seu Estado.

EXEMPLO DE OFÍCIO:


GRUPO E-JOVEM
de Adolescentes Gays, Lésbicas e Aliados
CNPJ: 08.543.270/0001-50

À: Professora Maria do Rosário Cassimiro
Conselho Estadual de Educação de Goiás
Av. Anhanguera, 5110 – 4º andar
Goiânia - GO
74043-010

Assunto: Inclusão nome social das Travestis e Transexuais nos registros escolares

Senhora Presidente:

O GRUPO E-JOVEM de Adolescentes Gays, Lésbicas e Aliados é uma rede nacional de adolescentes e jovens ativistas no combate ao preconceito e à discriminação, principalmente contra LGBTs e à juventude em geral. Somos mais de 4.500 jovens que atuam em 22 cidades, nas cinco macrorregiões do Brasil, e na internet (E-jovem.com).

Em parceria com a ABGLT - Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais - e a ANTRA – Articulação Nacional de Travestis e Transexuais, vimos por meio deste solicitar a aprovação, por parte deste Conselho, da inclusão do nome social das travestis e transexuais nos registros escolares (livro de chamadas, cadernetas escolares, históricos, certificados, declarações e demais registros escolares das Escolas e dos Colégios do Estado).

Solicitamos, também, ao Conselho Estadual de Educação, que tome providências no sentido de promover estas mudanças, que certamente terão reflexos positivos na política de inclusão social do Governo de Estado de Goiás, promovendo assim a diminuição da evasão escolar, tão crescente entre as cidadãs deste segmento da sociedade.

Nossa solicitação encontra-se apoiada pelas propostas aprovadas pela 1ª Conferência Nacional LGBT, realizada em junho de 2008, especificamente a seguinte proposta, relativa à educação:

12. Propor, estimular e garantir medidas legislativas, administrativas e organizacionais, para que em todo sistema de ensino seja assegurado a estudantes e profissionais da educação travestis e transexuais o direito de terem seus nomes sociais, nos documentos oficiais das instituições de ensino, assim como nas carteiras estudantis, sem qualquer constrangimento para seu/sua requerente, e de usufruírem as estruturas dos espaços escolares em igualdade de condições e em conformidade com suas identidades de gênero, podendo ser integradas ao Programa de inclusão educacional.

Salientamos também, que esta medida já foi adotada pelo Estado do Pará, através da Portaria nº 016/2008 - GS, anexa, e também está sendo encaminhado pelo Conselho Estadual de Educação do Paraná.

Para auxiliar este Conselho na análise de nossa solicitação, na próxima folha segue uma relação de documentos oficiais e outras publicações sobre essa questão.

Na expectativa de sermos atendidos, estamos à disposição.

Atenciosamente

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Bando de SP ataca travestis em Londrina

LONDRINA

A série de ataques, esfaqueamentos, espancamentos e a morte de dois travestis e transexuais em Londrina, Norte do Paraná, pode ter relação com a instalação de uma nova quadrilha na cidade. O grupo, formado por travestis, pretende controlar o mercado local do sexo, banindo antigos profissionais do ramo e vinculando o setor a diversas ilegalidades. As denúncias são de vítimas, profissionais e ex-profissionais ligados à prostituição transexual.
Segundo as fontes, a quadrilha é do interior de São Paulo. Chegou a Londrina em outubro do ano passado – data que coincide com o começo dos episódios de perseguição aos travestis (veja quadro). O bando anda em carros de luxo e já trabalhou em esquemas de prostituição profissional na Europa – para onde enviam, a partir de Londrina, travestis para exploração sexual.

Polícia apura relação entre quadrilha e crimes
O delegado do setor de Homicídios de Londrina, Ernandes Alves, afirma que os ataques a travestis “podem ter mais de uma motivação”. Alves não descarta a possibilidade de que algumas agressões tenham relação com intolerância e preconceito contra os travestis, mas alega estar “atento” às informações sobre a existência de um bando que deseja manter o controle do mercado sexual em Londrina. “Já temos bastante informações. Pode ser briga pessoal entre eles e disputa. Mas nada posso adiantar.”

Crimes

Atos violentos contra travestis em Londrina:
Em um bairro de classe média, na Zona Oeste, a quadrilha mantém uma casa onde pelo menos 22 travestis de outros estados se abrigam. Ali, fazem dívidas com hospedagem, têm acesso facilitado ao crack, ganham roupas de marca e apliques de silicone em seringas – ou vão para São Paulo para cirurgias plásticas que chegam a custar R$ 7 mil. Bancados pela chefe do esquema – que morou na Itália – não conseguem saldar as dívidas, que se acumulam.
“Quando tentam fugir, pagam com a própria vida”, denuncia Edson Bezerra, 49 anos, um ex-travesti que passou das ruas e da prostituição desde os tempos da ditadura a defensor reconhecido dos direitos de prostitutas e homossexuais. “Há uma relação muito forte entre os crimes. É só montar o quebra-cabeça”.
Um dos travestis mortos neste ano estava hospedado na pensão do bando em Londrina. O outro era da cidade, mas se abrigava na pensão da quadrilha em Jundiaí. O pai da vítima contou a Edson que o filho acumulou dívidas de mais de R$ 5 mil e se tornou refém do bando. Foi até o interior de São Paulo para resgatá-lo, pagou metade e trouxe-o de volta a Londrina. Tempos depois, sem conseguir a outra parte do dinheiro, o rapaz foi executado.
“Ultrapassa a cafetinagem”, acusa o ativista, que resolveu falar após quase quatro anos afastado das causas. Edson era presidente da ONG Adé-Fidam, entidade que até 2005 lutava contra o preconceito. Após problemas internos, a entidade se desmanchou, mas Edson permaneceu como referência. Agora, é procurado pelas famílias de vítimas e por travestis que temem que a sequência de ataques caia no esquecimento.

Travesti morre após aplicação de silicone usado em limpeza de carros

O silicone industrial aplicado por um travesti de 25 anos que morreu em Franca, a 400 km de São Paulo, é usado para limpeza de carros e impermeabilização de azulejos. Ele morreu na quarta-feira (18) após ficar 15 dias internado na Santa Casa da cidade.
Ele teve infecção generalizada e parada cardíaca após a aplicação do produto. Segundo a polícia, ele contou a sua mãe que fez as aplicações. O silicone utilizado pelo rapaz é bem diferente do utilizado por médicos em implantes.
O delegado seccional de Franca, Maury de Camargo Segui, abriu inquérito para apurar o caso e pretende ouvir os amigos citados pelo travesti. “Precisamos identificar essas pessoas, que também podem estar correndo risco de morte”, afirmou.
Ele acha difícil que a vítima tenha aplicado o silicone sozinha e acredita na participação de outras pessoas. Se a hipótese for comprovada, os envolvidos vão responder pela morte do travesti.

Juiz de Fora: Glamour, beleza e muitos shows marcam Miss Brasil Gay 2008


O longo tapete vermelho estendido na frente do Cine-Theatro Central, na cidade mineira de Juiz de Fora, já dava o tom de elegância que marcou a 32ª edição do mais que tradicional Miss Brasil Gay, concurso que elege a transformista mais bela do país e que foi realizado na noite de sábado, dia 16 de agosto.Emocionante e criativo, o Miss Brasil Gay 2008 cumpriu com os objetivos de seus organizadores: o de tornar o evento definitivamente referência de glamour e riqueza.No hall de entrada os convidados desfilavam e posavam para as fotos, enquanto cerca de 1500 pessoas lotavam as dependências do espaço para assistir ao badalado evento, que este ano foi apresentado pela hilária Silvetty Montilla e Alexandre Silveira. Logo após a apresentação do júri, Silvetty chamou ao palco o cabeleireiro Chiquinho Mota, criador do concurso e que, mesmo debilitado de saúde, demonstrou sua alegria de estar presente.Ao total 24 candidatas, cada uma representante de seu respectivo estado, disputaram a coroa. Dividido em dois blocos, elas desfilaram primeiro com o traje típico e depois com o de gala. Uma a uma, as misses exibiram seus requintados vestidos e conquistaram a torcida dos espectadores. Outro momento marcante do concurso foram as performances de Léo Áquilla, Kaká di Polly, Fernanda Miller e do ator Marcos Marinho, que emocionou o público com uma encenação de Edith Piaf cantando No, Je Ne Regrette Rien. Antes de ser revelada a grande vencedora, o júri elegeu, entre vaias e aplausos, a Miss Tocantins Ava Simões como Miss Simpatia, além de entregar a ela o prêmio de Melhor Traje Típico e Melhor Traje de Gala.Na seqüência foram reveladas as cinco primeiras candidatas. Em 5º lugar ficou a Miss Amapá, Nathália Sant’anna; em 4º lugar a Miss Espírito Santo, Myrian Vervloet; em 3º lugar a Miss São Paulo, Julia Sanches; em 2º lugar a Miss Tocantins, Ava Simões. Mas quem se coroou como a Miss Brasil Gay 2008 foi Lizandra Brunelli, a Miss Pernambuco. Com muita alegria e lágrimas, Lizandra recebeu a faixa das mãos de Ianka Ashylen, a Miss Brasil Gay 2007; e a coroa das mãos de Tamara Almeida, Miss Mundo Brasil 2008.

São Paulo: Mesmo sob chuva forte, 3ª Parada LGBTTT da Zona Leste reúne cerca de mil pessoas


As imediações do metrô Corinthians-Itaquera, serviu, no último domingo, 23 de novembro, de ponto de encontro para o início de mais uma manifestação da comunidade LGBT. Com o tema “Por um Brasil sem Homofobia - pela Aprovação da do PL 122”, o Zona, grupo LGBT da Zona Leste, o Cads e a Subprefeitura de Itaquera realizaram a 3ª Parada LGBTTT da Zona Leste.No início do evento, o fundador do Zona, Roberto Bartô, relembrou o assassinato de três rapazes no Parque do Carmo, o que motivou a criação do grupo e a realização da primeira parada da Zona Leste. A drag Dindry Buck pediu que todos cantassem o hino nacional, momento marcante da festa.O forte temporal, que caiu no meio da tarde, animou ainda mais o evento e muitas pessoas dançaram embaixo de chuva. Segundo a estimativa da Polícia Militar, estavam presentes cerca de mil pessoas participaram da manifestação, que teve entre como convidada especial Silvetty Montilla. A eleição da Drag Queen da Zona Leste, Ariadna Shine, marcou o encerramento do evento.

Sete mil pessoas fervem com a 2ª Parada GLBTT de Bragança Paulista

Mais de sete mil pessoas participaram no domingo, dia 23 de novembro, da 2ª Parada GLBTT de Bragança Paulista, no interior de São Paulo. A Parada contou com os DJs Reinaldo e Marc Ransson e apresentações de Talessa Top e drags da região.Organizado e apadrinhado por Juma e Klaus Venttura, o evento teve início às 13h, no centro da cidade, com concentração na Rua Candido Fontoura. Em seguida o público saiu em marcha pelas ruas da região e ainda pôde conferir o show de encerramento com Talessa Top e drags da região.A sensualidade do evento ficou por conta da presença dos modelos e go-gos da G Magazine André Morais, Kayo Felipe, Marcos Soares, Carlos Branco, Alan e Anderson Senna.

Mulher dá à luz casal de gêmeos da companheira

Adriana Maciel deu à luz, na última quarta-feira, 29 de março, um casal de gêmeos, e luta para que os bebês sejam registrados em seu nome e no da companheira, Munira Kalil El Ourra, que doou os óvulos. A ideia de gerar os filhos no ventre de uma com os óvulos da outra surgiu quando, durante uma visita ao ginecologista, Adriana descobriu que sofria de endometriose e, por isso, teria de engravidar com óvulos de outra pessoa. As duas fizeram um tratamento e meses depois, Adriana estava grávida graças aos óvulos de Munira e à doação de esperma de um doador desconhecido.Com a ajuda da advogada e desembargadora aposentada do Rio Grande do Sul, Maria Berenice Dias, que há anos cuida de casos de casais homoafetivos, as duas mulheres tentam há mais de um mês declarar a dupla maternidade no Fórum de Santo Amaro, em São Paulo. Maria Berenice considera a demora normal, pois o caso é complexo. Acredita, no entanto, que o nascimento das crianças deve acelerar o processo.

Ator Rodolfo Bottino sai do armário e revela ser soropositivo


O ator Rodolfo Bottino, famoso ator global da década de 1980 que fez sucesso na série Anos Dourados, na novela Ti-ti-ti e outras, decidiu sair do armário, no último sábado, 2 de maio, e falar pela primeira vez sobre sua saúde.
Portador de HIV, Bottino acreditou durante anos que deveria permanecer em silêncio, mas por fim, concluiu que falar de sua experiência "poderia ajudar outras pessoas a sair do armário e vencer o preconceito". Aceitou conceder uma entrevista à revista O Globo.
O ator que revela ter curtido muito e namorado homens e mulheres, hoje é um chef de cozinha que, duas vezes por semana, dá dicas gastronômicas e interage de um jeito divertido com a plateia no CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil), no Rio de Janeiro. Hoje ele está bem, mas passou por maus momentos quando se descobriu soropositivo no início dos anos 1990.
Bottino conta que com a “cuca” no lugar conseguiu se manter firme por todos esses anos. “Todo dia pode ter uma porrada. Mas também pode ter uma realização. Nenhum HIV, câncer, hepatite ou diabete impede essa realização diária. O que impede é a cuca”. Não desanimou nem quando descobriu um câncer no pulmão, em 2006. Chegou a perder 27 quilos, mas logo se recuperou.

Confira os eventos que marcam o Dia Mundial de Combate à Homofobia pelo país


Foto da Parada do Orgulho do Rio de Janeiro de 2008

Em 17 de maio de 1990 a homossexualidade deixava a lista de transtornos mentais da OMS (Organização Mundial da Saúde), fato que marcou o fim do ciclo de 2000 anos em que a homossexualidade era encarada primeiro como pecado, depois como crime e, por último, como doença.A data, então, ganhou um novo significado, dessa vez como Dia Mundial de Combate à Homofobia, fato que movimenta organizações de todo o mundo. No Brasil não é diferente e ONGs e instituições de todo o país preparam eventos variados para esse fim de semana. De shows a audiências públicas, as manifestações têm também um cunho político e cobram, entre outros direitos, a aprovação da PLC 122/2006, que visa a criminalização da homofobia e trâmita no Senado.O destaque deste ano vai para o Estado do Rio de Janeiro, que em parceria com a Secretaria de Assistência Social e Direitos humanos prepara uma programação especial com,
11 eventos que vão do dia 15 a 22 de maio. Confira a programação dos eventos pelo Brasil:

Belo Horizonte 13 de maio – Às 9h acontece Audiência pública na Assembléia Legislativa de Belo Horizonte.

15 de maio – Audiência pública na Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte.

18 de maio – Às 10h haverá passeata contra a homofobia na Praça 7. Local: Rua Rio de Janeiro.

19 de maio – Diálogo no Conselho de Homofobia. Local: Rua Tibiras, 1532 – 6º andar – Bairro: Lourdes.Salvador.

De 14 a 31 de maio – O Grupo Gay da Bahia prepara uma exposição de fotos e cartazes e exibição de filmes temáticos na sede do grupo sobre Homofobia na Bahia. Local: Sede do Grupo Gay da Bahia. Rua Frei Vicente, 24.

Pelourinho.18 de maio – Com a parceria do Grupo Gay da Bahia, Associação de Travestis de Salvador e Quimbanda-Dudu de Gays Negros, a Assembleia Legislativa da Bahia lerá uma moção sobre o Dia Mundial Contra a Homofobia.

São Paulo 18 de maio – Às 14h30 a Associação da Parada do Orgulho LGBT junto com o Coletivo de Femininas Lésbicas e o Centro de Referência da Diversidade (CRD) fazem marcha do CRD até a Câmara dos Vereadores. Lá, fazem leitura do manifesto contra a homofobia. Início da marcha: Centro de Referência da Diversidade. Rua Major Sertório, 292/294 – Vila Buarque.

Curitiba16 a 19 de maio – Das 9h às 18h acontece o 1º Seminário da Rede Paranaense pela Cidadania LGBT. Local: Hotel Doral Torres. Rua Mariano Torres, 951 – Centro.17 de maio – Às 11h a Aliança Paranaense pela Cidadania LGBT promove panfletagem na feira do Largo da Ordem. Local: Centro.

18 de maio – Das 14h às 16h haverá Audiência Pública na Câmara Municipal de Curitiba.

19 de maio – 1ª Conferência Livre de Segurança Pública Local: Câmara Municipal de Curitiba.

Florianópolis 15 de maio – Das 9h às 17h o Núcleo de Identidades de Gênero e Sujetividades da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) faz mostra dos melhores cartazes do concurso promovido em escolas públicas da cidade. Local: Universidade Federal de Santa Catarina - Campus Trindade.

Goiânia 17 de maio – Às 16h o Fórum de Transexuais de Goiás realizará uma oficina sobre homofobia, com exibição de filmes temáticos. Local: Café Prevenção: Centro de Convivências. Av. Araguaia, 1025.

Centro.Recife 17 de maio – Pela manhã será feita panfletagem, carro de som e fixação de cruzes na Praia de Boa Viagem simbolizando os LGBT mortos em Pernambuco. Durante a tarde haverá distribuição de fitas com as cores do arco-iris e panfletagem na Praça do Marco Zero. Local: Recife Antigo.

17 de maio – O Grupo Elos faz panfletaço de conscientização e combate à homofobia no Bar Barulhos. Local: Quiosque nº 2, atrás da pista Carrera Kart.

Rio de Janeiro 15 de maio – Das 15h às 17h30 acontece o lançamento e apresentação da Pesquisa Homofobia e Direitos Humanos da Fundação Perseu Abramo. Local: Academia de Polícia Civil. Rua Frei Caneca, 162.

16 de maio – Das 18h às 21h30 é a vez do Projeto Vamos Nos Ver que promove exibição de vídeos sobre homofobia e cidadania com debate. Local: Castelinho do Flamengo. Praia do Flamengo, 158.

17 de maio – Às 15h haverá a Caminhada pelo Dia Mundial de Combate a Homofobia e pela paz - Diga não à homofobia. Participação de diversas organizações LGBT e entidades de Direitos Humanos. Local: Praia de Ipanema com Concentração na Rua Vieira Souto com Vinicius de Moraes.

17 de maio – Às 20h é a última apresentação da peça Todo O Amor Que Houver Nessa Vida. Local: Casa de Cultura Laura Alvim. Avenida Vieira Souto 176, Ipanema – Telefone 2332-2015. Ingresso: R$10. 17 de maio.

Às 22h é a vez da festa pelo Dia Mundial de Combate a Homofobia. Local: Boate 1140. Rua Capitão Menezes, 1140, Praça. Ingresso R$3 (até 23h com flyer) R$5 (até 23h sem flyer) R$10.18 de maio.

Às 14h acontece a Cerimônia de Instalação e posse do Conselho Estadual dos Direitos da População LGBT do Rio de Janeiro. Coquetel e posse dos membros do Conselho. Local: Salão Nobre do Palácio Guanabara. Rua Pinheiro Machado S/nº - Laranjeiras.

18 de maio – Às 17h é a vez do Seminário Políticas Públicas, Legislação e Combate a Homofobia. Local: Salão Nobre do Palácio Guanabara. Rua Pinheiro Machado S/nº - Laranjeiras.

19 de maio – Das 19h às 22h acontece a mesa-redonda: "E as lésbicas, como vão?". Local: Castelinho do Flamengo. Praia do Flamengo 158.

20 de maio – Das 19h às 22h tem a mesa-redonda: "Muito prazer, Eu existo!" e "Travestis e Transexuais: Saúde, Educação, Trabalho e Previdência". Local: Castelinho do Flamengo. Praia do Flamengo 158.

21 de maio – Das 20h às 23h haverá coquetel de 16 anos do Grupo Arco-Íris. Local: Rua Monte Alegre, 167-A, Santa Teresa.

22 de maio – Às 22h é a vez da Festa do Arco-Íris 16 anos e comemoração de 40mil adesões a Campanha Não Homofobia (www.naohomofobia.com.br) Local: Castelinho do Flamengo. Praia do Flamengo 158.

Substituto de Clodovil na Câmara dos Deputados é contra o casamento gay


A vaga deixada por Clodovil Hernandes na Câmara dos Deputados já tem dono: o político ultraconservador Jairo Paes de Lira (PTC-SP)*, coronel da reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo. Em entrevista ao G Online na tarde desta quinta-feira, dia 19 de março, o político disse que é contra o casamento gay e o aborto, defende a pena de morte e acha que todo cidadão de bem deve ter o direito de possuir uma arma em casa para se defender. "Minhas propostas políticas seguem a minha visão de mundo, embasada na religião católica e na Constituição brasileira".Sobre ser contra o casamento gay, Paes de Lira esclarece que é necessário "seguir a ordem natural das coisas", "que prevê a união do homem e da mulher e não de pessoas do mesmo sexo". O coronel, no entanto, deixou claro que a violência contra qualquer grupo deve ser criminalizada. "Sou a favor dos direitos humanos e acredito que todas as pessoas são dignas de respeito". Já sobre a pena de morte, o coronel afirma que é necessário "um endurecimento penal", pois acredita que ainda existe muita condescendência em relação aos criminosos. Paes de Lira – que ocupará tanto a vaga como o gabinete de Clodovil Hernandes, morto na última terça-feira, dia 17, em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC) – também afirmou que a decoração do cômodo na Câmara dos Deputados será mudada. O gabinete decorado por Clodovil era espelhado e pintado de rosa."É claro que a decoração será mudada. Não tenho nada contra o rosa, mas esse não é meu estilo. Vou adotar uma decoração padrão adotada por outros deputados, mas é evidente que o deputado Clodovil levava uma vida totalmente antagônica à minha. Tenho uma história de vida formada na Polícia Militar, diametralmente oposta à do Clodovil. Respeito as posições que o deputado adotava, pois todos são filhos de Deus, mas não posso concordar com elas", disse o político. Tendo recebido pouco mais de 7 mil votos, Paes de Lira deverá assumir o cargo nesta sexta-feira, 20 de março, mas espera a convocação do Presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer.*O Partido da República (PR), para o qual Clodovil mudou depois de eleito, pediu o cargo deixado pelo deputado, mas o pedido deve ser deferido, pois, pela lei, a vaga é do partido que elegeu Clodovil, no caso, o Partido Trabalhista Cristão (PTC).

Bens de Clodovil geram conflitos entre advogada e amigos do deputado

A advogada Maria Hebe Pereira de Queiroz, testamenteira do deputado Clodovil Hernandes, morto por consequências de um AVC (Acidente Vascular Cerebral), em março deste ano, está batendo de frente com dois amigos do deputado, os assessores Meg Ramos e João Toledo.As discordâncias são muitas e Queiroz, que foi procurada pelo Clodovil para zelar por seus bens após sua morte, contou ao G Online que recebeu há alguns dias uma carta "grosseira" de João Toledo. Na carta, Toledo listou bens valiosos de Clodovil – como brincos de diamantes, a coleção de canetas, relógios, aquarelas, roupas, cristais – e pede uma prestação de contas dos objetos.A assessora parlamentar e amiga de Clodovil Meg Ramos também está, segundo a advogada, fazendo cobranças descabidas. Além de questionar o futuro dos bens do deputado, "essas pessoas se dizem inconformadas por não poderem mais entrar na casa que Clodovil mantinha em Ubatuba (litoral de São Paulo)". Maria Hebe conta que todas as suas ações são reportadas ao Ministério público e que as insinuações são absurdas. “Estou fazendo tudo o que foi pedido pelo deputado. No momento, tento transformar uma de suas casas (a de Cotia ou a de Ubatuba) em uma fundação para visitação, mas para isso, preciso do apoio dos prefeitos das cidades". A advogada também declarou que os objetos de valor estão em um local seguro e que só deve satisfações à justiça.O G Online entrou em contato com João Toledo, autor da carta e amigo de Clodovil, e esse contou que nem ele nem Meg Ramos têm interesse algum nos bens do deputado. "Éramos amigos e só queremos que os desejos dele sejam realizados conforme o testamento". Toledo espera que a advogada preste contas e que torne os detalhes públicos, já que o deputado e estilista também era uma pessoa pública. Blog Um página na web deixada por Clodovil também está gerando atrito entre a assessora parlamentar e a advogada. Segundo Maria Hebe de Queiroz, Meg Ramos "apropriou-se do blog de forma indevida e ainda usa a página para expressar sua opinião em nome do Clodovil". A assessora Meg Ramos, que também conversou com o G Online, garantiu que só continua atualizando o blog, porque esse foi dado pelo próprio Clodovil. "Eu já atualizava o blog do deputado quando ele ainda estava vivo. Todas as notícias da Câmara eram feitas por mim".Ramos não quis comentar sobre a suspeita de má condução dos bens do deputado, mas afirma que já entrou em contato com o Ministério Público para poder tomar as atitudes corretas. Segundo João Toledo, o impasse deve acabar dentro de alguns dias quando a justiça nomear um inventariante, pessoa que tem o poder legal de dar finalidade aos bens conforme o testamento.

Votação do projeto de lei que criminaliza a homofobia é adiada em comissão do Senado

Foi adiada a reunião da Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal que aconteceria nesta próxima quarta-feira, dia 6 de maio, e onde seria votado o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 122/2006, que criminaliza a homofobia em âmbito nacional. No lugar da 13ª Reunião Extraordinária da CAS, haverá uma audiência pública sobre o regulamento técnico de práticas farmacêuticas.Em trâmite no Senado há mais de dois anos, o PLC, de autoria da então deputada federal Iara Bernardi, visa alterar a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, que define os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor. Sob os cuidados da relatora, a senadora Fátima Cleide (PT/RO), o PLC precisa enfrentar um longo trajeto dentro do Senado até obter a aprovação final. Por não ser terminativo dentro da CAS, o projeto precisa ainda passar pela Comissão de Direitos Humanos – onde já estava em 2008 e por manobras do senador Gim Argello (PTB-DF) foi transferido para a CAS - e pela Comissão de Constituição e Justiça antes de ir a plenário.Segundo Caio Varela, assessor parlamentar de Fátima Cleide, a expectativa é que o PLC possa ser votado na próxima semana, também na quarta-feira (13), caso não seja programada outra audiência pública para o dia.

Fábio Assunção vai interpretar personagem gay com HIV no cinema


Parece que o ator Fábio Assunção cansou da imagem de bom moço e não se importa mais de estrelar filmes e papéis polêmicos. Após interpretar o pai de um dos meninos que forma o casal gay e incestuoso no longa Do começo ao fim, o global parece que vai viver um gay nos cinemas.Segundo o jornal Extra, do dia 14 de maio, Fábio vai filmar A Vida não é Feia dirigido por Marina Person, conhecida como VJ da MTV. O ator será um homossexual e portador do vírus HIV. A história vai se passar na década de 1980 e as filmagens serão iniciadas em agosto.



"Tive uma relação de amor com Xuxa", diz Marlene Matos



A empresária Marlene Matos, a grande responsável por alavancar a carreira de Xuxa, fez revelações bombásticas para a revista Quem sobre a relação que tinha com a apresentadora. Na época em que eram grandes amigas e parceiras profissionais, Matos revela que o que sentiu por Xuxa foi amor, mas “não teve sexo”.Quando questionada sobre os boatos de que sua relação com a Xuxa ter ido além do profissional, Matos respondeu que “a Xuxa foi a pessoa que eu mais amei na minha vida, depois de minha avó. (...) Eu estava à disposição dela, 24 horas, por amizade. Se as pessoas não se permitem ser amigas de verdade, eu lamento muito. Tive uma relação de amor com Xuxa, eu não tive uma relação sexual. Não teve sexo (..)”.A amizade entre as duas foi rompida drasticamente e Matos garante que não há volta “Mas, não ficou mágoa. Não ficou nada”. A empresária foi além e ainda disse que não sente falta nem de Xuxa e da afilhada Sasha. “Tenho outros afilhados. Não que eu não sinta falta, mas é que a gente tem que aprender a sentir falta só de quem sente falta da gente”. A empresária, que no momento se divide entre Rio e São Paulo, está à frente do programa do Netinho Show da Gente, no SBT.


Advocate faz lista de celebridades gays mais "googladas


O site da revista Advocate preparou uma lista das 25 celebridades gays mais “googladas”, ou seja, as celebridades com maior número de ocorrências no Google. Lindsay Lohan, que vem sendo alvo diário dos tablóides desde o término do namoro com a DJ Samantha Ronson, aparece em primeiro lugar. Em segundo está o blogueiro Perez Hilton, que provocou a polêmica sobre o casamento gay com a Miss Califórnia Carrie Prejean, durante o Miss Estados Unidos. Para quem não acompanhou o caso: Perez perguntou para Prejean o que ela achava do casamento entre pessoas do mesmo sexo e a candidata respondeu que “um casamento deveria acontecer entre um homem e uma mulher”. Em terceiro ficou Elton John que, ao lado de Boy George e George Michael, compõem os britânicos da lista. Confira o ranking completo:
1. Lindsay Lohan2. Perez Hilton3. Elton John4. Tila Tequila5. Ellen Degeneres6. Marc Jacobs7. Clay Aiken8. George Michael9. Anderson Cooper10. Suze Orman11. Adam Lambert12. Rufus Wainwright13. Jodie Foster14. Melissa Etheridge15. Tom Ford16. Ani DiFranco17. Portia de Rossi18. Lance Bass19. Boy George20. Rachel Maddow21. Samantha Ronson22. Rosie O’Donnell23. Neil Patrick Harris24. Cynthia Nixon25. Wanda Sykes.

Paloma Duarte e Adriana Garambone vivem relacionamento lésbico em novela da Record



As atrizes Paloma Duarte e Adriana Garambone viverão um romance lésbico na novela Poder Paralelo, da Record. O autor, Lauro César Muniz, no entanto, disse que tratará o assunto de maneira sutil e não pretende exibir nenhuma cena com beijo gay.Além disso, para que as cenas desse e de outros romances possam ir ao ar, Muniz precisa enfrentar o Ministério da Justiça, que classificou o folhetim adequado para maiores de 14 anos. O autor, no entanto, considera a novela mais adequada para maiores de 16 anos. "A gente começou a gravar, mas duvido que tudo vá para o ar", diz Paloma Duarte para o Jornal da Tarde. Para a atriz, a classificação inadequada faz com que muitas cenas sejam cortadas. "A gente grava, grava e grava, e muita coisa não vai para o ar. A equipe não gosta muito de falar desse assunto, mas essa é a nossa realidade". A atriz, que mesmo assim aposta no bom trabalho de Muniz, disse estar feliz com a abordagem do tema. Ela deixa claro, porém, que não terá namoro entre as duas personagens. "Existirá um envolvimento, as duas vão se unir contra o Bruno (Marcelo Serrado), mas será mais amizade do que paixão e vingança".


Filmes gays são destaques de mostra do Centro Cultural Banco do Brasil

Cena do filme Minha Vida em Cor de Rosa

A mostra Tribos Urbanas no Cinema – que está sendo exibida no Centro Cultural Banco do Brasil, nas unidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília – exibe 20 filmes que retratam 10 diferentes tribos metropolitanas refletidos em comportamento, modo de pensar e vestir. Entre os grupos selecionados foram os beatniks, mods, glam, clubbers, hippies, yuppies, new wave, skaters&surfers, grunges e punks e também os gays representados nos filmes Hedwig - Rock, Amor e Traição e Minha Vida em Cor de Rosa.O primeiro é uma adaptação da peça homônima do circuito off-Broadway que conta a história de uma cantora de rock trans e sua busca pelo estrelato e amor. O segundo é uma história de um garoto que age como uma garota. O drama cresce quando a família não sabe se respeita as vontades do filho ou faz ele mudar o comportamento como meio de proteção aos olhos de recriminação da vizinhança.A mostra fica em cartaz até dia 24 de maio e tem como curador o músico Tatá Aeroplano. A programação completa

Penitenciária de Belo Horizonte ganha ala especial para gays e travestis

Gays, travestis e transexuais condenados à prisão em Belo Horizonte ganharam uma ala especial na penitenciária masculina de São Joaquim de Bicas. Aberta há um mês, a ala permite, por exemplo, que as travestis e as transexuais mantenham os cabelos compridos, o que não podia ser feito em presídios comuns. A ala ainda está em fase experimental e já conta com 37 presos. Além de valorizar a autoestima dos presos, a ala também prevê a diminuição da violência e a preservação da saúde, já que os homossexuais são as principais vítimas sexuais das prisões. Walkiria La Roche, coordenadora do Centro de Referência LGBT, da Secretaria de Desenvolvimento Social do Estado, diz que "a violência existe, sim, mas a saúde vem em primeiro lugar. E não é a saúde só deles [dos homossexuais]. É de todos os presos que estão ali", diz La Roche.Se der certo, a ala ainda poderá proporcionar visitas íntimas aos presos, mas como o projeto é experimental, ainda não há nada definido.

Piauí: 1º Encontro de Gays de Teresina começa nesta sexta

Com o objetivo de discutir o aumento da incidência da aids entre gays e travestis, começaram, dia 22 de maio, o 1º Encontro de Gays do Município de Teresina, no Piauí. Organizado pelo Coletivo Mirindiba, o evento, que acontece, tem como tema "Contextos de Vulnerabilidade para o Seguimento de Gays"."O Ministério da Saúde lançou o Plano Nacional de Enfrentamento da Epidemia de Aids e das Doenças Sexualmente Transmissíveis entre Gays e Travestis e apontou que a incidência da aids é 11 vezes maior entre esse grupo do que entre héteros. Então queremos discutir o que deve ser feito para mudarmos esse cenário", afirmou ao G Online João Ferreira, coordenador do Coletivo Mirindiba.Ainda segundo o ativista, um dos motivos dessa alta incidência entre os gays e travestis é a homofobia. "A homofobia é um dos fatores que levam a essa vulnerabilidade. Essa cultura homossexual que a gente tem hoje foi construída em cima da homofobia, o sexo anônimo, sem proteção, faz parte da homofobia social."O 1º Encontro de Gays do Município de Teresina acontece na Sala Torquato Neto e no auditório da Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Avenida Frei Serafim, 1884 – Centro).

Governador do Rio pede que funcionários públicos "saiam do armário" na Parada

Durante a cerimônia de instalação do Conselho Estadual dos Direitos da População LGBT no Rio de Janeiro, realizada na última segunda-feira, 18 de maio, o Governador do Rio, Sérgio Cabral, e o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, fizeram discursos importantes sobre o universo LGBT.Sérgio Cabral foi aplaudido por incentivar que funcionários públicos saiam do armário. "Quando se vai a São Francisco, a Nova York, na Parada Gay, aparece a polícia uniformizada, os gays da polícia assumindo. A Polícia Civil, a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, a Defensoria, eu conclamo a todos os membros do governo que no dia da Parada Gay se identifiquem."Já Carlos Minc voltou seu discurso para criticar a Igreja Católica. "Tem alguns momentos em que a igreja erra feio. Um deles é a questão da camisinha. Se a gente fosse atrás da igreja, quantas pessoas não estariam doentes?", disse o ministro.Minc não parou por aí e ainda questionou "como é que uma religião pode dizer que é fraterna e solidária com todos se pressiona os parlamentares a não aprovarem a lei que criminaliza a homofobia?". E para ele, quem cria obstáculos é "corresponsável pela multiplicação dos crimes que nada têm de fraternos e solidários".O estilista Carlos Tufvesson é um dos membros do Conselho e considera que o discurso do Governador "é encorajador e libertário, pois dá força para que seus subordinados saiam do armário. [Cabral] deixa claro que o Governo do Rio não teria problema em aceitar a homossexualidade de seus funcionários".

"Homossexualidade é mais tabu que incesto entre irmãos", diz cineasta Aluízio Abranches

Em entrevista ao UOL, o diretor Aluízio Abranches comenta seu novo filme, Do Começo ao Fim, que vem gerando muita polêmica por contar uma história de amor entre dois irmãos. Abranches esclareceu que não fez um "filme gay". "Pode ser uma relação que acontece só entre os dois", disse.Desde quando foi disponibilizado na internet, o trailer do filme já foi visto mais de 300 mil vezes e já foram criadas mais de 25 comunidades no Orkut. Os comentários sobre o trailer são os mais variados e vão de entusiasmo à indignação. O diretor, no entanto, acredita que o que incomoda não é a relação incestuosa. "Já li comentários indignados por causa do incesto, mas tenho certeza de que o que incomoda mais é a relação entre dois rapazes. A homossexualidade é mais tabu que o incesto entre irmãos", acredita o diretor.O diretor também esclarece que o motivo para a escolha de dois atores bonitos não foi apelativo. "O filme não é sobre a beleza dos dois. Mas o tema principal do filme - o amor - é bonito, e nada mais coerente do que atores bonitos nesses papeis". Abranches garante que mesmo gerando muita polêmica, o filme tem distribuição garantida e deve ficar pronto em três meses.

Elton John diz que governos e indústrias farmacêuticas não fazem o suficiente no combate à aids

O astro do pop Elton John afirmou que os governos e indústrias farmacêuticas não estão fazendo o suficiente para prevenir uma epidemia mundial da aids. A declaração foi feita na noite dessa última terça-feira, dia 19 de maio, durante o 2009 BIO International Convention, realizado em Atlanta, nos Estados Unidos.Durante o evento, Elton convocou centenas de executivos da biociência a trabalhar no combate ao estigma ao redor do HIV/aids. “Há estereótipos e preconceitos de longa data que inibem nossos esforços para combater a aids. Isto continua a devastar populações pelo mundo”, disse o cantor.Elton também salientou que a força da epidemia é maior do que a imaginada. “A epidemia é pior do que nós pensamos que seja nesta mesma cidade e neste mesmo país – o mais rico e poderoso da Terra.”O cantor é presidente da Elton John AIDS Foundation International, que desde 1992 se dedica ao combate ao HIV/aids.

Tabloide garante que Lindsay Lohan e Samantha reataram namoro e planejam casamento

Um mês depois do término do namoro entre a atriz Lindsay Lohan e a DJ Samantha Ronson, um novo boato garante que as duas já reataram e planejam o casamento.Segundo publicou o tabloide The National Enquirer, Lindsay estaria pensando, inclusive, em se converter ao judaísmo para agradar a família da namorada."Elas prometeram que vão persuadir a família de Samantha a aceitar o casamento. Estão esperando para ver se a Califórnia muda suas leis de casamento homossexual, mas se isso não acontecer, elas vão viajar para um estado onde isso seja possível", afirmou uma fonte anônima ao tabloide.

Irene Ravache viverá lésbica em seriado da Globo

De acordo com a coluna Outro Canal, da Folha de S. Paulo, a atriz Irene Ravache viverá uma lésbica no seriado Tudo Novo de Novo que vai ao ar às sextas-feiras na Rede Globo. Ainda não há a confirmação de quando o episódio que conta com a participação da atriz irá ao ar.
A personagem de Ravache terá um romance com Ruth (Arieta Corrêa), que é ex-mulher de Miguel (Marco Ricca) e mãe da menina Júlia (Polliana Aleixo). A trama gira em torno da história da ótima relação que a garota tem com a personagem de Irene até descobrir que ela namora a sua mãe.

Pedro Almodóvar dá selinho em repórter do CQC

O repórter do programa CQC, Rafael Cortez, que está na França cobrindo o Festival de Cannes, foi surpreendido pelo diretor espanhol Pedro Almodóvar. Acostumado a fazer perguntas embaraçosas para os entrevistados, o repórter do programa de humor da Rede Bandeirantes foi quem teve de mostrar desenvoltura quando Almodóvar lhe pediu um selinho. Cortez não pensou duas vezes e atendeu ao pedido.
Após mais alguns segundos de conversa, foi a vez de Rafael pedir um beijo ao diretor, só que de língua desta vez. Almodóvar, que provavelmente achou que um beijo mais íntimo seria demais, recusou a proposta.
No programa, que deve ir ao ar nesta segunda- feira, dia 25 de maio, será possível ver também conferir a entrevista que Cortez fez com Ang Lee, o diretor de O Segredo de Brockback Mountain. Lee fez em Cannes a exibição oficial de seu novo filme, Taking Woodstock, que conta a história de um jovem homossexual responsável pela organização do lendário festival de rock.
Questionado por Cortez sobre o motivo de gostar tanto da temática LGBT, Lee repondeu: "Sempre fui um estrangeiro, em todo lugar, mesmo em Taiwan. Detesto ser categorizado. Quero me ver como sou, como um indivíduo, em sua complexidade e em sua simplicidade".

quinta-feira, 21 de maio de 2009